Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 40
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Brasil Offshore
13/08/2013 02h42

Eventos

 
Brasil Offshore 2013 atinge R$ 500 milhões em negociações
 
 
A sétima edição atraiu mais de 50 mil visitantes, mil marcas expostas e contou 550 encontros nas rodadas de negócios
 
 
 
 
A Brasil Offshore 2013, feira e conferência da indústria Oil & Gás, bateu recordes em negociações neste ano atingindo meio bilhão de reais em negociações. Cerca de 720 expositores participaram do evento, realizado entre os dias 11 e 14 de junho, em Macaé, município distante há 180 km da capital fluminense, que desde a década de 1970 é a sede da Petrobras para as operações na Bacia de Campos. Os números apontam que esta edição se superou em todos os quesitos, desde o volume de comercialização, visitantes e expositores. Ausente na edição 2011, a última vez que a Revista do Parafuso realizou a cobertura foi em 2009, ano em que havia 570 expositores e 49 mil visitantes, e não existiam os anexos que ampliaram o pavilhão oficial, ou seja, o crescimento foi expressivo, como tem sido este setor no Brasil. 
 
 
 
A feira é palco para lançamento de produtos, tecnologia e serviços no segmento Oil & Gás, e de acordo com dados da organizadora, a Reed Exhibitions Alcântara Machado, a comprovação da grandiosidade da feira se dá ao aumento no poder de compra do público visitante. Os números apontam que está edição ultrapassou a casa dos R$ 300 milhões, esse valor se amplia se contabilizarmos as negociações realizadas nos 550 encontros nas rodadas de negócios. De acordo a ONIP (Organização Nacional da Indústria do Petróleo) os encontros movimentaram aproximadamente R$ 200 milhões, somando esse número ao poder de compra do público alvo, a Brasil Offshore deste ano fecha o caixa na casa dos R$ 500 milhões.
 
 
                                                                                                     Lamons
 
A empresa texana Lamons investiu R$ 50 mil no evento, contou com um estande de 12 m² e a colaboração de quatro colaboradores. Após a recente compra da Cifal, fabricante paulista de fixadores, a Lamons avança cada vez mais no mercado brasileiro, tendo como destaque nesta feira sua última aquisição, a carioca Gasket, fabricante especializada em sistemas de vedação técnica, sendo ela o foco principal dentro da Brasil Offshore. De acordo com o gerente de vendas, Adelson Machado, o grupo busca oferecer aos clientes negócios integrando vedações e sistemas de fixação, diferenciando- se assim do mercado atual. “Esta junção é um enorme ganho tecnológico e prático para o cliente que pode comprar de uma só vez a solução completa”, afirma Machado, que ainda anunciou para o próximo semestre a inauguração da nova planta industrial do grupo, que será na Bahia, no município de Camaçari, onde serão produzidos tanto juntas quanto fixadores, tudo no mesmo local, confirmando assim o mote Lamons: “Selando global, servindo local”.
 
 
                      Multialloy
 
Com o objetivo de reforçar e fidelizar a marca, a Multialloy, esteve na feira em um estande de 35 m² e contou com três colaboradores. A empresa fabrica peças em ligas especiais, inclusive em superligas, o que a diferencia no mercado atual, trazendo inúmeras vantagens aos clientes. “Nosso diferencial na Multialloy é oferecer no Brasil produtos que se compram no exterior, mas com inúmeras vantagens, como rapidez e a eliminação de riscos alfandegários, que não são poucos”, destaca o diretor industrial, Ari Tereran. Ele concluiu informando que a empresa tem nos processos de fabricação o forjamento a quente, laminação e usinagem. Entre seus diversos produtos finais, os principais são parafusos
e porcas, com  dimensões entre 3/8 polegadas até M64.
 
 
                                                                                                 Fastenal Brasil
 
Empresa originária dos Estados Unidos, a Fastenal que tem forte atuação em gestão de estoques e busca por soluções para o setor na redução de custos apresentou na feira, através de sua unidade brasileira, diversos itens que geram essa agilização. Um exemplo disso foi a exposição de uma Vend Machine (como as máquinas que vendem refrigerantes) contendo itens diversos, como EPI´s, materiais de limpeza, fitas adesivas, colas, estiletes e outros. Essas máquinas são implantadas dentro de empresas como forma de fazer pequenas compras girarem rapidamente. 
 
