Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 72
Busca::..
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Europa News
30/11/2018 10h14

Europa News

 União Europeia adota salvaguardas sobre produtos siderúrgicos

O Regulamento 2018/2013 não inclui parafusos e afins

Em 18 de julho, a Comissão Europeia publicou o Regulamento 2018/2013, que impõe salvaguardas provisórias sobre 23 categorias de produtos siderúrgicos, não incluindo fixadores. Tais medidas incluem cotas por categoria de produtos que, ao se esgotarem, ficam submetidas à tarifa de 25% em importações. Este Regulamento segue uma salvaguarda em 26 categorias de produtos de março de 2018, que já estavam sujeitas a licença prévia de fiscalização. A Comissão identificou 23 das categorias que considera em situação suficientemente crítica para justificar tais medidas provisórias (MP). Os códigos NC de fixadoresnão se incluem, embora fio-máquina e barras de aço(inox e carbono) estejam inclusos, o que pode ter efeitos indiretos em fixadores feitos na União Europeia (EU), incluindo barras roscadas. Essa MP pode vigorar por 200 dias, independentemente do país de origem. A investigação considerará se as cotas devem ser alocadas pelo país exportador.

O Regulamento isenta países membros da European Economic Area (EEA) – Noruega, Islândia e Liechtenstein– das medidas. Já as economias em desenvolvimento geralmente são excluídas, no entanto, um anexo define quais países em desenvolvimento – incluindo China, Brasil, Índia, Turquia e outros – estão sujeitos a MP e em quais categorias.

Todas as quotas estão organizadas "por ordem de chegada a serem cumpridas" e serão monitorizadas diariamente pela comissão DG Taxud. As informações sobre nível de“cota não utilizada/utilizada” e pendentes serão exibidas no site DG Taxud. Se esgotadas, aplica-se a tarifa. A conclusão preliminar da Comissão foi de que a indústria siderúrgica da UE se encontra em grave risco de prejuízo nas 23 categorias de produtos avaliados, e que esta situação pode-se transformar em dano profundo. Atendendo às circunstâncias críticas, considera-se a adoção dessas salvaguardas a fim de evitar danos irreparáveis neste setor da UE, antes da conclusão do inquérito.
 
A Comissão identificou tendência crescente de importações para UE antes dos Estados Unidos (EUA) aplicaremas tarifas "Section 232" (citadas neste espaço na edição anterior) em importações de aço. A imposição da tarifa aumentou ainda mais o potencial de elevação das importações como resultado do produto anteriormente destinado aos EUA sendo desviado para a UE. Veja texto do Regulamento em: http://trade.ec.europa.eu/doclib/docs/2018/july/tradoc_157125.prov.en.L181-2018.pdf


Spirol: duas plantas homologadas IATF 16949:2016

Abreviação de "International Automotive TaskForce" a IATF 16949:2016 – certificação sucessora da ISO/TS 16949, que abrange sistemas de gerenciamento de qualidade do setor automotivo – foi concedida para duas unidades da Spirol International Corporation, fabricante global de fixadores, calços e equipamentos de instalação. Uma delas é a Spirol Industries, em Windsor, Ontário, Canadá, fabricante de produtos tubulares formados por rolo, incluindo buchas, buchas de mola e outros. Outra é a Sirol International Corp Stow, Ohio, EUA, fabrica molas de disco, calços de precisão, arruelas personalizadas e espaçadores.

British Steel faz upgrade em sua linha de fio-máquina

Siderúrgica britânica anunciou investimento superior a US$ 64 milhões na atualização de sua divisão produtiva de fio-máquina

Atualmente produzindo mais de 2,8 milhões de toneladas de diversos tipos de aço e empregando 4.400 pessoas no Reino Unido, a British Steel foi formada em 2016 pela Greybull Capital, quando esta adquiriu a siderúrgica Scunthorpe da Tata Steel.

Esses investimentos são destinados à atualização da linha produtivade fio-máquina, visando melhorar significativamente a qualidade dos produtos feitos na sede da siderúrgica em Scunthorpe, cidade distante 270 km de Londres, Reino Unido. Quando concluída, a Cia poderá oferecer uma gama maior de bitolas em até 28 mm, alcançar tolerâncias mais estreitas, além de aprimorar as condição das superfícies e das propriedades microestruturais. A nova e avançada linha de fio-máquina foi projetada e está em execução pela Primetals Technologies desde o terceiro trimestre de 2018 (Q3), com conclusão programada para o Q4 de 2019.

“Este é um grande investimentono futuro dos nossos negócios, sustentando nosso compromisso em fornecer aos clientes as mais altas especificações técnicas em aços e uma diversificada gama de produtos premium. Isso aumentará nossa capacidade de atender o mercado interno e nos tornará um exportador ainda mais competitivo”, disse Paul Martin, vice-presidente da British Steel”.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com