Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 19
Busca::..
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Case
30/12/2009 01h18

2010  O ano da Esperança

No ano em que alcança seu primeiro quarto de século, a Esperança Forjados e Usinados de Precisão consolida seu sucesso com soluções criativas e tecnologia de ponta

Sediada no município de São Bernardo do Campo, no grande ABC (coração da indústria automotiva brasileira), a Esperança Indústria e Comércio de Forjados e Usinados de Precisão nasceu com uma proposta: atender a demanda específica de parafusos e porcas de roda de alta resistência e peças especiais. Com esta missão, em 1985 foi fundada a empresa que honra o seu nome. Segundo o diretor Hans Rudolf Kittler, é com esperança que ele move a sua vida e conduz a empresa que hoje tem mais de 60 funcionários em uma  área de cerca de 5 mil m2., dentre eles, os responsáveis pela Engenharia, Hitoshi Kumano; Departamento de Comércio Exterior, Sílvia Vieira Marques e Gerência Comercial, César Kimio Nagashima.

“Começamos com três pessoas na equipe e hoje posso dizer que o que depende de nós temos feito com excelência que é a qualificação interna da nossa mão de obra e a precisão da nossa produção. A carência que mais sentimos no mercado é a qualidade da matéria-prima, o que nos faz recorrer às importações”, afirma. Ainda sobre as dificuldades enfrentadas por quem gera empregos, “o governo brasileiro precisa apoiar mais a logística para fazermos frente a outros blocos econômicos”, ressalta o diretor. De acordo com Kittler, a ausência de matéria-prima elaborada impede a confecção econômica de certos produtos como peças para câmbio, motor e outras  peças denominadas “críticas” no setor automotivo, onde atuam como Second Tier Supplier. “Cada produto exige um material apropriado para sua produção. Não podemos  continuar forjando peças para motor utilizando o mesmo aço desenvolvido para o mercado de construção”, enfatiza. 
 

    
                 Hans Rudolf Kittler (Diretor)

Porém, não é este o fator que o impede de gerar  soluções criativas para atender o mercado. Com uma ampla gama de produtos, a Esperança atende hoje a indústria no geral, fornece para montadoras nacionais e mercado de reposição interno e internacional, produzindo peças forjadas e usinadas de precisão. Uma das marcas da empresa é a Rodafuso, família de conjuntos para fixação de rodas: parafusos, porcas, arruelas, destinadas às linhas automotiva leve e pesada.
                                                                                                                            

Na linha de motores fabrica bomba manual para bomba injetora diesel, capas ou luvas de bicos injetores para motores Mercedes e Volvo. Para a linha industrial produz parafusos Allen de cabeça cilíndrica, métrica e polegada. De acordo com o diretor, vários são os diferenciais da produção. Em prensas horizontais (de até quatro estágios) e verticais eles fabricam peças diversas que podem ir de 14mm de diâmetro a 50mm, com pesos de 150 gramas a 2,9 Kg por conformação a frio de precisão. A empresa também possui centros de usinagem com controle numérico computadorizado (CNC), visando entregar ao cliente peças totalmente acabadas.   “Produzimos mais de 150 toneladas de diversos itens forjados e usinados em CNC, além de desenvolver projetos de peças com simulação por elementos finitos. Detemos total domínio para fabricação pelo processo de forjamento a frio e a morno”, detalha Kittler.


Inédita no Brasil: Máquina para corte utilizando serra diamantada

Atualmente, a empresa exporta parte de seus produtos diretamente para a América do Sul, Central, África, Estados Unidos e indiretamente atende vários países como o Oriente Médio e Europa. No Brasil, a Esperança tem um representante em cada Estado para atender o mercado de varejo e os distribuidores.


Centros de Usinagem  
                                                        
Inovadora, a empresa também busca e aplica a mais alta tecnologia nos processos de lubrificação das peças durante o forjamento, através de sistemas desenvolvidos e utilizados nos países mais avançados neste setor. Atualmente, a Esperança já dispõe em funcionamento uma moderníssima máquina, específica para corte utilizando serra diamantada para alumínios em perfis, aços chatos, quadrados e redondos, especialmente para corte de aços inoxidáveis. “Ela faz corte preciso de tarugos, com volume de precisão sem deixar rebarbas. Com isto, é possível 100% de  aproveitamento da peça”, revela Kittler.
           


Para 2010, o diretor espera que as indústrias sejam mais incentivadas, investirá em desenvolvimento sustentável e pretende lançar no mercado um sistema que indica quando a porca está folgada e o tempo ideal para fazer a manutenção.


Hitoshi Kumano (Engenharia), Sílvia Marques (Comércio Exterior) e César Nagashima (Gerente Comercial)

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com