Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 79
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Editorial
18/02/2020 03h05



 Editorial 

Janus Perspective: 2019-2020

Nesse início de ano, tal como em 2018, a britânica Fastener + Fixing Magazine, publicação impressa e eletrônica, insere textos de profissionais do setor de fixação de vários países. Entre esses contributors estão Volker Lederer, da EFDA (associação europeia de distribuidores), Mark Belton, Trifast (fabricante e distribuidora), Thomas Christoffel (Hatebur/Carlo Salvi) e Enrico Brigatti (Sacma Group) e outros. Janus Perspective é o nome dessa seção, composta de artigos analíticos sobre ano que se foi e o ano que chegou, sob a ótica econômica.

Fonte etimológica do nome janeiro, Janus é o mitológico deus romano das mudanças e transições, e que tem o poder sobre todos os começos. Janus é simbolizado sob uma figura de duas faces, cabendo à face com olhar à esquerda a imagem de um homem velho, representando o ano que se foi. Já a outra face é a mais jovem e com o olhar para a direita, que é o ano novo.

Os textos sobre 2019 devem orbitar, especialmente entre as nações europeias, sob um ano estagnado e/ou de pouca expansão. Os recentes textos abordados na seção Europa News, dessa RP, já têm trazido análises do tipo “apesar, ou em função do confronto comercial China x EUA os resultados foram baixos”, ou nem isso. Já pelos lados de EUA houve queda sim, algo esperado para quem decidiu brigar. Mas EUA continua bem, obrigado. Mesmo sendo uma economia liberal e madura, eles têm crescido tal como “um certo país emergente, de língua portuguesa, deveria crescer”.

E o tal país que fala português está indo bem ou não? Depende do ponto de referência.

Todo mundo sabe que os nossos resultados têm sido tímidos, mas animadores, sobretudo porque a máquina estatal não é mais a fonte propulsora (e anabólica) da economia, como foi nos governos de 2003 a 2014. Esse papel, felizmente, está protagonizado pela iniciativa privada e de economia liberal. Aliás, o termo liberal é totalmente dispensável, pois, está intrínseco no substantivo economia.

Boa leitura!
Sérgio Milatias

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com