Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 44
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Notas
20/03/2014 10h49

 Notas

 Treinamendo sobre forjamento semi-quente de aços, abaixo de 500°C

 

 

 

Observando a figura acima, é possível notar o principal parâmetro (kf -Tensão de Escoamento) que todos devem observar no momento do projeto e na produção.

Nossos tradicionais amigos do forjamento a frio, a morno e quente sabem tudo sobre os efeitos de temperatura de forjamento no desgaste de matrizes, na capacidade da prensa, na solicitação no ferramental etc. E sobre o “semi-quente”?

Esse assunto será discutido no proximo Treinamento de Forjamento entre 10 e 11 de abril de 2014.

Informações:
Tel: +55 51 3308-6134
 

 

Curso de dimensionamento de juntas na Metalac  

 

Com o objetivo de habilitar profissionais a entenderem os mecanismos envolvido em juntas rigidamente fixadas por parafusos - além de conhecerem conceitos básicos para cálculo, dimensionamento e aplicação - a Metalac estará realizando de 7 a 11 de abril próximo seu tradicional curso na sede da empresa em Sorocaba, SP.

Informações:
Cláudia Fabri
Tel: +55 15 3334.3586 / 3334.3572.
 
 

Ausência de arruela pode ter sido a causa de incêndio em avião  

 

 

Em 20 de agosto de 2007, um Boeing 737-800 em operação pela China Airlines partiu de Taiwan, em meio a um voo rotineiro para o aeroporto de Naha, Okinawa, no Japão. Essa aeronave utiliza um sistema high-lift, que inclui slats, dispositivos presentes nas asas que se deslocam para permitir a passagem do ar, que são acionados durante a decolagem e pouso, recolhendo-se em seguida. Como esses slats movem-se, ao se recolherem ficam alocados em áreas de tamanho suficiente, acomodados próximos aos tanques de combustível, nas asas da aeronave. Cerca de um mês antes deste acidente, felizmente ocorrido em terra e sem vítimas graves, a aeronave havia passado por manutenção e inspeção, de acordo com o fabricante. Mas acredita-se que, devido a um descuido ocorrido durante a remontagem, algum mecânico tenha esquecido de repor uma arruela em um conjunto de fixadores, composto também por parafusos e porcas, que fixam a parte envolvida, situada na asa direita. Assim, a porca não pode atuar adequadamente, já que sem a arruela, ela ficou com menor área de contato, daí o começo de tudo. Os investigadores acreditam que, em algum momento, durante o movimento dos slats os fixadores sem uma das arruelas desprenderam-se, ficando soltos no fundo da área de acomodação, porém fazendo com que o parafuso fosse empurrado contra a parede que separava o tanque de combustível, causando um rompimento do mesmo. Assim sendo, tudo isso ocorreu possivelmente após o recolhimento dos slats, e o furo gerou o vazamento de combustível durante a manobra, já em terra, até o início do fogo.

Animação sobre o acidente: 

lessonslearned.faa.gov/ChinaAirlines120/ChinaAirlines120_Downstop_pop_up.htm

Vídeo da evacuação e incêndio:

lessonslearned.faa.gov/ChinaAirlines120/ChinaAirlines120_Evacuation_pop_up.htm  

Erramos: Os profisionais que estarão a serviço dos usuários de prensas National Machinery são graduados em “engenharia mecatrônica e técnicos em mecânica”, diferentemente do publicado na edição RP43 (dez./jan. 2014, pág.42, seção Notas). Além disso, o treinamento deles teve inicio em novembro de 2012, e não em 2013, e a duração será até agosto de 2014.    

 

Instrumentação: um parafuso com sensor  

 

Uma equipe de engenheiros da Universidade Darmstadt, Alemanha, criou um parafuso com um sensor embutido, que tem a função de transmitir dados à distância. Este sensor está situado onde as forças atuam, o que lhe dá muita precisão e leituras em tempo real.

“Até agora, não havia realmente nenhuma forma particularmente boa para a fixação de sensores,” explicou Matthias Brenneis, lider do grupo.

“Adesivos se dissolvem facilmente, especialmente em ambientes inóspitos.”

Além disso, os sensores montados externamente permitem leituras de fora da peça, mas que podem diferir das forças que atuam internamente, seja de uma máquina ou de uma peça.

As vantagens de combinar sensor e parafuso são óbvias: os parafusos estão em toda parte e podem ser substituídos por seus colegas “mais sensíveis” em cadeias produtivas inteiras. O parafuso sensor pode efetuar medições em determinados pontos no tempo ou de forma contínua, o que permite um novo nível de controle.

Hoje, a redução dos desvios de qualidade só são detectados durante a inspeção final, após todo o processo de produção, muitas vezes significando a perda da peça inteira.

