Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 78
Busca::..
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Senafor
26/11/2019 08h41

Eventos 

39º Senafor

Prestes a completar 40 anos, esse seminário internacional de tecnologia em forjamento é uma grande fonte de capacitação e aprimoramento técnico para estudantes e profissionais do setor

Não é novidade que toda empresa deseja ter seus colaboradores fazendo mais e melhor. Então, por que não incluir em seus processos de aprimoramento a participação desses colaboradores em um evento que demanda pouco investimento e tempo, mas com uma sinergia ímpar, como o Senafor?

Encontro anual realizado em Porto Alegre, RS, desde 1980, o Senafor é um seminário internacional que abrange temas sobre forjamento a frio e quente, além dos eventos agregados de energias renováveis e outros.

De longe, pode parecer pouco, mas o Senafor é repleto de palestras que emanam de pesquisas feitas por estudantes de universidades, professores, mestres, doutores e profissionais atuantes no dia a dia de empresas. Além de brasileiros, muitos dos participantes vem de outros países de ponta em forjamento, composto por gente que vive envolvida em ações preventivas, corretivas e de aprimoramento nesses processos, fazendo testes e/ou uso prático com inúmeras combinações de ligas metálicas, casos de falhas e os caminhos que levaram a solução. Além disso, muitas novas tecnologias e cases são apresentados, como ocorre com a área de softwares de simulação por elementos finitos (FEM). É de conhecimento geral que no Brasil ainda se opera por tentativa e erro, mas as soluções FEM já são algo cada vez mais presente, substituindo métodos arcaicos e superados.

Todo o conteúdo e materiais apresentados pelos palestrantes são reproduzidos e entregue aos participantes, que têm a oportunidade interagir em um ambiente combinando aprendizado, marketing de relacionamentos e negócios. Preparando sua edição comemorativa de 40 anos, no próximo ano, a organização do Senafor espera uma presença ainda maior que foi neste ano, contando com você empresário, que busca ver seus negócios e o país avançar, cada vez mais sólido, moderno, eficiente e confiável.

Até outubro próximo.

Homenageados

Lírio Schaeffer, Rudolf Fritsch e Alexandre Rocha

Klaus Lietzmann

Etapa tradicional na abertura dos trabalhos, as homenagens deste ano incluíram o professor, doutor e engenheiro Lírio Schaeffer e o professor Alexandre da Silva Rocha, ambos membros LdTM, Laboratório de Transformação Mecânica, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. As homenagens foram completadas com Rudolf Fritsch e Klaus Lietzmann, respectivamente, diretores das empresas gaúchas Aços Favorit e EPI Energia.

Encerradas as homenagens, antes do primeiro coffee break, o primeiro bloco foi aberto pela empresária Sílvia Ribeiro de Aquino, presidente do Sindicato Nacional Indústria Forjaria (Sindiforja), que apresentou uma breve exposição sob o título Os aspectos gerais da economia na forjaria no Brasil. Nela, Sílvia expôs um panorama macroeconômico do Brasil e do mundo (reservas internacionais, inflação, juros, produção automotiva). Ela alertou que se o acordo com a União Europeia não for bem traçado, as forjarias no país ficarão impedidas de comprar aço da China, impedimento que as empresas da Europa não terão, tornando assim seus forjados mais baratos que os brasileiros. (Foto -Sílvia Ribeiro de Aquino)

Na conclusão, por meio de seus slides a executiva estimou que 2019 deve fechar com 551 mil toneladas métricas de forjados nacionais. Confirmada a previsão, será superior aos 541 em 2018, e bem maior que os anos anteriores: 425 em 2017, 402 em 2016 e 349 em 2015.  

Sob o tema: A visão de engenharia para o futuro do segmento de produtos estampados automotivos Marco Antônio Colosio, gerente de Engenharia de Produto na General Motors, pautou-se, inicialmente, sob o demasiado uso de processos de tentativo e erro como causa de um certo atraso no país. Segundo ele, ainda são muito comuns empresas pouco direcionadas em melhorar por meio de investimentos, optando em cortar e reduzir custos, especialmente nas engenharias.(Foto - Dr. Marco Antônio Colosio)

O material publicado nas recentes edições dessa Revista do Parafuso: O parafuso no nosso cotidiano. Quanta ciência e quanto menosprezo. Casos relatados de "Recall", ganhou uma versão resumida na palestra ministrada pelo autor, o dr. Roberto Garcia do Laboratório do Grupo de Eletroquímica e Materiais (Gemat), da Universidade Estadual Paulista (Unesp), mentor e consultor da Assahi Máquinas e Equipamentos Ltda. Garcia encerrou a grade de temas gerais na manhã do primeiro dia do Senafor. A versão ainda mais completa que a palestra se encontra no site dessa RP.( Foto - Dr. Roberto Garcia)

Diretor da Suspensys - empresa do Grupo Randon (Rio Grande do Sul), fabricante de suspensões e eixos para implementos para caminhões e ônibus - Rodrigo Fantinel fechou a primeira grade de palestras, pouco antes do coffee break, sob o tema: Superação da crise através da capacitação e valorização da pessoa". Uma semana após essa palestra, o presidente da Mercedes-Benz do Brasil, Philipp Schiemer, relatou ao jornal Folha de S. Paulo que em 2011 as vendas de caminhões e ônibus no Brasil estavam em 170 mil unidades em 2011, caindo para 50 mil em 2015.(Foto - Rodrigo Fantinel)

Parecia que Fantinel e Schiemer combinaram, pois os slides mostravam o cenário sombrio que se foi, na qual a Suspensys demonstrou como ela manobrou o relacionamento com colaboradores buscando o máximo em otimização e criatividade em meio ao faturamento de 2011, acima de R$ 1,1 bilhão (antes de juros, impostos, depreciação e amortização), que caiu para R$ 323 milhões em 2015. Em 2019 ele estima fechar com R$ 942 milhões, retornando a casa de R$ 1 bilhão, já em 2020.

