Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 28
Busca::..
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Notas
09/09/2011 02h54

União Europeia abre casos antidumping e anti-subsídios contra a Índia

 

No último dia 13 de maio a Comissão Europeia anunciou o início de investigações antidumping e anti-subsídios contra as importações de parafusos de aço inoxidável vindos deste país. As investigações são o resultado de denúncia apresentada em 31 de março pelo European Industrial Fastener Institute, que representa mais de 25% da produção da União Europeia em fixadores de aço inoxidável. São alegados dumping e subsídios em parafusos de inox dos códigos NC:

7318 1210 - Parafusos de madeira;
7318 1410 - Parafusos auto perfurantes;
7318 1530 - Outros parafusos e porcas;
7318 1561 - Parafusos sextavados interno;
7318 1570 - Parafusos sextavados
.

No anúncio antidumping a Comissão observou: “Na ausência de dados confiáveis sobre os preços domésticos para a Índia, a alegação de dumping é baseada na comparação entre o valor normal (custo de fabricação, venda de despesas gerais e administrativas) e o preço de exportação (saída da fábrica) do produto investigado, quando foi vendido para exportação para a União Europeia. Dessa maneira a margem de dumping calculada é importante para o país exportador”. O anúncio anti-subsídios observa: “É alegado que os produtores sob investigação, originários da Índia, se beneficiaram de uma série de subsídios concedidos pelo governo local e de subsídios regionais. Ele detalha os mecanismos de subsídios pretendidos”. Em ambos os casos, as medidas provisórias podem ser aplicadas no máximo nove meses após a data de publicação dos anúncios (13 de maio de 2011). Os regulamentos antidumping também exigem que as medidas não sejam aplicadas em pelo menos até 60 dias a partir da data de publicação. O prazo para decisões defi nitivas em ambos os casos, no entanto, são diferentes. Inquéritos anti-subvenções devem ser concluídos no prazo de 13 meses, enquanto a decisão final dos processos antidumping não é necessária para 15 meses. No entanto, especialistas da área dizem que a Comissão deverá finalizar ambos os casos em no máximo 13 meses. Os anúncios incluem prazos rigorosos para o registro das partes interessadas e preenchimento de questionários.

Cópias do aviso, em cada uma das línguas oficiais da podem ser baixadas no Jornal Oficial da U.E por meio de pesquisas na Eur-Lex, no site www.eur.lex.europa.eu.

A referência do aviso antidumping é 2011/C142/04; antisubvenções é 2011/C142/05.

Colaboração de Phil Matten, revista Fastener + Fixing phil.matten@fastenerandfixing.com

 

Ingepal recebe certificação global Caterpillar

 

No mês de junho, a indústria de parafusos Ingepal, uma das mais atuantes fornecedoras para o segmento automotivo em itens de aplicações críticas, obteve pela segunda vez a certificação Caterpillar Supplier Quality Excellence Process Certification pelo seu sistema de gestão de qualidade. Em 1997, foi a primeira empresa brasileira a receber o título.
 

A avaliação possui alto grau de exigência no controle dos processos envolvendo desde a certificação do fornecedor de matéria-prima, processos de engenharia, tratamento térmico dos produtos, excelência no planejamento de comunicação e de produção.

“Somos fornecedores da Caterpillar há cinco décadas e estamos prestes a completar 51 anos. Receber um prêmio como este nos mostra o quanto estamos aptos tecnicamente para quaisquer necessidades do mercado de fixação mecânica, seja de uso corrente ou para novos projetos destinados ao segmento automotivo global, O&M e Tiers One”, afirma o Business Director, Jr. Santiago.

    Systek em nova fase

A Systek, empresa atuante no mercado de tecnologia da fixação, fabricante de máquinas de seleção automática, serviços de análise de falhas, eletrônica e projetos especiais, entra em uma nova fase. Segundo o diretor, Lídio Andrade, isso ocorre em função de importantes modificações na relação que mantinha com tradicional fabricante de parafusos. “Após essa mudança passamos atuar sem nenhuma restrição nos cursos de juntas aparafusadas, análise de falhas em fixadores, engenharia de aplicação, suporte ao usuário na aplicação de fixadores, especificações de técnicas de aperto, além dos testes clássicos de torquetensão.

