Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 32
Busca::..
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Editorial
18/06/2012 11h13

EDITORIAL


A culpa é do sofá

 

Em 1994, o técnico da seleção brasileira de futebol Carlos Alberto Parreira disse: “Evitar que pessoas falem bobagens é como tentar segurar água com as mãos”. Neste período, se alguém no elenco brasileiro escorregasse em uma casca de banana a culpa era imediatamente atribuída ao treinador. No futebol sempre foi assim. Faz parte do show. 

Hoje, quando alguma dá errado na indústria brasileira, como escorregar na casca de banana, a culpa é das importações do mercado asiático. 

Quando descobre-se a existência de alguma prática ilegal, como destacou nosso entrevistado, Domingos Mosca, como importações irregulares ou dumping, rigor neles, seja sua origem asiática, europeia, norte-americana etc. Em contraste com o “a culpa é dos outros”, em janeiro último, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro - Firjan - divulgou um estudo comparando o preço médio (convertido em Real) pela energia elétrica em alguns países (conforme tabela).

Mais uma vez fica claro que a desvantagens nos preços nascem aqui. 

Em outro exemplo, recentemente publicado no jornal Folha de S. Paulo, um colunista apontava comparativos no preço de um fogão, fabricado no Brasil em 2003, no valor aproximado de R$ 300. Neste período, o similar feito nos EUA custava US$ 100. Com o câmbio deste ano dava para equilibrar a briga. 

Segundo o autor, com a inflação até 2011, este fogão custava cerca de R$ 590, e o americano US$ 122. Mesmo que o câmbio ainda fosse equivalente ao de 2003, nosso fogão estaria uns R$ 200 mais caro. 

Tudo isso lembra a piada sobre o sujeito que, ao chegar em casa, encontra a esposa com o amante no sofá. Traído e indignado, ele manda trocar o sofá.

100 anos de Von Braum - Março é o mês do centenário do nascimento de Werner Von Braum, cientista alemão. Visionário, Braum foi um dos principais nomes da chegada do homem à lua, onde a fixação, certamente, foi decisiva.

100 anos de Jonh Cage - Neste ano também se comemora o centenário de um renomado músico e compositor do século XX que, apesar de muitos não conhecerem, criou diversas obras para piano a partir da inserção de parafusos entre suas cordas, atribuindo ao instrumento clássico um som peculiar, em matéria que você poderá conferir nesta edição.

 

 Boa leitura!
Sérgio Milatias
mailto:milatias@revistadoparafuso.com.br


 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com