Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 102
Busca::..
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99
Edição 98
Edição 97
Edição 96
Edição 95
Edição 94
Edição 93
Edição 92
Edição 91
Edição 90
Edição 89
Edição 88
Edição 87
Edição 86
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Brazil WindPower 2023
18/03/2024 10h24

Eventos

Cobertura da Brazil WindPower - 2023

A feira e congresso do emergente setor eólico foi marcado por expectativas regulatórias

Com mais de 100 empresas expositoras, cercade 6,5 mil pessoas presentes entre os dias 12 e14/09/2023, a 14ª edição do Brazil Windpower (BWP) foi realizada no pavilhão de feiras São Paulo Expo, nacidade de São Paulo, SP.

Fonte limpíssima e promissora na captação de energia elétrica, geradora de 12,6% do consumo nacional, nessa edição da feira dos ventos os players do segmento manifestaram ali suas expectativas nas entidades governamentais e ambientais serem capazes deflexibilizar e agilizar regulamentações que permitam maior expansão nessa matriz energética, sobretudo na implantação de parques eólicos oceânicos (offshore). Com a obtenção de liberações junto ao Ministério de Minas e Energia (MME), cerca de 78 novos projetos em espera poderão fomentar o mercado com robustos investimentos, de origem nacional e internacional. Atualmente, a capacidade instalada no Brasil éde 26 gigawatts (GW), divididos entre 916 parques eólicos, e 10.178 aerogeradores, diz dados do site da ABEEólica (www.abeeolica.org.br), a associação setorial no país. Já o Conselho Global de Energia Eólica(GWEC) informa que o Brasil bateu recorde de novas instalações nesta modalidade em 2022, registrando 4 GW no período, tendo à sua frente apenas China e EUA.

Bem-sucedidas as expectativas junto ao MME, a capacidade atual poderá dobrar em breve, e muitos..., muitos fixadores serão necessários. Alguns dos candidatos ao fornecimento estão na cobertura, a seguir.

Ecofix Ind. de Arruelas

Ana Clara Diniz, Manoel Malaquias e Paula Araújo

Questionada sobre o que mudou na estreia em feirasem 2022: "A experiência obtida em 2022 e já termos novos clientes conquistados aqui faz uma grande diferença", disse Ana Clara Diniz, coordenadora de vendas da Ecofix, completando: "Este setor demandas arruelas robustas,com 36 a 72 mm e com espessuras de 4 até 15 mm.

“Do ano passado até agora, a capacidade produtiva subiude 80 para 150 toneladas/mês, resultante da ampliação do maquinário, incluindo prensas de 600 toneladas, 30% destinado ao setor eólico, com o restante predominantemente em maquinário agrícola, e em linhas de transmissão de energia, com parte disso absorvido pelas revendas”, relatou o coordenador de produção, Manoel Malaquias.

Brasimpar Ind. de Fixadores

 Aparecida Marina, Jennifer Alcântara, José Bruneto (presidente), Audinei Oliveira, Gustavo Ramos, José Paes, Larissa Pinheiro e Marcia Santos

Repetindo sua primeira participação na BWP de 2022,dessa vez a Brasimpar ocupou um estande bem maior, o triplodo anterior. Desde 1985 fabricando fixadores de grande porte, parafusos e porcas de M12 a M90, a empresa possui sede própria em Guarulhos, na Grande SP, unidade composta de área fabril e escritórios, que totalizam 9 mil m².Segundo José Bruneto, presidente, a capacidade produtiva Brasimpar orbita entre 80 toneladas/mês, uma equipe composta por 130 colaboradores, 100 diretos, completando: “Originalmente, a Brasimpar era fornecedora do setor demáquinas agrícolas, especialmente nas partes estruturais de tratores, como nas pás, esteiras etc., onde a demand aestá entre parafusos e porcas grandes. Hoje, fornecemos ao setor eólico e, também, entre os setores de infraestrutura, petroquímico, ferroviário e mineração”.

Dörken

Robinson Lara

Marca sólida em proteção anticorrosiva em segmentosque demandam elevados níveis de segurança, como no setor automotivo global, a Dörken também tem forte atuação nas indústrias de fixadores para torres e aerogeradores, fruto de suatradição e presença em parques eólicos na Europa, além de América, Ásia e Oriente Médio.

Gerente negócios Dörken para América do Sul, Robinson Lara destacou na feira o DELTA-PROTEKT® TC 502 GZ, produto lançado em 2022, isento de substâncias polyfluoroalkyl substances(PFAS), já em vias de banimento pela Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA): “Trata-se de um produto já em uso,em fase de divulgação nas demais feiras no mundo, e em processo de homologação em andamento entre diversas montadoras globais, pois, cada uma tem critérios próprios. Mas estamos, também, fazendo testes para sua aplicação em itens zincado afogo, que por sua vez tem alto coeficiente de atrito”.

Grupo Forte

Jeverson Valeck, Renaildo Lisboa, Maurício Silva (ao centro, André Bolos e Thaís Reis, da Vestas) e Humberto Boteon

“Fabricamos fixadores, inclusive de uso crítico, para diversos mercados como o eólico, desde M10 até M100. Com 11 anos de atividades, oferecemos itens metálicos aplicados em todas as etapas da montagem de torres eólicas, da fundação(anchor bolts) até a fixação das pás (studbolts). Fornecemos no menor lead time do mercado. Sobre a participação na feira, ela sinalizao quanto o Brasil está comprometido na expansãodo uso de energias renováveis. E com fixadores que garantem a confiabilidade das torres, nossa empresa desempenha um fundamental papel na construção de um futuro mais limpo e sustentável”, comentou Barbara Silva, departamento comercial do Grupo

 Nord-Lock Group

Juan C. Parada e Gediael Bernardes

Estreante na BWP, a unidade Nord-Lock Latin América trouxe consigo sua reputação de ser a inventora das arruelas dentadas, em 1982, na Suécia. Suas linhas se valempela confiabilidade de longo prazo, portando reduzindo necessidade de manutenção em, por exemplo, pontos de difícil acesso. Além disso, a marca é sinônimo de resistência entre condições críticas, tal como em fixação sujeita aelevados níveis de vibração. “Somos a única que dá garantia vitalícia nos produtos”, relatou Juan C. Parada (Chile) e Gediael Bernardes (Brasil), “atendendo de longa data montadorasde torres e aerogeradores na Europa. Vale destacarque também trouxemos a linha Super Bolt, conjunto fixador com o mais alto nível na precisão da tensão de aperto, sem comparação com os demais sistemas de fixação, além te exibirmos o tensionador hidráulico Boltight.

Metaltork

Fábio Bonilho, Alisson Ferreira, Charles Anderle, Ivan Reszecki e Omar Mustafe

Ao mesmo tempo em que completa 65 anosde história, a Metaltork Ind. e Com. de Autopeças participou não apenas da Brazil Wind Power, expondo também na International Fastener Exhibition(IFE), feira do setor de fixadores em Las Vegas, EUA, intensificando assim seu plano de internacionalização como fornecedora de fixadores especiais eitens para aplicações críticas, utilizados nas indústria de automóveis, caminhões e ônibus, implementos agrícola e rodoviário.

“Hoje, a Metaltork é também é uma marca referência no emergente setor de captação de energia eólica. Nossos fixadores abrangem dimensões entre M6 e M36 (forjados a frio), M36 e M100 (forjados a quente, e em linhas robotizadas). Nos últimos anos implementamos um robusto plano de investimento entre infraestrutura, maquinário e capacitação de nossa equipe”, disse o presidente da empresa, Ivan Reszecki.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com