Fonte: www.inovacaotecnologica.com.br em 28/01/2014.  

 

Nos EUA problemas de fixação gera recall no Acura RLX, linha de luxo da Honda

 

A Acura, empresa nipo-americana, criada como divisão de luxo da Honda nos EUA, anunciou um recall, em janeiro deste ano, para veículos produzidos entre agosto de 2012 e novembro de 2013. Os problemas ocorrem no sedan RLX, na qual os parafusos da suspensão traseira podem ter sido fixados inadequadamente, e afrouxado posteriormente.

A empresa estima que mais de 7 mil unidades podem ter sido afetadas.

Mais informações podem ser obtidas no site da empresa ou no portal norte-americano www.safercar.gov  


Na Argentina importação de fixadores chega a atrasar mais de um ano

 

A escassez de dólares na Argentina vem dificultando as importações. Para obter o DJAI (Declaração Juramentada Antecipada de Importação), documento obrigatório às compras externas, a importação de parafusos, porcas e similares enfrenta atrasos superior a um ano na liberação da DJAI, segundo o diretor do Departamento de Relações Internacionais da Fiesp, Thomaz Zanotto, conforme informou o portal Zero Hora (www.zerohora.com.br), em 18 de fevereiro, último.    

 

GMB convocou recall de 5 mil veículos por risco de acidentes

 

O componente envolvido é um rolamento do cubo das rodas traseiras. O problema alegado foi o excesso de torque no aperto da porca do cubo da roda, o que pode ocasionar superaquecimento do rolamento, com o risco de ocorrer travamento ou soltura da roda traseira, causando perda da dirigibilidade e possibildade de colisão e/ou capotamento, além de graves riscos a ocupantes e terceiros.

Conforme o site da empresa, a solição é a substituição das peças e aplicação adequada do torque na fixação das porcas.

Agendamento: 0800-702-4200 ou www.chevrolet.com.br  

 

Peça da direção causa recall de 34 modelos de autos  

 

Proprietários que submeteram seus carros a reparos no sistema de direção, de setembro para cá, devem ficar atentos. Esse novo recall está linkado à uma peça de reposição. Normalmente estas ações são oriundas das montadoras.

De acordo com a SKF do Brasil, um lote da “articulação axial”, parte do sistema que transmite os movimentos da direção às rodas, pode romperse integralmente com o veículo em movimento, com grande risco de causar acidentes.

O lote defeituoso foi desenvolvido para o mercado de reposição de 34 modelos diferentes, incluindo importados, como o Volkswagen Bora e o Ford Explorer e automóveis que já saíram de linha há décadas, entre eles os modelos Fiat 147, Oggi e Panorama. Isso se estendeu também para: Audi: A3; Fiat: Brava, Elba, Fiorino, Idea, Pick-up, Prêmio, Siena, Strada, Tempra e Uno; Ford: Courier, EcoSport, Escort, Fiesta, Ka e Ranger; Chevrolet: Ágile, Celta, Corsa, Classic, Meriva, Montana, Prisma e Tigra; Volkswagen: Golf e New Beetle.

Fonte: www.folha.uol.com.br (digite: recall “peça da direção provoca”. )

 

 Técnico alemão realiza ação de aprimoramento na Wafios  

 

A Wafios do Brasil, recebeu recentemente o dr. Jürgen Hecht, para cooperar na ampliação da tecnologia para fabricação de pentes laminadores de rosca. De acordo com a Wafios, Hecht é um dos maiores conhecedores da fabricação de pentes na Europa. Atualmente ele trabalha na WUG (Wafios Umformtechnik GmbH), nome que substitui a antiga marca Hilgeland, continuando com forte participação no mercado de fabricação de máquinas voltadas para a confecção de parafusos e também na fabricação dos pentes.

O investimento feito pela Wafios brasileira trazendo o dr. Hecht – com novos programas e dispositivos, além de ferramentas – tem como objetivo principal a renovação dos programas voltados a construção de pentes de maior precisão e produtividade, podendo assim atender clientes com prazos menores.

Ainda em 2014 o técnico deve retornar ao Brasil, dando continuidade ao treinamento do pessoal da empresa, dentro das alterações a serem feitas na fabricação.

Neste novo ciclo da produção, Hecht deverá conhecer alguns fabricantes de parafusos brasileiros, e poderá direcionar as atualizações dos novos softwares. Outra ação será adaptar a fabricação da Wafios no Brasil para novos equipamentos, como os que operam na Alemanha. Hoje, é possível que o fabricante de parafuso saiba o diâmetro em que ele deve iniciar sua produção a partir de uma ligação para Wafios, e com os novos programas pode-se visualizar o pente, mesmo antes de fabrica-lo, sabendo assim como será produto final.      

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com