Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 18
Busca::..
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Senafor
30/10/2009 03h20

Eventos

 

Senafor 2009: evento internacional sobre forjamento

      

 

Durante os três dias de eventos foram apresentados 60 trabalhos relatando experiências vividas por especialistas do setor

 

 


Com a cooperação do Laboratório de Transformação Mecânica (LdTM) e do Sindicato Nacional da Indústria de Forjaria (Sindiforja), a Fundação Luiz Englert realizou em Porto Alegre (RS), entre os dias 14 e 16 de outubro, o 29º Senafor, evento anual que promove simultaneamente a 13ª Conferência Internacional de Forjamento e a 12ª Conferência Nacional de Conformação de Chapas. Neste período, todo o conteúdo apresentado tem como principal objetivo promover o conhecimento sobre experiências e novas tecnologias no setor. O evento foi aberto pelo ilustre presidente da Comissão Organizadora Senafor - Lírio Schaeffer.

No primeiro dia foram realizadas visitas técnicas nas empresas Dana e Mundial S/A, em Gravataí, Aços Favorit e THF Cachoeirinha (RS). Nos dois dias seguintes foram apresentados 60 trabalhos, sendo 26 durante a Conferência Nacional de Conformação de Chapas e 34 na Conferência Internacional de Forjamento. Durante as palestras especialistas em manufatura por forjamento expõem, em síntese, experiências vividas em meio à busca de aperfeiçoamento e avanços produtivos, além de ações preventivas e corretivas. Ao final do evento foi realizado um treinamento em Simulação Numérica Computacional, oferecido pela Simufatc Américas.

A palestra inicial foi realizada pelo vice-presidente do Sindicato das Indústrias de Parafusos e Similares (Sinpa) e presidente da Ciser Parafusos e Porcas, Carlos Rodolfo Schneider, que, brilhantemente, abordou o tema “Questões Conjunturais X Questões Estruturais”. Nela, o palestrante apresentou diversos slides, contendo gráficos e demais informações, retratando o atual cenário econômico brasileiro, dentre eles, ao comparar, por exemplo, o Brasil com a China (dois “Brics” , ao lado de Índia e Rússia) mostrou que no primeiro a produção está a serviço do sistema financeiro, e no outro, ao contrário é o sistema financeiro que rema na direção da produção.

Foram apresentados números de antes, durante e depois da recente crise, entre outras, a alarmante redução na participação da indústria brasileira na composição do produto interno bruto (PIB), problemas na taxa de câmbio etc., além da necessária ampliação dos investimentos em infra-estrutura e das reformas estruturais, que tanto aguardamos. “Segundo Schneider, este cenário demonstra o quanto a classe política parece não compreender a urgência destas ações, ao observar, por exemplo, que o Congresso  Nacional (hoje a “maior empresa brasileira”) só aumenta despesas ao empregar, por exemplo, cerca de 27 mil pessoas. Ao recuar diante destas reformas ditas “antipáticas”, mesmo sendo necessárias, os políticos demonstram pensar apenas na “próxima eleição”, em detrimento das “próximas gerações”. 

Lembramos que só o poder Excecutivo no Brasil tem a prerrogativa de realizar cerca de 20 mil nomeações (entre cargos de confiança, empresas estatais etc.), sendo 15 mil a mais que nos Estados Unidos, país, que dispensa apresentações, com PIB de 14 trilhões de dólares – quase dez vezes o brasileiro e população superior em cerca de 100 milhões.

Em seguida aconteceu a entusiasmada e bem humorada palestra “Inovação - Caminho para o Crescimento”, apresentada por José Antônio Fernandes Martins (dir.), presidente da Associação do Aço do Rio Grande do Sul e vice-presidente da Marcopolo, fabricante de carrocerias para ônibus. Muito articulado, atuante numa indústria que emprega mais de 13 mil pessoas, ele citou diversos casos de inovação que findaram em sucesso, dentre elas as empresas Southwest, Gol, Dell Computadores, Body Shop, Circo de Soleil e outras.  Apresentou também exemplos da própria Marcopolo relacionados ao micro-ônibus Volare, que segundo ele numa importante fase do desenvolvimento desse veículo de locomoção, parte fundamental das informações foram coletadas em terminais rodoviários e pontos de ônibus, com dados fornecidos por pessoas (passageiros) que realmente usam esse meio de transporte no dia-a-dia. Porém, alertou que ao pesquisar não basta apenas perguntar e se basear diretamente pelo teor das respostas, pois muitas necessidades não são exteriorizadas de forma clara. “Temos que descobrir a necessidade, além da opinião direta do pesquisado”, concluiu Martins.


