Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 72
Busca::..
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Mercopar 2018
28/11/2018 05h05

Eventos 

 

Mercopar 2018: a feira gaúcha de inovação industrial

 

Realizada em Caxias do Sul, a 27ª edição do evento recebeu, além da reportagem da Revista do Parafuso, mais de 10 mil visitantes 

 

 

Realizada entre 2 e 4 de outubro 2018, no tradicional “Centro de Eventos da Festa da Uva”, Caxias do Sul, RS, a 27ª edição da Mercopar, feira dedicada ao campo industrial, pareceu um ambiente muito saudável e próspero para a nossa reportagem (estreante no evento). Mas essa impressão estava equivocada porque expositores de outrora relataram que a feira já foi bem maior, mas foi duramente afetada pela “tempestade perfeita” na economia brasileira, com nuvens pesadas se formando na Mercopar 2014, seguido de um temporal desabando em 2015 em diante. Segundo Eugenio Baranzini, diretor da Growermetal do Mercosul (arruelas) e da Caillau do Mercosul (abraçadeiras), “hoje a Mercopar tem um terço dos expositores que já teve, mas já demonstra sinais de melhora neste ano”.

Caxias é uma das potências industriais do Estado gaúcho e do Brasil, sede de grandes indústrias como o conglomerado Randon, das automotivas Agrale e Marcopoloe muitas empresas atuantes no setor parafuseiro, como a Coventya, fornecedora de produtos para tratamento de superfície; fabricantes de fixadores como a Fusopar, Manzato, Metalmatrix e outras, infelizmente ausentes na feira.

O evento segue a atual linha dos demais encontros pelo país, onde se destacam temas sobre Indústria 4.0, fontes renováveis de energia, de onde vem e para onde vão as chamadas startups. Um ponto a ser destacado foi a presença de micro empresas que ocuparam espaçosmodestos (stations) em alas dedicadas, disponibilizadas com baixo custo pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), promotora da Mercopar em parceira com o apoio institucional da Fiergs (Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul). O Sebrae também fomentou o evento com rodadas de negócios, ações que permitem colocar na mesma mesa pequenas e microempresas com grandes compradores.

A próxima Mercopar será entre 1 e 3 de outubro de 2019, no mesmo local. Boa leitura!

          Caillau / Growermetal

A Caillau fornece mundialmente linhas inox em abraçadeiras, clips e conectores de engates rápidos. Todos esses produtos são feitos em solo francês e homologados IATF, Airbus e outras. Através de sua unidade Mercosul, instalada na Grande S. Paulo, a Caillau acumula 12 participações consecutivas na Mercopar, compartilhando sua presença em conjunto com a Growermetal nas últimas três edições da feira. Já a italiana Growermetal é fabricante de elementos de fixação em geral, produz itens para aplicações críticas no setor ferroviário, onde possui homologação mundial, além de atender big players automotivos pelo globo, como a Audi, Fiat, Mercedes, Scania, Volkswagen, Volvo e outras.

“Ambas empresas trazem consigo uma cultura de produção verticalizada, garantindo assim o controle interno de todas as etapas além da fabricação, como o tratamento térmico e superfície. Aqui marcamos nossa presença no mercado sul do Brasil. Já conquistamos clientes na indústria e no comércio, e buscamos maior espaço em indústrias locais. Em eventos, nossa próxima exposição será na Automec, feira da indústria de autopeças, em abrilde 2019”, disse Eugênio Baranzini, diretor. (Foto - Eugênio Baranzini)

                                                       CND Revestimentos Industriais

Fundada e sediada em Caxias do Suldesde 1997, a CND realiza aplicações de revestimentos anticorrosivos em equipamentos, máquinas e estruturas de metal sujeitas às agressões do meio ambiente. Ela é licenciada pela norte-americana Chemours Company, para aplicação de fluoropolímeros industriais da marca Teflon.

“Além do Teflon, também temosa linha de fluopolímeros Xilan, marcada norte-americana Whiford, na qual da Cia. “ Fluoropolímeros são cada vez mais requisitados, especialmente no setor de gás e petróleo, onde se usam muitos fixadores, que – após receberem esses revestimentos – adquirem propriedades antiaderentes e anticorrosivas, além de lubrificaçãoa seco. Além de gerar segurança, os processosde manutenção ficam facilitados na remoção de parafusos e similares. Podemos atender outros setores como o de energia eólica, especialmente por serem estruturas expostas ao tempo, muitas em áreas agressivas como o litoral”, completou o executivo. (Foto - Lucas Meggiolaro, Rodolfo Dall´Agno, Norberto Dall´Agno e Ivan Brambilla )

                 Linear Parafusos
 
Dirigida por Milton Santini, a Linear Comércio de Parafusos é um dos exemplos do bom trabalho feito pelo Sebrae, relatado na abertura. Em feiras são comuns os espaços vazios, onde as organizadoras colocam uma samambaia, um sofá ou um carrinho de pipoca. Na Mercopar, o Sebrae disponibilizou um pacote com baixo preço que consiste em pequenas estações de exposição nesses espaços ociosos, o que permite aos micros abrirem canais de comunicação com grandes e médias indústrias, algo que no dia-a-dia é muito difícil contatos, conforme relatou Santini.
 
“Comecei há mais de 40 anos em revenda, peguei gosto, abri minha loja e nunca mais parei, mesmo nesses últimos três anos, onde a empresa balançou. Aqui expomos o que revendemos no dia-a-dia, como parafusos, porcas, prisioneiros, abraçadeiras, chumbadores, buchas e peças especiais. Além da concorrência entre revendas, nossa atividade fica abalada quando alguns dos nossos fornecedores/fabricantes “atravessam”, vendendo diretamente para os clientes que estamos trabalhando. Dessa forma, tentamos nos diferenciar oferecendo quantias menores, trabalhar peças especiais e assim vamos lutando”, concluiu.( Foto - Milton Santini)

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com