Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 57
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
02/06/2016 01h51

Persona

 
 
A crise de todos e a crise particular 
 
 

Uma mesma crise atinge empresas de maneiras diferentes, refletindo a postura dos gestores ao enfrentarem o período difícil. Algumas delas enxergam a oportunidade de reorganizar seus métodos e estruturas, rever mercados e práticas, enquanto outras relutam e reagem minimamente. Atitude transformadora para encaminhar as decisões que permitam à empresa sair fortalecida da crise fará toda a diferença.

Falta de dinheiro é consequência e não a causa dos problemas. Fundamental também é estar atento aos movimentos que vem dos governos, cujos mecanismos de controle avançam e exigem das empresas um grau crescente de seriedade e profissionalismo. Práticas antigas estão com os dias contados e terão fortes impactos sobre as empresas.

Ao longo dos anos convivi com empresas iniciantes que prosperaram e vi muitas que eram fortes fecharem. Concluo que estar bem é diferente de ir bem.

Gestores e, principalmente, os donos, são solitários para tomar decisões. Donos também estão emocionalmente ligados às suas empresas, e nas crises severas como a atual o apoio externo é muito importante.

No início de 2016 desliguei-me do segmento de fixadores para atuar como consultor na RGF & Associados, a primeira consultoria, no Brasil especializada em atender empresas de donos. Fundada por Ricardo Gambarotto e Gian Filli, a RGF acredita que os donos enxergam com ressalvas a eficácia das consultorias tradicionais. E preferem lidar com profissionais com vivência prática para recomendar ações para seus desafios.

Ao se relacionar com os donos de empresas a RGF prioriza:

• Respeitar os princípios e características de sua administração;

• Respeitar seu tempo e seus recursos;

• Ouvir o que tem a dizer antes de ter respostas prontas;

• Trabalhar tão duro quanto eles;

• Entregar o contratado, pelo valor acertado e sem pendências;

• Atuar com uma equipe de consultores “sênior” com experiência prática em Gestão.  

A RGF & Associados apoia os donos com serviços de consultoria financeira, turnaround, modelo de negócios, valuation e preparação para venda, associação e joint venture, reestruturação operacional, performance management, iValue (alinhar as equipes para metas e objetivos). Embora as crises tragam dificuldades para todos, a atuação nas questões que estão sob nosso controle é a maior mensagem que enviamos aos que se relacionam com nossas empresas.  

Rodolpho Georg Filho

Engenheiro mecânico pela UFFRJ e foi gestor na Gerdau e Flecha Parafusos. rodolpho.georg@rgfassociados.com

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com