Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 47
Busca::..
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
16/09/2014 11h18

Persona


Europa: como reduzir as incertezas nos negócios com fixadores?


Presidente da associação europeia dos distribuidores de parafusos e similares demonstra que aparticipação ativa é essencial na defesa de um comércio justo

 


A incerteza é um elemento central na atividade econômica. Embora ninguém saiba exatamente o que acontecerá amanhã, empresas buscam tomar as decisões mais corretas, agindo de forma diferenciada. Mas, no que elas fazem, os objetivos são claros: reduzir incertezas para minimizar os riscos das atividades econômicas. O que, especialmente, está influenciando as atividades futuras nas distribuidoras de fixação da União Europeia (UE) e o que pode fazer a European Fastener Distributor Association(EFDA) para apoiar os seus filiados?

Além de conflitos internacionais e os imprevistos desenvolvimentos econômicos globais, um fator importante para a incerteza na Europa é  a política da UE. Na verdade, a UE está modernizando seus  instrumentos de defesa comercial (Trade Defence Instruments- TDI) afim de proteger o setor industrial europeu da concorrência estrangeira desleal. A má notícia para os distribuidores europeus é que este processo pode conduzir a um agravamento das condições de importação, com custos mais elevados e mais burocracia.

A EFDA, por sua vez, se mantém em contato com as instituições da UE com o objetivo de evitar que a modernizaçãoda TDI agrave e complique nossas condiçõesb de mercado. Portanto, nós agrupamos os interesses dosdistribuidores da UE. No final, temos a intenção de influenciar o processo de modernização no sentido de conservare melhorar as condições econômicas.

Um importante instrumento de defesa comercial tem sido a política antidumping (AD) da UE. Infelizmente, a AD leva para evasão as atividades de alguns dos nossos parceiros asiáticos. Para os importadores de fixadores da UE nem sempre é claro se os produtos foram produzidos no país de origem oficial ou se fizeram baldeação. Por fim, os importadores têm que suportar os riscos desse baldear de produtos. Em caso de evasão, o infrator tem que pagar os impostos extras na Europa. Para reduzir as incertezas, a EFDA se mantém em contato com as associações asiáticas do setor de parafusos e fixadores similares, além das autoridades de estado das respectivas nações. Informamos constantemente nossos filiados sobre os reais riscos. Além disso, mantemos contato com as autoridades da UE para ajudá-los a localizar produtores asiáticos desleais e ilegais.

A EFDA acata as condições de mercado, des deque sejam em um ambiente de comércio livre e justo. Permanentemente, coordenamos e respondemos coletivamente aos desafios essenciais para os nossos filiados. Trabalhamos para circunstâncias jurídicas eeconômicas que permitam que os distribuidores europeus se mantenham e aprimorem sua competitividade. Neste contexto, a redução das incertezas é um aspecto importante do nosso trabalho.


Dr. Volker Lederer
• Presidente da European Fastener Distributor 

Association – EFDA
• Diretor da distribuidora de fixadores Lederer GmbH
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com