Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 57
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Máquinas e Ferramentas
02/06/2016 01h45

Máquinas e Ferramentas

 

Buchas Fixamax: produtividade na comparação 

 

Na aplicação de uma bucha de plástico de uns 8 milímetros (mm), o aplicador tem antes que fazer o furo na parede com uma broca de 8mm. Quando ele colocar a bucha perceberá que, na maioria das vezes, o furo está mais largo e sem firmeza para fixar o parafuso. Muitas vezes haverá perda de tempo no retrabalho, no fechar e fazer um novo furo, mas desta vez com brocas menores (6,5 ou 7mm), obrigando-o a usar um martelo para fixar a bucha com segurança. Em muitas situações as buchas em plástico ficam soltas, girando na parede, tornando o furo largo e inseguro, o que demandará mais tempo de retrabalho. Já as buchas feitas em nylon são muito rígidas e pouco flexíveis, limitando o nível de aperto dos parafusos, que ao serem  aplicados podem romper o fundo da bucha, comprometendo a resistência.

As linhas de buchas Fixamax tem nylon na sua composição somada a um item especial que propicia maior flexibilidade ao moldar-se ao parafuso. A Fixamax garante que utilizando suas linhas de buchas (disponíveis nas medidas 5, 6, 7, 8, 10 e 12 mm) esses defeitos de aplica   ções e retrabalhos desaparecem, rendendo eficiência e ganho de tempo ao aplicador, bem como fixações com maior rapidez e segurança.

Buchas C&J Fixamax

 

Dürr Ecoclean traz um inovador equipamento a base de solventes para a lavagem de componentes pesados 

 

Empresas de tratamento térmico e de conformação de metais – incluindo indústrias automotivas, aeroespaciais e náuticas – necessitam de equipamentos eficientes em seus processos de lavagem e desengraxe. A Dürr Ecoclean GmbH, da cidade de Filderstadt, ao sul da Alemanha, fabricante de máquinas serviços e sistemas, desenvolveu um inovador equipamento de lavagem à base de solvente com ampla câmara para trabalho, a EcoCDuty. Trata-se de uma máquina projetada para cargas com dimensões de até 1250 X 840 X 970 milímetros, e pesando até uma tonelada. Operando com hidrocarbonetos ou tipos de álcool modificados, ela oferece alta qualidade de limpeza e confiabilidade em curtos tempos de ciclo. Entre os benefícios adicionais desta unidade modular citamos a excepcional facilidade de operação e seu design atraente.

Dürr Brasil Ltda.
 

Amatools traz a linha Noll de rebitadores manuais e rebites   

 

Também conhecidos como rebites cegos, a linha de Noll tem rebites com hastes em aço e corpo em alumínio, material não ferroso, o que os torna imunes em locais de oxidações e intempéries. Disponíveis em bitolas de 1/8”, 5/32”, 3/16” e 1/4” e em comprimentos entre 6 e 30 milímetros. Esses fixadores são indicados em inúmeras aplicações de diferentes materiais, como dobradiças, armários e gabinetes, carrocerias automotivas (ônibus, caminhões, carros), esquadrias em alumínio e ferro, tetos, canaletas, painéis, acabamentos, fuselagens, fogões, fornos, refrigeradores, lavadoras e secadoras, calhas, divisórias, balcões frigoríficos, oficinas, containers, bem como no uso doméstico e muito mais. Para aplicar é simples e rápido, basta unir as peças e furá-las com broca, em bitolas específicas indicadas na tabela das embalagens. Com o auxilio do rebitador Noll, aplica-se o rebite através do repuxo fazendo a haste se romper, alcançando acabamentos perfeitos e seguros.  

Amatools Comercial Ltda.
 
 

M. Shimizu e Systek lançam chave de torque digital  

 

Desenvolvido a partir da mais avançada engenharia, a chave de torqueamento Phoenix foi apresentada ao mercado na Feimec, a nova feira do setor mecânico, realizado pela Associação da Indústria Brasileira de Máquinas (Abimaq). De acordo com Mitsuro Shimizu (M. Shimizu) e Lídio Andrade (Systek) este novo instrumento de aperto apresenta como resultado o mais complexo cálculo de análise de perda de carga e força de união em um simples processo de aplicação de torque. Entre suas características, a Phoenix gera curvas de torque-ângulo com medição do ângulo por giroscópio em tempo real, bem como gerar pares X e Y com alta resolução, permitindo que o software determine a perda de carga, força tensora, e outros parâmetros de fixação.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com