Jackson F. Dal Comuni                                                                              

Ciser Parafusos e Porcas - Joinville/SC

“Otimização do Projeto de Matrizes de Forjamento a Frio Através da Simulação Numérica por Elementos Finitos

O palestrante – e um dos autores, ao lado de Rafael G. König e Sandro L. A. Roseira – apresentou um estudo onde a simulação numérica, através do software Eesy- 2-Form, foi de suma importância para a solução de um grave problema, onde ocorriam quebras excessivas de matrizes durante o forjamento de parafusos sextavados e flangeados – peças destinadas para máquinas lavadoras de roupas. “Através da simulação, que traz como grande vantagem a realização de um try-out virtual, verificamos se as dimensões do núcleo – das capas e interferência de montagem da matriz –, estavam adequadas em relação a pressão interna durante o forjamento”. Após o conhecimento dos resultados da simulação, foram confeccionadas matrizes de acordo com a nova configuração do projeto, com duplo encarcaçamento, em substituição ao anterior, e problemático encarcaçamento simples. Após as adaptações e colocação em pleno funcionamento, o rendimento subiu vertiginosamente de 5 mil para 150 mil peças por matriz.

jackson.comuni@ciser.com.br

 

Arjan Buijk
 
Simufact-Americas (USA)
 
“Otimização do processo de forjamento a frio baseado em simulação numérica, para aumento da vida de ferramenta, usando o software Simufact.forming”
                                                                                                                                                                 
Nesta palestra foi apresentado um “estudo de caso” de um cliente da Simufact, interessado em otimizar um determinado processo de conformação a frio, visando melhorar a qualidade da peça produzida e reduzir o esforço excessivo feito pela prensa sobre a matriz num dos estágios. Através de uma interação com o cliente, a empresa modelou o processo existente no software Simufact. forming e numa primeira fase reproduziu os resultados obtidos com o processo existente. Em seguida, algumas alterações nos estágios intermediários do processo foram simuladas escolhendose aquela que propiciou uma redução dos esforços na prensa no 5º estágio com um aumento aceitável dos esforços no 6º estágio. Conseguiu-se assim, de forma simples, ágil e a um custo bastante baixo, desenvolver um processo otimizado de conformação da peça, conferindo maior qualidade ao produto final e ao mesmo tempo aumentando a vida útil das matrizes e da própria prensa.”
 
 
 

Dr. Gerard H. Arfmann

CPM GmbH (Alemanha)

“Validação das simulações de forjamento. Exemplos de aplicações industriais”

Doutor pelo Instituto de Conformação Mecânica, da Universidade de Aachen, Alemanha, Gerhard Arfamnn chamou a atenção para que as simulações numéricas atinjam resultados eficientes é de fundamental importância acumular o maior número de informações possíveis, recomendando, inclusive, a participação de profissionais que tem o conhecimento empírico dos processos, mesmo que estes não tenham domínio científico do assunto, evitando assim situações inesperadas.

Ressaltou a importância em verificar, por exemplo, a “constância durante a simulação”, sendo que uns programas mostram, outros não. A CPM GmbH, dirigida por Arfmann, é fornecedora dos software Eesy, que segundo o site é o “sinônimo para o estado da arte em softwares de simulação numérica”, para desenvolvimento de processos de forjamento a frio ou quente. Segundo ele, o software foi desenvolvido (em 1997) para conformação de titânio, destinado ao setor aeronáutico.

