Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 19
Busca::..
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Balcão
30/12/2009 02h28

 Empresa cearense capitaliza experiência paulistana

Empresa cearense capitaliza experiência paulistana


Cristian Beltran Sposito (foto ao lado) realizou o sonho de muitas pessoas: virou seu próprio chefe. Após oito anos como representante da Belenus do Brasil Ltda, resolveu abrir a CBS Parafusos, localizada na Avenida Bezerra de Menezes, a principal de Fortaleza. "Comecei atuando na região de São Paulo e depois de muitas tentativas para achar um representante no Nordeste, acabei me mudando e conquistei o cargo de gerente regional, visitando clientes da Bahia ao Maranhão. Há oito meses resolvi investir na loja de ferragens e parafusos", conta Sposito. Acostumado a "buscar" clientes quando trabalhava em São Paulo, o diretor seguiu o mesmo procedimento em Fortaleza, que segundo ele é o seu grande diferencial. "Aqui as empresas esperam o cliente procurar pelo serviço. Eu já faço o ‘corpo a corpo’, visito indústrias, construtoras e até pequenos estabelecimentos. Também prezo um bom atendimento, passo cotação e verifico se o preço está de acordo com a necessidade do cliente,iniciativa que os empresários daqui não tem", revela.

De olho na Copa do Mundo de 2014, Sposito acredita que este relacionamento com o mercado será fundamental para atender a demanda no setor de construção daqui cinco anos. "Os nossos concorrentes só vendem para indústria ou para o balcão. A CBS atinge todos os públicos, comprando e redistribuindo os itens de fixação. Ao todo temos 5 mil itens no estoque, incluindo toda a linha de parafuso (zincado, sextavado, inox, polido, latão, entre outros) e complementos como gonzo, roldana de portão, disco de corte e solda".  O faturamento da empresa supera a expectativa do diretor. Com menos de um ano de vida, já registra em média R$ 100 mil por mês em termos de venda e atende clientes importantes como Aço Cearense, Grendene, Viação Fortaleza, Ypioca, entre outros. 

          

E os planos de Sposito não são modestos. "Para 2010 pretendo no mínimo dobrar esse número. Para isto, tenho a previsão de contratar pelo menos 12 representantes, aumentar o número de visitas aos clientes, fechar parcerias e traçar uma estratégia de atuação no interior do Ceará". O diretor é formado em administração pela Fundação Santo André (SP) e hoje conta com o apoio de oito funcionários internos e sete representantes. "Tenho 12 anos de experiência na área de parafusos e posso dizer que o meu maior desafio até hoje foi mudar a maneira de pensar, parar de ser vendedor para me tornar administrador", finaliza.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com