A Systek atuará com profissionais próprios e também em conjunto com os mais importantes profissionais do mercado”, concluiu Andrade.
          

  Nova DELTA-MKS obtém aprovação na Ásia

A Dörken MKS-Systeme anunciou que os produtos da DELTA-MKS-Systeme foram incorporados às especificações globais para o desempenho de alta proteção contra corrosão nos motores das fabricantes de veículos japonesas Nissan Motor (de acordo com a M4601 2010-N) e Isuzu (de acordo com a ISC-B22-003F). A empresa destaca que com essa conquista eles continuam seu avanço no mercado asiático.

Além disso, há também o objetivo de otimizar a consultoria técnica do local, por meio do Centro de Tecnologia em Xangai, China, além do já existente na Coreia. “Este é mais um passo para fornecer suporte ideal para a região da Ásia no âmbito da rede MKS global.”

Colaboração de Phil Matten, revista Fastener + Fixing phil.matten@fastenerandfi xing.com
 

    Política industrial vai desonerar compra de máquinas

O conjunto de medidas da nova política industrial, chamado provisoriamente de Política de Desenvolvimento da Competitividade (PDC), irá conter quatro medidas que desoneram a compra de máquinas e equipamentos. De acordo com o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, a iniciativa será “uma injeção de vitamina na indústria, que vem sofrendo com o câmbio valorizado e com a concorrência desleal dos importados”.

As quatro medidas são: a recuperação imediata do PIS/Cofins pagos por quem compra máquinas e equipamentos destinados à produção (hoje o prazo é de 12 meses); depreciação acelerada de máquinas e equipamentos, de cinco anos para 12 meses; a isenção de IPI na compra de máquinas; e a criação do drawback investimento, que permitirá aos fabricantes de máquinas comprarem insumos sem pagar PIS e Cofins.

“Com o dólar barato e a desoneração tributária, temos a oportunidade de fazer uma enorme modernização do parque industrial”, afirmou Pimentel.

 Siadrex recebe certificado de mérito da GM do Brasil

 

O dia 7 de abril foi marcante para a indústria metalúrgica Siadrex. Pelo 39o. ano consecutivo, a General Motors do Brasil promoveu o evento Supplier of the Year, em que premia os melhores fornecedores de 2010.  Sob o tema “inovação, qualidade e superação”, a montadora homenageou 37 parceiros e concedeu o certificado de mérito à Siadrex Indústria Metalúrgica Ltda. pela qualidade, serviços, tecnologia e preços de seu trabalho. Mais de 250 fornecedores estiveram presentes na solenidade e cerca de 6.8 mil empresas disputaram os prêmios divididos em quatro categorias: materiais diretos, indiretos, peças de reposição e logística. Segundo Edgar Pezzo, vice-presidente global de purchasing e supply chain da General Motors, o processo de escolha é multifuncional e envolve várias áreas da companhia que analisam minuciosamente todos os fornecedores, elegendo os melhores nas suas respectivas áreas.

 Adolfo Fey recebe a Ordem do Mérito Industrial da CNI

No último dia 17 de junho, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) concedeu a Ordem do Mérito Industrial, mais importante condecoração da indústria brasileira, a Adolfo Fey, um dos fundadores da Metalúrgica Fey, de Indaial, SC, uma das mais renomadas indústrias brasileiras de elementos de fixação.

Esta condecoração foi criada em 1958, sendo ela concedida anualmente a poucos empresários que desempenham papel relevante no desenvolvimento da sociedade – neste ano serão apenas 11 agraciados no Brasil. Desta forma, a Fey passa a integrar um seleto grupo de 24 industriais catarinenses já homenageadas.

Segundo Alcântaro Corrêa, presidente do Sistema Fiesc, “a entidade tem tido sucesso ao longo dos últimos anos na aprovação de suas indicações à CNI. Isso é possível porque Santa Catarina tem empreendedores como Adolfo Fey.”

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com