Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 32
Busca::..
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Notas
18/06/2012 11h02

 

 NOTAS

 

Revista do Parafuso é prestigiada por importantes veículos da imprensa

 

 Na edição especial da Revista Imprensa sobre os 200 anos de revistas no Brasil, publicada em janeiro/fevereiro de 2012, foi realizada umamatéria contando a história deste importante meio para a nossa comunicação. Uma das vertentes abordadas foi o setor desegmentados, que inclui publicações técnicas e especializadas focadas em um só tema ou assunto. Nesta ocasião, a Revista do Parafuso foi convidada pelo jornalista Guilherme Sardas a participar da seção e se mostrou como um bom exemplo de “hipersegmentação”, ao lado da Revista Nacional da Carne. Outra renomada revista brasileira, a Piauí, também homenageou a RP em sua edição de fevereiro/12, relatando causos sobre o parafuso e contando detalhadamente como surgiu a nossa publicação. A jornalista Daniela Pinheiro (foto ao lado) veio diretamente do Rio de Janeiro para visitar nosso escritório em São Bernardo do Campo, a fim de conhecer a fundo como a RP é produzida. Entre os assuntos mais citados em sua matéria foram a trajetória do editor Sérgio Milatias e algumas reportagens do setor parafuseiro já publicadas aqui.


 

Certificação de fixadores entrará em vigor no quadriênio 2012-2015 do Programa Brasileiro de Avaliação da Conformidade

 

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – através do Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro) – publicouem 07 de dezembro de 2011 a Resolução número 04, que dispõe sobre a aprovação do Plano de Ação Quadrienal 2012-2015 do Programa Brasileiro de Avaliação da Conformidade. Atualizado anualmente, o Plano deverá ser revisado para o próximo período pois serão incluídos elementos de fixação como parafusos, porcas, arruelas e rebites. Considerando que se trata de itens de segurança, se faz necessária essa inserção tendo em vista a ausência de controle e informações sobre estes produto.

"O acolhimento pelo Inmetro do pleito do nosso sindicato, no sentido de colocar a certificação dos elementos de fixação no plano quadrienal de 2012-2015, representa um importante passo para a obtenção da garantia da qualidade. Isso porque parafusos, porcas e rebites fabricados no Brasil ou no exterior somente poderão ser comercializados no País desde que sejam produzidos por empresas certificadas, o que significa que os produtos estarão de acordo com  normas  internacionalmente reconhecidas”, declarou José Gianesi Sobrinho, presidente do Sindicato das Indústrias de Parafusos e Similares – Sinpa. 

Neste caso, ao lembrarmos que um automóvel popular tem cerca de 1,2 mil fixadores, enquanto uma motocicleta de cilindrada em torno de 150 possui média de 300 desses artefatos de fixação, fica muito claro a importância dessas medidas, inclusive quando multiplicamos estes números pela produção nacional. Em 2011, por exemplo, esses dados giraram em torno de três milhões de veículos automotores, sendo que o segmento duas rodas ficou perto de dois milhões (de unidades emplacadas). Isso sem citar a pujança dos demais setores industriais como o mercado de reposição, Oil & Gas, naval, metroferroviário, máquinas agrícolas e industriais etc. Relembrando a frase “você não vê, mas nós estamos aí”, tem parafusos até em saltoalto de sapato feminino.

 

Mais mudanças a caminho na ISO 898-1

 

Por Phil Matten

O doutor John Newnham, Fastener Specialist for the Confederation of British Metalforming, prevê efeitos significativos para os fabricantes e distribuidores de fixadores. Aqui, ele explica porque acredita que as empresas do ramo precisam estar atentas para as implicações da próxima revisão da norma ISO 898-1. 

Os fundamentos mecânicos de propriedade para os parafusos de carbono e ligas, que identifica os graus de força, tipos de materiais admissíveis, e os testes necessários e métodos são ISO 898-1. Este padrão não é usado apenas para definir as propriedades de parafusos padrão ISO, parafusos e pregos, mas é chamado em inúmeros desenhos exclusivos. A última versão da norma foi publicada em 2009, mas, infelizmente, um número substancial de mudanças já foi acordado e é provável que um novo padrão, completo, poderá ser emitido em breve. 

A edição de 2009 foi bastante controversa e vários aspectos chamaram comentários negativos. Como resultado, o Comitê Técnico ISO 2 sub-comissão de 11 elaborou alterações para o documento a ter em conta os problemas percebidos. As mudanças são tão extensas que têm recomendado republicação da norma ISO 898-1. 

As alterações propostas incluem algumas revisões técnicas, bem como numerosas revisões editoriais de esclarecimento e atualizações habituais sempre que necessário, em matéria de normas de referência. A ISO recém acordada pratica de não datar os padrões de referência, por isso, a última edição de qualquer norma citada aplica-se agora. 

