Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 35
Busca::..
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Dörken
24/10/2012 03h09

Eventos 

 

Dörken apresentou o primeiro Tech Day no Brasil

 

Evento contou com um dia de palestras sobre o mercado global e brasileiro e apontou o que pode se esperar de qualidade e melhoria de processos para o setor


A Dörken MKS-Systeme GmbH & Co. KG, empresa especialista em sistemas de microcamadas anticorrosão sob a marca DELTA-MKS®, realizou um Tech Day em julho deste ano, no Hotel Grand Hyatt em São Paulo, SP. O evento, que acontece frequentemente em países como a China, Itália, França e Alemanha, foi apresentado pela primeira vez no Brasil e discutiu alguns tópicos como: o mercado global de automóveis; o mercado brasileiro; qualidade, processos, produtos e tecnologia de aplicação;e coeficiente de atrito. O desenvolvimento do mercado sul-americano, dentro e fora do setor automotivo, e sua influência sobre as estratégias da Dörken do Brasil foi um item importante durante a conferência. Outros temas incluíramas técnicas de aplicação para sistemas de flocos de zinco, medidas de garantia de qualidade como fatores de sucesso global e novos produtos e sistemas.

A abordagem do conteúdo ficou por conta do CEO da empresa alemã, Dr. Martin Welp; do gerente de produto Michael Stähler; do diretor da Dörken no Brasil, Mauro Gorrasi; e da diretora comercial no Brasil, Anna Kemper; que apresentaram aos participantes toda a influência da empresa na indústria de fixadores. Os profissionaispresentes eram representantes do setor automotivo, como VW, GM, Mercedes-Benz, Ford, Renault e Volvo, e também empresas de energia eólica e indústrias de gás. “O nosso foco durante esse Tech Day foi atualizar os nossos clientes – e também toda a cadeia produtiva de montadoras e sistemistas – não só com os nossos lançamentos mas também com que já existe e oferecemos há muito tempo. Ainda, é um momento que nos disponibiliza discutir os desafios que temos no mercado e oferecer alternativas para ele”, ressaltou o CEO.

 

Welp destacou que o teor das palestras é o mesmo para todos os países, somente com alguma peculiaridade devido ao mercado local de cada região. O último evento realizado, por exemplo, na China, mostrou que o país está em pleno crescimento econômico e, mesmo assim, os problemas de fixação são similares aos demais locais. Isto mostra que os desafios estão quase “padronizados”e a diferença varia de acordo com o comércio local. Pode-se visualizar um panorama desse crescimento pelo número de produção de carros, por exemplo. Em 2002, a fabricação mundial girava em torno de 41 milhões de unidades, e, em 2012, 69 milhões. No Brasil, essa produção ascendeu de dois milhões em 2002 para quatro milhões de unidades em 2012. Já na Alemanha, foram produzidos 5.3 milhões em 2002 e 6.1 em 2012. Falando especificamente sobre fixadores, Welp afirma que a Itália cresceu 22% neste último ano, resultando em um crescimento mundial de 14% para o setor.

“A maioria das empresas de fixadores se sustentam com a produção local. A China pode até ter uma maior atuação no mercado, mas a tendência para os próximos anos é de consumir produtos fabricados nacionalmente. Isso se deve, também, pelo fato das indústrias atenderem a especificações mundiais”, prevê o CEO. Outro ponto importante é ressaltar a importância dos fixadores para que aumente o desenvolvimento do setor. “Hoje, o primeiro passo da indústria automobilística é vender o carro. O segundo, montar o veículo no país de consumo.O terceiro, produzir as peças para montagem. Somente em quarto lugar aparecem os fixadores, sendo que eles são cruciais para trabalhar com qualquer coisa”, finaliza.

A Dörken fechou o dia com a demonstração de que está apostando forte em assistência técnica dos seus produtos e serviços – que possui atuação latino-americana e espera crescer 25% em relação a 2011, um desenvolvimento bastante positivo para o setor.

Ederson Calsavara (Volvo), Antônio C. Sobrinho ( Mercedes-Benz) e Maurício Correa (GM)   Daniel Lopes (Dörken), Eneas Martins (Zincagem Martins) e Simone Brasil (Dörken)
 Gerd Eland ( Ford), Adelmo Siqueira (Continental Parafusos) e Marcos Torres (Ford)  Leonardeo Rollo (Metalac) e Lutero Martins (Barcelona)
 Marcos Wallner (Fibam) e Natasha Hammel  Emerson Azevedo (Anhanguera), Ricardo Zobordy (Anhanguera) e Wagner Lucena (Taranto Brasil)
 Ricardo Kiqumoto ( Nipra), Alexandre Paiva (Belenus), Amaury Rocha (Fixar), Giseli Verges (Renaut) e Athos Hammel (VW)  Caetano Martinez e Elyzabeth Barbosa (Tecsis), Erli Syllos e Alexandre Marcus (Tecnofix)
 Mauro Gorrasi (Dörken), Norberto AristoNiedfeld (VW Argentina), Ricardo Kiqumoto (Nipra) e Athos Hammel (VW)  Gerd Eland (Ford), Giseli Verges (Renaut), Mauro Gorrasi (Dörken), Amaury Rocha (Fixar) e Alexandre Paiva (Belenus)

 

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com