Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 78
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
26/11/2019 08h36

Persona

Uma nova Argentina, um novo Brasil:um novo Mercosul

Esperançosos com novo governo, industriais argentinos buscam recuperar o tempo perdido

Argentina atravessa novamente, devido as políticas implementadas pela atual administração do presidente Maurício Macri, um forte processo de desindustrialização. Mais de 4.000 estabelecimentos deixaram de funcionar entre janeiro de 2016 e junho de 2019, acumulando perdas de 150.000 postos de trabalho no setor manufatureiro. A capacidade instalada no setor industrial se encontra em seu mais baixo nível de utilização, desde 2001, orbitando em 40%. O nível de inflação alcança 50% p/ano, com o desemprego acima de 12%.

Esse contexto tão desfavorável impacta diretamenteno processo de crescimento que ocorreu em “la industria bulonera” (na indústria de fixadores) entre 2003 e 2015.

Nesse período a produção total do país aumentou 400% em toneladas e surgiram mais de 15 novas empresas, coma incorporação de tecnologia moderna que nos trouxe de volta à linha da produção mundial.

O resultado nas recentes eleições volta a acender uma luz de esperança para o setor na economia do país, uma vez que uma política econômica está sendo traçada novamente, com preferência na produção industrial e integração comercial e tecnologicamente inteligente ao mundo e ao nosso principal parceiro comercial, o Brasil.

É de suma importância para o setor buscar sócios estratégicos, que lhe permitam recuperar o tempo perdido, trabalhando com o objetivo de fazer crescer nossos negócios. Ciência e tecnologia aplicadas em nossas indústrias desempenhará um papel central nos próximos anos. Novos materiais, novos tratamentos superficiais, novas formas de organização e o desafio de enfrentar a 4ª revolução industrial nos coloca diante da imperiosa necessidade de enfrentarmos esses momentos junto com nossos colegas brasileiros. Um pensamento me inspira a trabalhar esse futuro: "Sem indústrianão existe nação e não há um Mercosul possível".O desafio já está em campo. 

Aldo Hector Lo Russo 
Presidente da Taller Baigorria, fabricante argentina de fixador espara linhas automotivas, máquinas, implementos agrícolas e de transporte rodoviário.
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com