Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 40
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Editorial
13/08/2013 02h50

 EDITORIAL



O que pode ter em comum a bomba de nêutrons, vidraças quebradas e a Ivete Sangalo?

 


Sobre as recentes quebradeiras de vidraças nos protestos pelo Brasil, obviamente ninguém (ou quase ninguém) em sã consciência apoiaria plenamente atos de vandalismo. Porém, será que sem esses excessos as coisas teriam andado?

Por volta de 1976 o presidente dos EUA, Jimmy Carter, autorizou a construção da bomba de nêutrons, um “mimo bélico” que destrói os organismos vivos, mantendo outros materiais intactos, como automóveis, pontes, além de construções e suas vidraças. Então, o uso da bomba de nêutrons é ato vandalismo, assim como corrupção também o é, já que ambas destroem sem quebrar. Através da corrupção se desviam recursos destinados para compras de vidros, que é um “vandalismo sem estilhaços”.

A verdadeira moral não está naquilo que pensamos ou falamos, mas naquilo que fazemos. Veja o exemplo da cantora Ivete Sangalo, que aceitou, recentemente, receber R$ 650 mil para fazer um show inaugural de um hospital público no Ceará. Ainda mais imoral que o governador gastar o dinheiro que não é dele, foi o aceite da cantora. Isso aí é vandalismo puro, ainda mais com a carência generalizada na saúde. E é essa mesma gente que fala na TV se dizendo bem intencionada com a sociedade, apoiam Copa do Mundo etc.

Só para não ficar sem falar de parafusos, recebemos recentemente um comunicado à imprensa, vindo dos organizadores da Taiwan International Fastener Show 2014 (feira de fixadores da cidade de Kaohsiung, prevista para abril próximo). No texto, eles citam que dois dias antes deste evento acontecerá na cidade de Taipei, há 345 km, a AMPA 2014, feira de autopeças, e que ela poderá ser visitada “confortavelmente usando o High Speed Rail” (trem-bala). Comparando, Taiwan tem um território quatro vezes menor que o Ceará, e já tem esse modal de transporte, sem a Copa e sem a Ivete.

É isso aí Brasil, a chapa está esquentando, “sai do chão, sai do chão”.

News: a partir desta edição, além de nossos colegas da Europa e Ásia, teremosa coluna de Mike McNulty, da Fastener Technology International, com notícias “Made In USA”.

Boa leitura!

Sérgio Milatias

milatias@revistadoparafuso.com.br

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com