Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 47
Busca::..
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Europa News
16/09/2014 11h10

 Europa News

 

 

Nedschroef é vendida por € 325 milhões para a chinesa PMC

Em maio deste ano, a Gilde Buy Out Partners e a Parcom Capital, proprietárias da Nedschroef, confirmaram acordo de venda da Koninklijke Nedschroef Holding B.V. para a Prime Machinery Company Limited (PMC), uma transação calculada em € 325 milhões. A PMC é subsidiária da Shanghai Electric Group Corporation (SEC), grupo com receita de € 11 bilhões, listado na bolsa de valores de Hong Kong. A conclusão ainda depende de aprovação regulatória junto aos acionistas da PMC.

A Nedschroef fatura mais de € 500 milhões/ano, tem mais de 1,5 mil funcionários, principalmente na Alemanha. A PMC, por sua vez, é uma das maiores exportadoras chinesas de fixadores, faturou mais de € 400 milhões em 2013. Combinadas, as vendas do grupo em fixação ultrapassarão € 600 milhões.

Tendo resistido com êxito à crise financeira global e um período subsequente de expansão sob a gestão de seus proprietários de private equity, a Nedschroef diz estar entrando em uma fase histórica, tornando-se “parte de um grupo industrial diversificado, poderoso, bem financiado e com visão de se tornar líder mundial em fixadores”. Ela descreve a operação como “um marco na Nedschroef e um testemunho de sua liderança após anos de consistentes investimentos em tecnologia e instalações no estado da arte”.  

A declaração enfatizou que “a PMC construirá um relacionamento próximo e de longo prazo da Nedschroef com as principais montadoras automotivas e seus fornecedores em todo o mundo, tornando-a uma plataforma de classe mundial, expandindo ainda mais a divisão de fixadores”. A empresa continuará operando de forma independente a marca, e sua gestão diz estar empolgada em continuar liderando o desenvolvimento dentro do grupo PMC. O quartel general permanecerá em Helmond, na Holanda, mantendo-se também todas as atuais unidades de produção e atuais funcionários. “Os clientes podem contar, normalmente, com o melhor em fixadores, entregas dentro dos prazos e em qualquer parte do mundo”.

Mathias Hüttenrauch, CEO da empresa holandesa, se disse muito grato a todos, inclusive à Gilde e Parcom por sua contribuição e incansável apoio nos últimos anos, ajudando a transformar a empresa no que ela é hoje. Por sua vez, Mr. Zhiyan Zhou, diretor executivo da PMC, declarou ser este um grande momento, que a aquisição da Nedschroef, com seu excelente quadro de profissionais, know how tecnológico e as ótimas relações com as montadoras automotivas europeias, nos permitirá fazer grandes mudanças em nosso fastener business.  

Faturamento da Trifast sobe 7%

A Trifast PLC apresentou os resultados preliminares para o exercício finalizado em 31 de março de 2014, onde o faturamento do Grupo cresceu 7% ao valor final de US$ 209 milhões. Por sua vez, o lucro operacional foi 31% superior aos US$ 15 milhões. A melhoria da margem veio de políticas de abastecimento, consolidação de fornecedores e eficiências em fretes e embalagens.

O Grupo confirmou seu objetivo de acelerar a expansão por aquisições estratégicas. Em maio ele comprou a Viterie Italia Centrale Srl. Em resposta às crescentes oportunidades na ASEAN Free Trade Area (área de livre comércio do sudeste asiático e a China), a Trifast (TR) se estabeleceu com uma nova subsidiária na Tailândia, além de já ter produção em Cingapura e na Malásia. Na Europa, a TR-Suécia teve um ano particularmente bom, com base nos setores automotivo e telecomunicação; a TR-Holanda viu crescimento em vendas de aparelhos automotivos e domésticos; e o crescimento da TR-Hungria veio do setor de eletrônicos. A TR-Noruega foi a única divisão submetida a um grande esforço, principalmente devido ao negócio tradicional imigrar para países com custos mais baixos. Ali, a Trifast está em fase de mudança para o setor Oil & Gas.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com