Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 61
Busca::..
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Europa News
01/02/2017 10h45

Europa news

 

Bossard cresceu 4,8% no Q3 de 2016

Apesar das dificuldades em alguns mercados, o faturamento subiu € 156,3 milhões

Nas Américas, particularmente o Bossard Group, teve um desempenho dinâmico, crescendo 13,3%, enquanto Europa e Ásia também contribuíram para esse avanço no terceiro trimestre (Q3). No total as vendas cresceram 3% (€ 472,9 milhões) entre o Q1 e Q2 de 2016. No Q3 as vendas na Europa subiram 2,3% (€ 91,39 milhões), impulsionadas por grandes mercados como Alemanha, França e Dinamarca. Nos primeiros nove meses, essas vendas subiram 3,7% (€ 285,26 milhões). Na Suíça, onde a apreciação do franco suíço (CHF) continua a ser sentida no setor industrial, a procura permaneceu num nível baixo. Por sua vez, os negócios na América estão em elevação acentuada, embora um dos principais clientes esteja numa “estiagem” causada pela situação econômica. As vendas do Q3 aumentaram, principalmente, devido ao aumento da demanda no principal fabricante de veículos elétricos dos EUA. Após a publicação dos resultados do Q3, Bossard anunciou que a sua “cooperação estreita e mutuamente benéfica” com este cliente foi prorrogada até 2020, prosseguindo com êxito uma relação iniciada em 2010. Essa cooperação envolve não só o fornecimento logístico diretamente à linha de produção, mas também pela colaboração ativa em todos os aspectos da tecnologia de fixação, bem como na fase de desenvolvimento de novos modelos. As vendas americanas nos primeiros nove meses subiram 3,5% (€ 122,02 milhões). Já o mercado asiático também tem mostrado um crescimento dinâmico resultante de investimentos estruturais nesses mercados em anos anteriores, tendo no Q3 alta 1,1% (25,56 milhões). Na Índia e Taiwan a Bossard registrou dois dígitos de avanço, enquanto as atividades na Malásia e Cingapura também contribuíram para esses resultados. Na China, o mercado mais importante da Bossard na região, um ligeiro crescimento do terceiro trimestre foi registrado após dois trimestres em que as vendas estavam abaixo dos níveis do ano anterior. O Grupo acredita que o desenvolvimento dos negócios em vários mercados importantes confirma a validade das decisões estratégicas tomadas em anos atrás. Esperando que a demanda permaneça positiva na Europa e Ásia, Bossard está confiante devido à demanda dinâmica na América, onde espera um crescimento acima da média no Q4, na espectativa que o faturamento de 2016 alcance cerca de € 629,60 milhões, ante os € 611,88 milhões de 2015.  

UE propõe alteração na legislação antidumping e anti-subsídio

A partir de 14 de Novembro de 2016, a Comissão Europeia publicou uma proposta de um novo método de cálculo para definir como dumping sobre importações de países onde existam distorções significativas, bem como intervenções do Estado. O objetivo é garantir que a Europa disponha de instrumentos de defesa comercial capazes de lidar com as realidades atuais - nomeadamente com super-capacitação - no ambiente comercial internacional, respeitando simultaneamente suas obrigações internacionais. A Comissão propôs igualmente o reforço da legislação anti-subsídios da União Europeia, de modo que em casos futuros quaisquer novos subsídios revelados no decurso de um inquérito possam também ser investigados e incluídos nos direitos finais estabelecidos. Devido ao rápido movimento das alterações propostas, recomendamos uma visita para atualização em: www.fastenerandfixing.com.  

 

Hilti adquire a PEC Group

O Grupo está expandindo seu portfólio de produtos e ganhando acesso a novos mercados com a aquisição do PEC Group, com sede em Duisburg, Alemanha  

Fundada em 2008, o PEC Group conta com cerca de 100 funcionários na sua sede em Suzhou, China, e em seus locais de vendas em Pune, Índia e em Dubai, Emirados Árabes Unidos. PEC produz sistemas de ancoragem e canais de instalação, bem como acessórios e soluções em fixação para elevadores, fachadas e aplicações para construção de túneis e pontes. “Devido ao nosso forte crescimento internacional, estávamos procurando um parceiro para melhorar nosso potencial de mercado. A Hilti está extremamente bem posicionada para conseguir isso”, relatou Bernd Hebborn, fundador e CEO da PEC. Hebborn e todos os outros membros da equipe da PEC continuarão trabalhando em suas funções atuais.

Combinando as linhas de produtos de ambas empresas, a Hilti se tornará um fornecedor único, oferecendo uma gama mais ampla de soluções de fixação. Além disso, o local de fabricação na China proporcionará à empresa capacidades adicionais e otimizará seu acesso aos mercados asiáticos.

“Estamos convencidos de que esta aquisição não só fortalecerá nossos negócios em sistemas de ancoragem como também nos ajudará a melhorar nossa posição de liderança no setor de tecnologia de fixação”, comentou Stefan Nöken, membro do conselho executivo da Hilti.

Com headquarter em Schaan, Liechtenstein, o Grupo Hilti é um fornecedor global de produtos, sistemas e serviços que proporcionam aos profissionais da construção soluções inovadoras, e um valor agregado superior. O Grupo emprega mais de 23.000 colaboradores em mais de 120 países, com faturamento total de € 4,05 bilhões em 2015.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com