Uma série de modificações técnicas se preocupa com as definições e avaliação de carborização e descarborização. Existe uma nova nomenclatura de condição de superfície, a descarburização ferrítica, e existe também uma clarificação de não-carburização, que se aplica aos graus de resistência 8.8 e superiores, pois testes previamente definidos não são viáveis para os graus mais baixos de força. Há também uma revisão da maneira que estas condições são avaliadas por testes de microdureza e metalografia. 

Uma significante preocupação são, também, os aumentos para os máximos e mínimos valores de dureza Brinell para as classes de propriedade 8.8 e acima. Dado que a nova filosofia ISO relativa às normas atualizadas é que a última edição se aplica, essas mudanças podem resultar em partes na ação que não cumpram as novas exigências, e em um país, pelo menos, isso já não seria aceitável.

Informações sobre o CBM: www.britishmetalforming.com.

Phil Matten é editor da revista Fastener + Fixing
phil.matten@fastenerandfixing.com
 

 

União Europeia amplia direitos antidumping sobre
elementos de fixação em inox

 

Concluindo o seu reexame de caducidade, como esperado, a União Europeia emitiu o Regulamento 2/2012, em 7 de janeiro, que institui direitos antidumping por mais cinco anos em determinados fixadores em inox e similares, originários da China e Taiwan

 

Por Phil Matten

A revisão foi solicitada pelo European Industrial Fasteners Institute, em nome de cinco produtores, que representa mais de 25% da produção total de fixadores em inox da União Europeia (UE). Estes reexames apenas consideram se uma remoção das atuais medidas antidumping resultarão em uma repetição do dumping em que as medidas iniciais foram baseadas. Nem o escopo dos produtos envolvidos, nem os níveis de impedimento desta prática podem ser modificados como parte do processo de revisão. Este pedido ficou limitado às importações da China e Taiwan. As tarifas aplicadas, anteriormente em vigor sob o Regulamento 1890/2005 sobre os materiais importados do Vietnã, Indonésia e Tailândia, foram encerradas no final de 2010. 

Os exportadores chineses se recusaram a cooperar na investigação. De 36 empresas de Taiwan que vieram para a frente dessa averiguação foram selecionadas quatro. Uma, posteriormente, retirou-se, mas as três restantes foram julgadas por representar 41,6% das exportações de parafusos feitas pelo País. A investigação concluiu que as exportações ainda foram objeto de dumping e que havia uma probabilidade de continuação se as medidas fossem removidas. Considerando determinados níveis de capacidade ociosa existentes, o inquérito foi mais longe ao considerar que não parecia haver um incentivo para os exportadores a fim de aumentar os produtos enviados para a UE, se a medida de corrente viesse a caducar. 

Esta vistoria considerou que, durante o período sob análise, as importações provenientes da China e Taiwan aumentaram 3% em comparação a 2007 e em até 43% comparado a 2009. O regulamento também identifi ca aumento dos produtos importados particularmente da Índia, Filipinas e Malásia. Logo, enquanto o consumo da UE permaneceu estável durante o período, fabricantes da região perderam 25% do volume de vendas aos mercados locais. Ele avalia que os indicadores de prejuízosofrido por produtores europeus “evoluiram negativamente” com a rentabilidade entrando no negativo. 

“A situação da indústria da UE”, conclui o regulamento, “permanece vulnerável. Se a indústria deste grupo econômico ficou exposta aos volumes crescentes de importações destes países, em preços de dumping, provavelmente resultará em uma maior deterioração de suas vendas,participação de mercado, preços de venda, bem comouma conseqüente deterioração de sua situação financeira.Conclui-se que a revogação das medidas seria, com toda a probabilidade, um agravamento da situação, que por si já é frágil, e uma continuação do prejuízo material para a indústria da UE”. 

Direito antidumping foi, portanto, confirmado para elementos de fixação em aço inox e outras peças nos códigos NC: 7318 12 10, 7318 14 10, 7318 15 30, 7318 15 51, 7318 15 61 e 7318 15 70, originários da China e Taiwan. Salvo disposição em contrário, isso é aplicável por um período de cinco anos. Com exceção dos exportadores especificados no regulamento e concedidos os níveis de direitos individuais, a taxa deste direito sobre as importações da China continua em 27,4% e de Taiwan em 23,6%. 

Cópia em PDF do Regulamento 2/2012 pode ser obtido no site do Comércio da UE: http://trade.ec.europa.eu/doclib/docs/2012/january/tradoc_148952.def.en.L5-2012.

Phil Matten é editor da revista Fastener + Fixing
phil.matten@fastenerandfixing.com

 

Curso na Metalac

Com o objetivo de habilitar profissionais a entenderem o mecanismo envolvido em juntas rigidamente fixadas por parafusos, além de conhecer conceitos básicos para cálculo, dimensionamento e aplicação, a Metalac anuncia seu tradicional curso "Cálculo e Dimensionamento de Juntas", para os dias 26 a 30 de março. Este curso deve ocorrer novamente no segundo semestre de 2012.

