Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 26
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Case
10/05/2011 04h40

Naschold, 30 anos fazendo diferente

Fabricante de peças e componentes especiais forjados a frio, a empresa está em busca do fornecimento com zero defeito

A NEF, Naschold Elementos de Fixação Indústria e Comércio Ltda., foi fundada em Agosto de 1980, pelo neto de alemão, engenheiro mecânico Ricardo Naschold.
Sua primeira sede ficava em Itapecerica da Serra, grande São Paulo, mas em janeiro de 2003 a empresa mudou-se para o seu espaço próprio no município de Capela do Alto, região de Sorocaba no interior paulista. A cidade, com pouco mais de 17 mil habitantes, fica às margens da rodovia Raposo Tavares (SP-270), que no passado foi ponto de pouso de tropeiros, vindos do sul do Brasil.
Ricardo, que atuou durante dez anos como técnico e engenheiro de vendas na National Machinery LLC (indústria norte-americana fabricante de máquinas para produção automática de artefatos metálicos estampados), percebeu que muitas peças produzidas pelos processos de usinagem estavam em expansão de demanda, e que nesses segmentos elas poderiam ser substituída por peças conformadas a frio, promovendo inúmeras vantagens na produtividade.

 


Ampliação da fábrica

 

Dessa maneira, Ricardo decidiu começar seu negócio quando comprou uma máquina montada no Brasil, durante um processo ainda de testes da própria National, através da fabricante gaúcha, Wotan Indústria de Máquinas, em Gravataí. A aquisição era uma recalcadora de peças, chamada de duas matrizes e três martelos, versátil e ainda em funcionamento.
A ousadia e a versatilidade da máquina, e da missão da empresa, proporcionaram um rápido crescimento da carteira de clientes. Cada vez mais os pedidos aumentavam, exigindo, inclusive, o fornecimento de artefatos complexos, uma combinação que demandou compras de novas e maiores máquinas, promovendo um rápido crescimento, tornando-a, a curto prazo uma empresa sólida.
A partir de 1990, com a chegada do, também, engenheiro mecânico Rolando Naschold, filho de Ricardo, a empresa intensificou a busca por melhorias no sistema da qualidade. Todo esse esforço fez com que a fábrica revisse seu sistema de gestão, recomeçando alguns pontos a partir do zero, que em pouco tempo, ela logo viu seus esforços serem recompensados, refletindo o aumento dos bons resultados comerciais, além de uma ótima reputação.

 

 


Laboratório

 Produção com monitoramento computadorizado com acesso remoto

 

Com os bons números foi necessário a transferência de endereço, mas desta vez para um região ainda mais promissora, encontrada na chamada Grande São Paulo Expandida, no qual é composta por Campinas, Sorocaba e outras cidades vizinhas, onde se encontra a nova sede da empresa.
O espaço possui quase 100 mil metros quadrados, dos quais 3 mil são de área construída, porém com um projeto de expansão já em andamento, alcançará mais de 5,5 mil metros quadrados entre escritório e fábrica. A futura instalação irá gerar melhorias para todos os departamentos da empresa, tais como: produção, qualidade, ferramentaria, estoque de produtos e matéria-prima.
Em 2003, assim que chegou à região, a empresa operava com poucos equipamentos, dentre eles uma moderna e renomada Formax, da National, porém com o crescimento, hoje ela opera com cinco dessas máquinas.
Atualmente, entre os departamentos administrativos e os profissionais do chão de fábrica, a Naschold conta com mais de trinta colaboradores, alguns trabalhando no segundo turno. Possui vinte conformadoras a frio (todas
da National, com sistema de monitoramento e registro computadorizado, para acesso local e remoto), quatro retíficas centerless, três laminadoras de roscas, perfis e recartilhos, além de máquinas e equipamentos para laboratório e ferramentaria.
Sua produção alcança, regularmente, mais de 50 milhões de peças mês, dentre elas destacam-se pinos (recartilhados e/ou lisos recartilhados), parafusos especiais, rebites, roletes cônicos para rolamentos e outras, todas a partir do arame, confeccionados em aço de baixo, médio e alto carbono, não ferrosos inoxidáveis etc. Cerca de 70% de toda esta produção é destinada à indústria automotiva, cabendo 10% às linhas brancas, outros 10% aos segmentos produtores de eletro-eletrônicos, sendo os demais para moveleiras, de ferramentas e outras.
“Muitos destes milhões de produtos são itens estratégicos em nossos clientes, onde sua importância é extrema, podendo elas, inclusive, comprometer uma linha de montagem automotiva, por exemplo, onde pode-se encontrar produtos Naschold em limpadores de parabrisas, fechaduras e muitas outras, tornando-nos uma Tier 2, onde atendemos pequenas, médias e grandes empresas, como a Magna Closures, Bosch, Weg, SKF, Valeo, Still”, afi rmou Rolando Naschold.
A empresa, certifi cada desde 1998 com o ISO 9001 e em 2006 com o ISO/TS 16949, trabalha para atender a atual e crescente demanda, com o foco na expansão da indústria brasileira.
A Naschold valoriza a customização, onde as peças especiais se tornaram uma rotina, assim como o trabalho em sintonia com a necessidade e performance do cliente, participando, assim, ativamente em parceria para ajudálos à sanar problemas, elaborando soluções para correção e melhorias na fabricação do produto final.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com