Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 57
Busca::..
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Europa news
02/06/2016 01h46

Europa news

 

Antidumping: revogada medidas contra fixadores Made in China 

Instituição politicamente independente e que trata dos interesses da União Europeia (UE), a Comissão Europeia revogou em definitivo o antidumping sobre fixadores em algumas ligas metálicas produzidos na República Popular da China, incluindo alguns deles consignados à Malásia, independentemente de serem ou não declarados originários deste país. O regulamento define as decisões contra a UE através do órgão de apelação da Organização Mundial do Comércio (OMC) para este tipo de controvérsia, que circulou em 18 de janeiro último, afirmando: “Em vista dos resultados, a Comissão considera que, em conformidade com o artigo 1 (1) (a), da OMC, é conveniente revogar os direitos antidumping instituídos pelo regulamento n.º 91/2009, alterado pelo regulamento de execução n.º 924/2012 e mantido pelo regulamento de execução 2015/519”. Ele também afirma que “a revogação produz efeitos a partir desta data, não devendo servir como base para reembolsos de taxas cobradas antes da referida data”. A regulação entrou em vigor um dia após sua publicação do Diário Oficial da UE, removendo taxas de até 74% em 28/02/16. Uma cópia do documento poderá ser obtida no “EU Official Journal” em 24 idiomas, incluindo português.  

Antidumping: Comunicado da European Fastener Distributors Association (EFDA)

A EFDA tem se oposto a este antidumping (2009) e para as medidas corretivas de 2012, criticando, acima de tudo, a falta de transparência da investigação. Nosso setor tem sofrido com essas medidas, com altas de 74% nos preços, que distorceram desnecessariamente o mercado de fixação. De fato, essas importações da China quase desapareceram na União Europeia desde então, tornando difíceis as atividades dos importadores, que tiveram que trabalhar duro na adaptação a essas distorções. Desde que as medidas, e os 74% de taxação, entraram em vigor, em 2009, os distribuidores europeus sofreram muito tornando-se a segunda vítima do antidumping. Uma reação da Comissão Europeia às medidas terá semelhantes efeitos prejudiciais criando graves danos econômicos aos distribuidores, grandes incertezas e comprometimento de muitos postos de trabalho. EFDA instou a Comissão em não se apressar na remoção das taxas, mas para utilizar em qualquer eventualidade e prazo para redução a um nível adequado. Isso corresponderia aos princípios de um comércio livre e justo, compartilhado pela EFDA.  Dr. Volker Lederer, presidente da EFDA  

Antidumping: Comunicado European Industrial Fasteners Institute (EIFI)

A EIFI está desapontada com a revogação do antidumping do regulamento 2016/278, que anula a taxação de fixadores metálicos vindos da China e Malásia, adotadas em 2009 devido a esses países estarem praticando dumping, lesando indústrias de fixadores da União Europeia (UE). China também usou a Malásia para contornar as sanções, levando a OMC a incluir os malaios. Dumping é desleal e está sujeito às sanções sob normas da Organização Mundial do Comércio (OMC). Permitir dumping causa destruição de mercados e de suas inovações, além de falir fabricantes eficientes. Buscar abrigo na OMC significa proteger-se contra essas deslealdades. Em sua maioria, fabricantes de fixadores da UE são cias familiares de pequeno e médio porte, tem mais de 30 mil colaboradores diretos, é um setor de  alta tecnologia e precisão, sendo fornecedores essenciais em toda cadeia produtiva. Não fosse o fornecimento para setores de alto valor agregado como as indústrias automotivas muitas de nossas empresas teriam desmoronado. Sem a saudável integração diária entre fornecedores e clientes, a inovação simplesmente não acontece. Porém, a Comissão Europeia decidiu revogar devido a erros processuais de investigação encontrados pela OMC, que por sua vez não encontrou provas que os chineses não praticavam o dumping. A EIFI está empenhada em continuar apoiando nossas fabricantes para que se mantenham fortes, além de ser a favor de aberturas comerciais e concorrências, desde que sejam leais.  Anders Karlsson, presidente da EIFI

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com