Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 13
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Livros
30/12/2008 03h15

Corrosão e proteção contra corrosão em equipamentos e estruturas metálicas

 
Esta obra foi elaborada com o objetivo de abordar a corrosão de estruturas e equipamentos metálicos utilizados no setor elétrico. Faz parte de um programa de estudos desenvolvidos para a Eletropaulo, que visa caracterizar, diagnosticar e minimizar os problemas de corrosão deste setor. Embora os casos práticos discutidos sejam peculiares do segmento, os conceitos de corrosão não são específicos do mesmo, sendo assim, problemas e soluções contidos neste Manual são aplicáveis a outras esferas da atividade humana. O Manual é dividido em dois volumes e constituído por cinco capítulos. No Capítulo I é apresentada a definição, importância econômica e social, custos, classificação e diferentes formas de abordagem da corrosão. Cada assunto é discutido com base em pesquisa em literatura, procurando enriquecê-lo com a experiência acumulada em quase 20 anos de dedicação ao estudo da corrosão.
 
No capítulo II estão presentes os fundamentos teóricos da corrosão eletroquímica, cuja abordagem explorou os questionamentos feitos pelos técnicos do setor durante todo o andamento dos projetos executados. No entanto, a leitura não é pré-requisito para o entendimento dos demais, destinando-se somente para aqueles interessados em entender mais profundamente os mecanismos de corrosão.
 
O Capítulo III apresenta os principais tipos de corrosão encontrados no setor elétrico, tentando explorá-los da maneira mais simples possível. Em alguns casos, discute-se a ocorrência do tipo de corrosão em metais específicos. Para cada tipo são citados casos práticos de ocorrência de falhas em serviço, estudados pelo Laboratório de Corrosão e Eletrodeposição da Divisão de Metalurgia do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas –, referentes ao setor elétrico.
 
O capítulo IV trata dos metais mais utilizados por este setor, sendo os que apresentam potencialidade de uso: aço carbono, aço aclimável, aço inoxidável, zinco e suas ligas, alumínio e suas ligas, cobre e suas ligas e chumbo e suas ligas. Para cada um são descritos os aspectos metalúrgicos, as composições mais usuais e a aplicabilidade. Posteriormente, a corrosão destes metais nos meios dos quais são utilizados é abordada, a saber: águas, atmosfera e/ou solos, não só apontando-se os fatores que determinam a corrosão, mas tentando apontar as razões da ocorrência e as maneiras com que podem ser
minimizadas ou evitadas.
 
Finalmente, o capítulo V traz a proteção contra corrosão dos metais por meio de revestimentos metálicos. São apresentados os métodos de aplicação mais utilizados para este fim: eletrodeposição, imersão a quente e aspersão térmica, não contemplando a descrição detalhada dos processos, mas sim, as principais características dos revestimentos obtidos, no que se refere, por exemplo, à espessura, à porosidade e ao aspecto visual. Em seguida, os revestimentos são divididos em nobres e de sacrifício, discutindo-se as razões que devem ser consideradas para a escolha de um ou outro, incluindo os revestimentos específicos, tais como, cádmio, alumínio, zinco, cobre, níquel, cromo, os três últimos separadamente e na forma de revestimentos múltiplos (cromo decorativo). Por fim, é incluída, também, uma discussão sobre a cromatização de zinco e cádmio eletrodepositados.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com