Diretor da Santec Tecnologia de Soldagem (Campinas, SP), José Santaella Redorat Jr. apresentou Reparo por soldagem de biela: Prensa de forjar automática, um trabalho em que demonstrou a recuperação por solda em biela de uma prensa horizontal automática de conformação a frio, e como os diversos parâmetros e variáveis dos processos de soldagem influenciam os resultados.(Foto - José Santaella Redorat Jr.)

“Em termos gerais, toda e qualquer solda é boa desde que tenha aparência aceitável e que apresente na sua continuidade um aspecto satisfatório. As soldas indicadas em condições de trabalhos severos ou críticos assim como as que são controladas por códigos requerem cuidados especiais. Quanto a comprovação da qualidade, a mesma pode ser constatada mediante métodos de ensaios nãodestrutivos. É nosso principal objetivo alertar a todos que estão envolvidos com a qualidade da solda como especificar as condições de execução dos serviços, no que se refere a materiais, procedimentos, mão-de-obra, insumos, máquinas e equipamentos”, concluiu Santaealla, autor que ainda não confirmou a publicação da íntegra nesta RP, como artigo.

Revestimentos PVD para processos de forjamento foi o tema da Oerlikon Surface Solutions AG, de Liechtenstein, apresentada por Rafael Lopes da Silva, gerente de vendas da unidade Brasil, sediada em Diadema, SP.(Foto - Rafael Lopes da Silva)

Silva iniciou com um slide que indicava 22,86 milhões de toneladas em forjados produzidos no mundo em 2016, um ambiente onde as ferramentas para fabricação exigem soluções de superfícies além do estado da arte no suporte a produções de classe mundial, caso do setor de autos.

Segundo ele, a média de vida útil das ferramentas dura entre 5 mil e 20 mil peças produzidas, na qual estão incluídas ferramentas de máquinas automáticas para produção de parafusos e similares.

Esse cenário pode evoluir com as linhas de revestimentos PVD que oferecem uma melhoria na vida útil da ferramenta, que vai muito além do que seria normalmente alcançado ao se tomar medidas mais convencionais. Vale conferir.

Membro do Instituto de Tecnologia de Forjamento (IFU), Universidade de Stuttgart, Alemanha, o professor e doutor Mathias Liewald abordou o tema: Novas abordagens no forjamento a frio de componentes leves para futuros conceitos de mobilidade. Nele, Liewald aponta que os benefícios das estruturas ocas produzidas por forjamento a frio, tal como engrenagens, eixos, que são examinados frente à aplicabilidade dos sistemas powertrain. Assim, são apresentados processos de forjamento a frio estabelecidos e completamente novos.(Foto - Dr. Mathias Liewald)

Como forjamento a frio desempenha um papel importante na fabricação de peças convencionais de motores de combustão interna, é razoável adaptar esse tipo de processo para futuras aplicações, especialmente no universo de propulsão elétrica, a predominar em sua Alemanha a partir de 2030.

A conformação a frio de fixadores em prensas multi-estágios é um processo que demanda alto desempenho das ferramentas devido as altas tensões, esforços envolvidos e elevado fluxo de material. Usando a simulação computacional eleva-se a efi ciência na análise e resolução de problemas, minimizando custos, permitindo maior assertividade nos diagnósticos.(Foto - Gilberto Alves)

O trabalho Utilização de simulação na resolução de problemas de descontinuidade interna e aumento de vida útil no processo de conformação a frio de fixadores – estudo de caso, foi realizado por Gilberto Alves, da Metalúrgica Fey (Indaial, Santa. Catarina), em parceria com Alexsandro Moraes (AM. Metal Consultoria). O caso em estudo envolve um parafuso Philips, com cabeça flangeada, produzido pela Fey. Tal item apresentava descontinuidade interna longitudinal ao longo do corpo e falha prematura da ferramenta de formação da fenda Philips.

O simulador de processos de conformação Simufact.Forming foi utilizado para análise e testes virtuais. Como resultado, o desenho da sequência de conformação foi modificado com base nas melhorias identificadas na simulação, resultando em uma geometria final isenta de descontinuidades internas e um aumento na vida útil da ferramenta de aproximadamente 15 vezes.

Tratamento Térmico após Conformação a Frio – Cálculos baseados na Simulação Computacional, foi apresentado pelo dr. Gerhard H. Arfmann, diretor da CPM GmbH, Alemanha, desenvolvedora de softwares de simulação por elementos finitos (FEM).(Foto - Dr. Gerhard H. Arfmann)

Como a maioria dos componentes forjados a frio demandam tratamento térmico visando obter as propriedades necessárias: resistência e dureza, a distribuição de temperatura nas ferramentas de conformação mecânica e seu desenvolvimento não estacionário são aspectos importantes pela eficácia de um tribo-sistema escolhido, pelo desgaste da ferramenta e por várias avaliações de o processo de conformação e as ferramentas de conformação envolvidas. O estudo utilizou os softwares eesy-2-form (2D), eesy-form (3D) e o eesy-QT.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com