Além do softwares a empresa oferece serviços de consultoria, transferência de tecnologia, investigação e desenvolvimento, tendo como filosofia a aplicação dos resultados das últimas investigações às soluções práticas bem como na solução de simples problemas diários. Além disso a empresa participa de diversos grupos de trabalho de organizações industriais, sendo membro da “German Fasteners Association (Deutscher Schraubenverband [DSV])”, entre outras, visando introduzir inovações técnicas para as empresas produzirem melhor. Vale observar que o software Eesy-2-form foi citado em artigo, aqui publicado (Mário J. Soares e Cássio A. Suski, “O Auxílio da Ferramenta de Elementos Finitos na Fabricação de Peças Furadas por Conformação Mecânica”, Revista do Parafuso, ago./set. 2007, p.12-17).

Posteriormente, ele também apresentou a palestra “Sakamura/FW uma Ferramenta para Projeto”, onde relata que este software, antes exclusivo para clientes Sakamura, realiza cálculos de volumes, dimensionamento, pressão na matriz, entre outros. Ainda informou que poderá integrar os dois software no futuro.

 
 

Emílio Bucci

Henkel Diadema/SP

“Bonderlube FL uma nova forma de visão de tratamento de superfície”

O Bonderlube FL, produto patenteado pela Henkel, é destinado à lubrificação em processos de forjamento (conformação) a frio. Ele proporciona redução de oito para apenas uma etapa dentro do processo de lubrificação, em comparação com a fosfatização, informou Emílio Bucci, gerente ATMetalforming da Henkel Itália. Por meio desta operação, é criada uma camada de pré-tratamento lubrificante nas peças a serem conformadas, que proporciona uma proteção anticorrosiva. Esta película confere liberdade de programação entre a aplicação do revestimento e o processo de forjamento, não sendo mais necessário realizar o forjamento logo após o revestimento, como acontece atualmente nos processos convencionais. Além disso, devido à diminuição de banhos, há uma significativa redução no custo da operação e logística, além do benefício ambiental, uma vez que também elimina o tratamento dos resíduos dos banhos convencionais que necessitam de atenção especial por contas dos metais pesados.

 www.henkel.com.br

 

Peter Zwez

ZWEZ - Chemie GmbH (Alemanha)

“Conformação a frio – diminuir custos, melhorar a qualidade através de sistemas de lubrificação inéditos”

A Zwez é especializada em sistemas livres de óleos para a lubrificação na conformação a frio. Estes sistemas otimizam a conformação a partir de blanks e arames, em aços e alumínio. Por otimização, a empresa propicia uma significante melhoria e eficiência. De acordo com a situação inicial, podem ser obtidos 1) redução de até 20% nos custos para ferramentas e operação do sistema; 2) redução de 20% até 60% nos custos para produtos e eliminação de resíduos. Este potencial da Zwez é resultante de contatos da sede na Alemanha, com os seus clientes internacionais, universidades e, também, com associações especializadas como o ICFG (International Cold Forging Group) e outras organizações correlatas. As informações são coletadas de forma sistemática, analisadas pelos especialistas e comparadas com atuais inovações e experiências do laboratório da Zwez, resultando em novos produtos, tecnologias e concepções. Este “padrão mundial” definido e, a todo momento, disponível é adaptado individualmente para cada cliente. Para isto é feito uma análise local pelo técnico da empresa, em conciliação com o cliente, para estabelecimento dos objetivos, visando a solução de problemas específicos e melhorias. Estas informações percorrem um processo na sede da Alemanha, sendo que o resultado estará à disposição do cliente em curto prazo. Para a realização deste trabalho junto ao cliente, um técnico local, com auxílio da sede alemã, disponível gratuitamente.
Paolo Bellotto Eldes

Eldes (Itália)

‘’Nova Geração de Sistemas de Controle para Processos de Conformação”
 