No segmento de fixadores a empresa importa itens produzidos por ela na matriz nos EUA, mas já inicia a fabricação de itens especiais através da filial, sediada em Joinville, Santa Catarina. “Estamos há dois anos no Brasil. Hoje contamos com 10 colaboradores. Nossa atuação é global, mas o foco é local, razão da produção em nosso País”, informa a gerente comercial, Beatriz Cunha. Essa foi a primeira participação da empresa no evento, que contou com a participação de quatro profissionais em um estande de 12 m².
 
 
           Alloy & Stainless Fasteners
 
A empresa norte-americana, sediada em Houston, no Texas, busca criar uma forte relação com as indústrias brasileiras e com as distribuidoras locais de parafusos, é o que afirma a diretora Carolina Roa. Prova disso é participação da Alloy & Stainless Fasteners em diversas feiras brasileiras, como a Fastener Fair Brazil, que foi em novembro de 2012, e a presença confirmada na OTC Brasil, que será realizada em outubro deste ano. A OTC é um dos mais importantes encontros de negócios do mundo no desenvolvimento de recursos offshore nos campos de perfuração, exploração, produção, além de proteção ambiental. Houston, cidade natal da empresa, é conhecida tanto por enviar homens à lua, quanto na produção de Oil & Gás, o que lhe atribui know-how na produção de fixadores especiais, sobretudo em ligas especiais e inox, inclusive em itens de grande porte. A empresa ainda faz parte de um grupo composto por outras duas empresas, como a Bar Stock Specialties, produtora de barras e arames trefilados, e a Cavalier, fornecedora de fixadores. Todas estão homologadas nas esferas governamentais e militares nos EUA.
 
 
                                                                                   Techniques Surfaces Brasil
 
Empresa sediada em Diadema, São Paulo, com filial em Casimiro de Abreu, cidade vizinha há 60 km de Macaé, a Techniques Surfaces Brasil participa pela sexta vez do evento, investiu cerca de R$ 25 mil em um estande de 20 m² e contou com colaboração de oito pessoas durante os quatros dias de evento. Para o diretor da empresa, Eros Neto, a participação é sempre importante para os negócios, “O setor Oil & Gas representa 30% de nossas atividades, tornando o evento imprescindível, inclusive como parte estratégica da empresa” afirma o diretor que já garantiu vaga na próxima edição. Dentre as principais atividades da empresa estão o revestimento de fluorpolímeros e os serviços em tratamento térmico.
 
 
 
                   Metalbrax
 
Empresa situada em Guarulhos, na grande SP, a jovem e ousada Metalbrax, fabricante de uma ampla linha em parafusos, porcas, estojos, chumbadores, grampos e outros itens, veio para Macaé devido a força pujante do evento no setor. “Participar dessa feira é um salto quantitativo muito grande, pois se trata de um evento focado em petróleo e gás, onde temos forte vocação, e que está gerando muitos negócios, inclusive aqui dentro do pavilhão”, destaca o diretor comercial, Marcos Fernandes (no centro da foto). A empresa é homologada ISO 9001:2008, CRCC pela Petrobrás e certificada pela D&B, o que demonstra forte foco na qualidade. Outro fator de destaque da empresa é o atendimento ao cliente, inclusive dentro da feira. “Toda a equipe foi treinada e alinhada às normas da Metalbrax, para dar um suporte comercial e técnico especializado e em sintonia com as exigências do mercado. Internamente, temos realizado constantemente investimentos em nossa estrutura, duplicamos nossa área fabril, compramos novos maquinários, além de trazermos mais qualidade aos nossos departamentos e aplicarmos em treinamentos. Implantamos nosso laboratório de análises e acompanhamento de todos os produtos e, recentemente, criamos nosso departamento de marketing para melhorar nossa comunicação e novas estratégias”, finaliza Fernandes.
 