Informações: (15) 3334-3586 - Cláudia Fabri (cfabri@metalac.com.br)

 

 Gerdau lança Aço Patinável para o segmento de fixadores

Mais comum em aços planos (chapas), o Aço Patinável, oubCorten, acaba de ser desenvolvido pela Gerdau para aços longos especiais. A sua aplicação é utilizada principalmente em construções industriais que não necessitam de acabamento superficial ou pintura e que serão submetidas ao constante processo de desgaste e abrasão. 

Pertencente da família dos aços para construção mecânica do tipo estrutural, o Aço Patinável vem para proporcionar o aumento da resistência à corrosão aliada à alta resistência mecânica, atendendo aos requisitos da especificação ASTM A325. A partir de uma fina camada de óxido de cor avermelhada, aderente e protetora, conhecida como pátina, que se forma na superfície da estrutura quando exposta aos agentes corrosivos presentes no meio ambiente, reduz e impede a propagação da corrosão nas camadas mais subsuperficiais do material base. Essa camada é resultante da adição de teores de cobre em sua composição química, tornando o produto três vezes mais resistente se comparado a um aço comum. A maior dificuldade para a especificação de perfis estruturais utilizando este aço no Brasil era a falta de fornecedores nacionais para as conexões, porcas e parafusos. Com este desenvolvimento, a Gerdau promete viabilizar esse tipo de construção tanto nos perfis estruturais quanto no fornecimento de barras e fio máquina para a fabricação de porcas, parafusos e conexões.

 

 Mudança da Bolts Machines

Na cidade de Itatiba - São Paulo, cerca de cem quilômetros da capital, localiza-se a nova sede da Bolts Machines Comércio de Máquinas Ltda. O atual endereço, ativo desde 2008,     funcionava apenas como depósito, passando agora a ser o ponto de vendas oficial. 

Dirigida por Darlan e Neusa Novaes, a empresa é especializada em intermediações, compras e vendas de máquinas industriais usadas. “Nossas linhas abrangem máquinas de usinagem e máquinas de conformação mecânica a quente e frio, utilizadas, principalmente, na produção de parafusos, porcas, pinos, rebites e outros. Por isso, devido a nossa grande atuação, detectamos e geramos muitos negócios para clientes de norte ao sul do Brasil”, explica Darlan. 

Segundo ele, atuante há mais de três décadas no ramo, não é mais tão vantajoso ter um ponto comercial neste segmento dentro da cidade de São Paulo. “Serviços como telefonia, internet e propaganda impressa, mesmo estando aqui em Itatiba, suprem as necessidades no nosso relacionamento com o mercado. Além disso, o deslocamento ao município é muito fácil, sobretudo em função do Rodoanel”, afirma o diretor.

 Nissan anunciou recall para Frontier

A Nissan do Brasil convocou 35.280 proprietários da picape Frontier para inspecionar o torque do parafuso da junta da coluna de direção e também dos parafusos da trava do capô. Recentemente, foi detectado um mau funcionamento na junção da coluna e da caixa de direção, que pode levar ao desgaste do encaixe estriado e, assim, diminuir a sua durabilidade com o uso em condições severas. Em casos raros, pode ocorrer uma falha mecânica da direção, podendo gerar a perda do controle do veículo e eventual acidente. Após a vistoria, a Nissan trocará a junta da coluna e, se necessário, a caixa de direção. 

Em relação ao parafuso da trava do capô, a empresa identificou que não houve a aplicação do torque necessário em algumas unidades o que, em alguns casos, pode ocasionar a abertura do capô com o veículo em movimento podendo causar acidente. A inspeção verificará se há necessidade de aplicação do torque correto ou se os parafusos deverão ser substituídos. As unidades convocadas foram produzidas desde 2007. Todos os proprietários com veículos deste recall serão contatados por meio de carta. Informações: 0800 011 1090 ou pelo site www.nissan.com.br.

 

ABRACO  Lamenta perda de seu gerente administrativo

                                                                                                                  

É com grande pesar que comunicamos o falecimento do Sr. Walter Marques da Silva, gerente administrativo da ABRACO – Associação Brasileira de Corrosão, ocorrido em fevereiro de 2012. Walter era formado em Administração de Empresas e atuou por 35 anos na instituição, contribuindo para o seu bom crescimento e gerenciamento. Além de ser responsável pelo controle financeiro e econômico da associação, ainda fazia parte da realização de eleições dos conselhos deliberativo, fiscal, assembleia e diretoria executiva. Walter sofreu um acidente domiciliar e chegou a quebrar o fêmur, porém, após realizar cirurgia de correção no hospital, contraiu uma pneumonia que o debilitou aos poucos. Estava internado desde outubro de 2011 e veio a óbito no dia 02 de fevereiro deste ano. Amigos e funcionários a ABRACO o viam como exemplo não só profissionalmente, mas também como grande amigo e precursor de grandes ensinamentos, lamentando o ocorrido.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com