                                                                                                             
O engenheiro italiano Paulo Bellotto apresentou uma linha de sistemas para controle de processos em tempo real, aplicados em conformação de metais, baseados na medida da força aplicada. Estes sistemas, dotados de hardware e software, conjugados a sensores piezelétricos e aplicados nas partes essenciais da prensa, propiciam aquisição de dados que, durante o pleno funcionamento, indica variações de força. Desta forma, quando o sistema detectar disfunções momentâneas (mal funcionamento, final da matéria-prima...) é possível enviar sinais de alarme, travar a máquina etc. A ausência destes tipos de controles podem refletir em defeitos na produção e quebras de ferramentas, além das inconvenientes paralisações da produção. Estes sistemas podem funcionar tanto em prensas de conformação, quanto em laminadoras de rosca, indicando permanentemente a força aplicada em cada estágio e enviando-os através de sinais de 4 a 20 miliamperes para o aparelho local. Estes dados poderão ser reenviados para uma central, que coletados, podem se transformar em valiosas informações, inclusive para a Gerência de Produção e de Logística. Belloto nos apresentou, como exemplo, uma planta industrial (via computador) onde se pode ter uma visão geral, status de cada máquina no chão de fábrica, nível de produtividade, coletivo ou por turno, quais estão, ou não, em operação.O envio das informações à distância podem ser realizadas através de cabeamento físico ou wireless, sendo os equipamentos protegidos do ruído elétrico do ambiente industrial. Outra opção interessante destes sistemas é o Gerenciamento da Qualidade, com todos os aplicativos do Controle Estatístico do Processo (CEP) integrados. De forma totalmente digital, o sistema permite a montagem dos planos de controle e avisa quando o operador deve coletar amostras e quais medições deve realizar. Usando equipamentos de medição eletrônicos, estes resultados podem alimentar diretamente o sistema, que gerará todos os relatórios desejados do CEP, os quais serão mantidos armazenados no sistema (Registros da Qualidade), podendo, inclusive, serem enviados pela internet aos clientes.
 


Lionel Abric

Transvalor (França)

“Entre na nova era da otimização automática de suas peças forjadas com o software de simulação FORGE 2009”
                                                                                                                                                           
                                                                                                                                                      
O Forge é um software para simulação digital de processos de forjamento, seja ele quente ou frio. Em 2 e 3D, apresentado, neste Senafor, sob o título de Forge2009, o produto da francesa Transvalor, líder no mercado europeu, executa simulações de todas as fases do processo de forjamento, sendo que esta versão traz como novidade um sistema de otimização automática. Segundo o técnico em Eletrotécnica, Lionel Abric, o que o torna interessante na produção de parafusos, por exemplo, é que ele também simula outras ações como, rosca, além de rebitagem e rebarbagem, propiciando detecção deproblemas com dobras ou sub preenchimento, sendo possível fazer, também, a otimização da ferramenta (aumentando sua vida útil), além da peça, desde o corte até o resfriamento. Abric também falou do Coldform, software derivado do Forge, dedicado exclusivamente para simulação de forjamento a frio.
 
 
 
Cássio Suski

SENAI (Blumenau/SC)

“Estudo dos Mecanismos de Aumento de Temperabilidade em Aços ao Boro”
 
Segundo o autor e palestrante, o boro apresenta excelente capacidade em elevar a temperabilidade dos aços de baixo e médio carbono, tem sido bastante estudado nas últimas décadas. Sua utilização iniciou de forma mais intensa nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial, visando à substituição total ou parcial dos elementos de liga utilizados nos aços – tais como cromo, vanádio, níquel, molibdênio e manganês – pelo boro, devido à escassez dos mesmos durante este período (DIGGES apud BARBOZA et al, 1996). Desde então os aços tem sido alvo de estudos com a finalidade de identificar o mecanismo de aumento de temperabilidade. No entanto percebe-se que a avaliação da segregação e precipitação do boro, que se relacionam com a variação de temperabilidade se mostra bastante difícil em razão dele apresentar um baixo número atômico (Z = 5).
 
Neste estudo foram realizados ensaios mecânicos de tração e dureza, bem como análise microestrutural ótica, eletrônica de varredura e de transmissão. Os resultados mostram que para temperaturas de austenitização, acima de 1050 C, os limites de escoamento e de resistência são reduzidos em virtude da dissolução dos precipitados. No entanto, percebe-se que nestas temperaturas existe também a presença de precipitados, que deverão ser analisados através de difração, a fim de identifica-los corretamente e determinar qual sua influência nas propriedades dos aços.
  
 
 
Dentre as diversas palestras, o Senafor é composto também por empresas que se apresentam como em feiras de negócios, gerando, ocasionalmente, um encontro entre amigos.
 
   
O professor Lírio Schaeffer exibe os exemplares dos Anais de forjamento e de conformação de chapas.
 
          
 
 

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com