 
 
                                                                                                    Ciser
 
 
 
Dinâmica e inquieta, presente em uma infinidade de feiras, a fabricante catarinense participa pela terceira vez da Brasil Offshore, em um estande de 25 m², contando com o apoio de 12 colaboradores. Considerada a maior fabricante brasileira de parafusos, porcas e fixadores similares, a Ciser trouxe para a Macaé suas linhas especificas para Oil & Gas, além de divulgar o uso de nanotecnologia na linha de revestimentos. De acordo com o gerente de vendas, Marcelo Moraes, a empresa aposta otimista neste setor, já que ele vem crescendo continuamente no mercado nacional. A Ciser é homologada na CRCC desde 2009.
 
 
 
 
 
            Hytorc
 
 
A líder mundial em torqueadeira hidráulicas, pneumáticas e elétricas, Hytorc também se fez presente pela terceira vez na Brasil Offshore em um estande de 39 m² e contou com a participação de seis profissionais na exposição. A base de operações da empresa no Brasil está em Fortaleza, Ceará, além de duas unidades de distribuição, em São Paulo e Rio de Janeiro. A empresa trouxe como novidade para o evento a torqueadeira elétrica Flash Gun, nos modelos 1 e 3, que tem como destaque o melhor design e rapidez, além de diversos itens mais avançados que lhe dão maior leveza. “A linha é destinada para o uso de torque controlado, onde a portabilidade e velocidade fazem diferença”, destaca o gerente técnico, Reiner Hinrichs. Outra novidade trazida para a feira foi o modelo J Gun Thrill, torqueadeira pneumática de duas velocidades, sendo uma para encostar a porca na flange. Já na outra função, ela finaliza o aperto dispondo de uma ação de impacto, caso o processo encontre fragmentos que gerem resistência, onde o impacto esfarela os fragmentos, destravando o processo, conforme informou Hinrichs.
 
 
                                                                                                   CPF Parafusos
 
 
Com sede em Aracaju, Sergipe, a CPF fabrica parafusos, porcas, arruelas, rebites, grampos tipo U, chumbadores, barras roscadas e estojos, com revestimentos galvanizados, cadmiados, bicromatizados e zinco-níquel (Zn-Ni). Ela veio para a Brasil Offshore pela terceira vez, através de um sistema de participação cooperativista que contou com a presença de mais sete empresas compartilhando um grande estande. A coordenação desse grupo de expositores foi da Petrogas - SE, que é fruto de uma ação do Sebrae de Aracaju, e que visa facilitar a atuação de pequenas empresas dentro da cadeia produtiva Oil & Gas. Por sua vez, a CPF é homologada CRCC, e conta com 80 colaboradores na sua planta industrial, produzindo fixadores por conformação mecânica, combinada com usinagem. Na feira, sua oferta ao mercado foi, principalmente, rapidez nas entregas, afirmando atender pedidos em até 24 horas. De acordo com o consultor da empresa, Adilson Ávila, a CPF foi destaque no programa Pequenas Empresas Grandes Negócios, e o vídeo pode ser conferido no You Tube.
 
 
                                                                                               Prech-Tech
 
Comemorando 40 anos na fabricação de parafusos, porcas e similares, a Prech-Tech que participou pela segunda vez do evento, investiu cerca de R$ 130 mil, ocupando um estande de 64 m², contando com uma equipe de seis colaboradores na Brasil Offshore. Com uma gama de produtos onde parte se destinam também para a aplicação Sub Sea, a empresa busca solidificar sua marca nesse setor da economia brasileira, é o que afirma o diretor, Walter Luigi Scala, “Somos uma empresa tradicional em produtos de alta resistência, estando homologada CRCC pela Petrobrás. Na produção de parafusos fazemos itens de ¼ de polegada até 300 mm, além de porcas e tirantes, em processos de forjamento a quente, além de usinagem de precisão”, ressalta Waltão, como é carinhosamente chamado pelos visitantes e amigos que estiveram no estande. A empresa ainda atua no fornecimento para outras matrizes energéticas, como energia eólica e elétrica. O setor naval mineração e siderúrgico, também fazem parte da gama de clientes que a Prech-Tech atende. A empresa aposta em negócios que gerem rapidez nos prazos de entrega de pedidos, além de eficiência em ensaios mecânicos.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com