Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 43
Busca::..
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Gestão & Negócios
21/01/2014 02h18

 Gestão & negócios


Nunca antes na história desse país...


...a propaganda política foi tão baixa e maquiavélica. 
As novas tecnologias de comunicação, sobretudo as redes sociais,tem servido de instrumento para a disseminação de informações falsas. Pessoas engajadas na extrema direita e extrema esquerda e alguns debilóides insistem que a melhor arma é o ataque rasteiro e mentiroso. Criam notícias deturpando e invertendo fatos ou até mesmo criando-os.

Acreditar na bancarrota da Petrobrás, como queremnos fazer crer a facção oposicionista ao governo Dilma, é tão pernicioso quanto acreditar que o céu é de brigadeiro como o governo nos quer fazer crer. Da mesma forma,acreditar que Eike Batista foi Midas e fez fortuna sozinho é tão nocivo à sociedade quanto acreditar que só ele “quebrou”. A emissora de televisão de maior audiência do Brasil é acusada pela direita de ser um instrumento do governo, enquanto a esquerda a acusa de fascismo.

Muitas das notícias veiculadas pela imprensa alternativa, seja de direita ou esquerda, seriam cômicas se não fossem trágicas para o mundo corporativo, tanto para a indústria, como comércio ou serviços.

Este é um ano político e as “mentiras” se tornarão cada vez mais presentes na mídia.

Aos gestores “muita calma nessa hora”. Equilíbrio é a palavra de ordem. Toda tomada de decisão deve ser realizada com muita parcimônia sem que se deixe levar pelas ondas do caos ou pelo brilho do arco-íris. O Brasil não vai afundar e também não será o melhor de todos os mundos. O melhor mesmo é trabalhar com afinco, otimismo e pés no chão.

Vale lembrar uma estória atribuída à lógica de Einstein: Duas crianças estavam patinando num lago. De repente, ogelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa numa fenda.A outra tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, até libertar o amigo. Quando os bombeiros chegaram perguntaram ao menino como teria conseguido fazer isso. Nesse instante, Einstein que passava pelo local, comentou: “Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz. Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados, capacita os escolhidos”.

Fazer ou não fazer algo, só depende de nossa vontade e perseverança.

Feliz 2014!!!

Hans Müller é sócio-diretor da White Oak Marketing

hans@wocs.com.br

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com