Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 40
Busca::..
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Ásia News
13/08/2013 02h39

Ásia news

 

 
 
 
 
 Brasil e China, os mais otimistas entre os BRICS
 
 
 
A quinta reunião de cúpula dos cinco países do BRICS foi realizada na África do Sul. De acordo com a pesquisa, brasileiros e chineses são os mais otimistas sobre a situação global. Contrário de indianos e russos, cos menos otimistas.
 
Segundo instituto Pew Research Center - em pesquisa realizada na primavera do ano passado na China, Índia, Rússia e Brasil (no outono) - nenhum dado tinha sido revelado na África do Sul. Enquanto a Europa e os EUA ainda estão em meio a tormenta financeira global, a ascensão dos BRICS tem atraído muita atenção. Na cúpula, os cinco países falaram sobre a criação de um novo banco de desenvolvimento, um desafio direto ao domínio do Banco Mundial e do FMI, sendo que ambos
foram dominados pelo Ocidente.
 
De acordo com a pesquisa, brasileiros e chineses são os mais otimistas sobre a situação financeira pessoal e perspectivas futuras da economia. No aspecto da condição financeira pessoal, o Brasil ocupa o topo, onde 72% das pessoas no Brasil acreditam que estão financeiramente melhor do que há cinco anos atrás. A China ocupa o segundo lugar, onde 70% das pessoas pensam o mesmo que os brasileiros, assim como os indianos que estão em terceiro lugar.
 
A Rússia ocupa o último lugar no ranking, tendo apenas 32% de cidadãos que acreditam na melhoria dos últimos cinco anos. No aspecto das futuras perspectivas econômicas para os próximos ano, o Brasil ocupa o topo, onde 84% das pessoas no Brasil acreditam que a condição econômica ficará melhor. A China ocupa o segundo lugar com 83%, Índia em terceiro com 45%, cabendo a Rússia o último posto, com apenas 31%.
 
Sobre a pergunta “Será que as próximas gerações encontrarão um bom trabalho, e alcançar mais riquezas do que os seus pais?”, 40% e 57% das pessoas no Brasil e China, respectivamente, responderam que sim.
 
 
 
A produção de fixadores na China alcançou 6,6 milhões de toneladas em 2012

Segundo informou a Sub Associação de Fixadores, da China General Machine Components Industry Association - CMCA (composta por fabricantes, institutos de pesquisa e associações relacionadas a produção de fixadores, engrenagens, transmissão, correntes, molas, metalurgia do pó, e acoplamentos) o volume de produçãoem parafusos, porcas e similares na China passou de 6,6 milhões de toneladas. Seu valor monetário aproximado foi de 65 bilhões RMB (Renminbi: a moeda distribuída pelos bancos da República Popular da China). O montante exportado no mesmo período foi de 2,49 milhõesde toneladas ao valor US$ 4,7 bilhões, enquanto seu volume em importação de fixadores ficou em 0,25 milhões de toneladas, e valor de US$ 3,1 bilhões.

 

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com