Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 13
Busca::..
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Editorial
30/12/2008 10h09

Prezado leitor,

Conforme publicado em nossa edição de dezembro 2006/janeiro de 2007, um carro popular de duas portas, como o VW Gol City, contém cerca de 1.220 componentes de fixação: 706 parafusos, 337 porcas, 177 arruelas, sem considerar rebites. Concluímos que esta montadora consumiu mais de 289 milhões de fixadores no ano passado ao produzir em torno de 236 mil unidades similares deste modelo, número divulgado no site Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. O mercado de parafusos e similares não é destinado apenas ao setor  automobilístico, mas esses números refletem a imensa importância das montadoras em nossas atividades; e também uma considerável dependência. E, em tempos de “vacas magras”, nada melhor do que ampliar o foco em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), utilizando a inovação e diversificação como caminhos para encontrar um “oceano azul” (frase extraída do livro de Chan Kim e Renée Mauborgne, A Estratégia do Oceano Azul, 2005, ed. Campus, 268 páginas).

Além de P&D, outras ações devem ser consideradas. O jornalista Joelmir Beting – Rádio Bandeirantes, de São Paulo, SP –, destacou recentemente um estudo da consultoria americana McKinsey, feito durante as três últimas crises mundiais anteriores à atual. A empresa monitorou cerca de mil companhias americanas e concluiu: àquelas que, durante “as turbulências”, mantiveram ou ampliaram seus investimentos em ações de marketing – como propaganda, publicidade e outras atividades promocionais – alcançaram lucratividade na média de 14% acima do obtido antes da crise.

Na mesma linha, a London Business School, analisou aproximadamente de 2,3 mil empresas na zona do euro, entre 2000 e 2001, onde 74% delas adotaram a postura de marketing citada acima e ampliaram em 11% a rentabilidade após o período. Em analogia, “estando dentro de um avião em pleno vôo, num momento crítico que requer a redução de peso da aeronave, não podemos nos desfazer justamente dos paraquedas”. Esta edição marca o início do terceiro ano de circulação da Revista do Parafuso. Tenha uma ótima leitura e um excelente 2009, na saúde, na família e no trabalho!

 
Sérgio Milatías
milatias@revistadoparafuso.com.br
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com