Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 63
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Atotech
04/05/2017 05h05

 

Eventos

 

 

 

No Seminário Atotech fixadores estiveram no centro dos temas sobre corrosão

Com a participação de profissionais do Brasil e da Alemanha, a fabricante global de produtos apresentou suas mais recentes linhas de produtos anticorrosivos e soluções sustentáveis

 

Na mesma semana de Março em que foi anunciado crescimento, modesto, na indústria automotiva e aumento, também modesto, nos níveis de contratação com carteira assinada, a Atotech do Brasil realizou um encontro que superou suas expectativas de público. Modestas, mas positivas após 3 anos, as notícias soavam como um alívio aos 100 presentes, que já não era sem tempo.

Realizado no Hotel Mercure, em Santo André, na Grande SP, o seminário teve iniciou às 10h, com parada para almoço, finalizando às 15h.

Divididos entre empresas de tratamento de superfície, fábricas de fixadores e autopeças e profissionais de montadoras, os convidados assistiram palestras que partiram de dimensões do mercado automotivo nacional e setores emergentes como de energia solar e dos ventos, seguido de apresentações sobre as inovações nas linhas de produtos destinados a proteção itens metálicos, especialmente nas juntas aparafusadas.

“Somos um dos maiores fabricantes de produtos químicos e equipamentos auxiliares para a indústria de acabamentos decorativos e funcionais. Dedicamos este seminário às inovações em revestimentos de Zinco, Zinco Ligas e Zinc Flakes”, declarou Milton Silveira, Diretor Executivo da Atotech Brasil, que abriu os trabalhos destacando a importância dos setores de energia solar e eólica.

A Gerente de OEM, Vivian Nagura, deu sequência com o tema Mercado e Tendências, apresentando um panorama da indústria automotiva global, termômetro mercadológico essencial entre muitos dos presentes. Vivian destacou fatores de oportunidades como a idade média da frota nacional. Segundo ela, 34,8% de nossa frota é composta por veículos fabricados antes de 2002, 39,3% en- tre 2002 e 2011 e 23,4% de 2012 até 2016, gerando uma média de 6,9 anos. Em seguida, expôs o setor de Duas Rodas, com destaque a média ainda baixa no Brasil, com 0,12 motos per capita, a frente da Índia com 0,10 e abaixo da China, 0,16. Alemanha tem 0,75 por habitante. Vivian concluiu com apresentação dos números em energia elétrica, setores que devem ser prospectados, especialmente no vento e no sol. Na palestra “Processos chave para Mercados chave - Fixadores e Calipers de freio” ela expôs as tendências deste setor e como a empresa está respondendo a essas demandas, num universo global de 92 milhões de autos/ano, tendo em média 26 kg de parafusos e similares por carro a serem revestidos.

Bem-humorado, Maurício Bombonati, Gerente de Negócios da Cia, abriu sua fala com uma declaração de amor e ódio a corrosão. Seus slides demonstravam a distribuição da atuação Atotech na indústria entre as aplicações protetivas e decorativas. “Temos presença em 85% dos produtos cromados da indústria automotiva”, disse o executivo.

Ásia representa 70% das atividades da Atotech, região que mantém seu domínio em fasteners, com 42% da produção global, de acordo com o Freedonia, linha presente no grupo de produtos GMF (General Metal Finishing). Bombonati concluiu reafirmando que as estratégias estão comprometidas com a proteção ao produto em sintonia com a preservação ecológica e ampliar a sinergia entre OEM, aplicadores e os Tiers 1, 2 e 3.

Como convidado especial, o gerente de produto para revestimentos resistentes à corrosão da Atotech Alemanha, Markus Ahr, apresentou o tema “Corrosion Resistant Coatings - Melhores soluções para altas performances”. Nele, Ahr citou o modelo Golf VII geração, da Volkswagen Alemanha, como exemplo de utilização de peças de proteção a corrosão. Neste projeto são utilizados em torno de 2 a 3 mil elementos de fixação, dos quais, 40% das peças com aplicação de produtos de Zinc Flake e zinco níquel, 4% de zinco, 6% de fosfato e 10% com outros produtos. Ele demonstrou as diferentes faixas de coeficiente de atrito adotado pelas montadoras globais, seguido das performances das linhas de produtos da Atotech em busca da equação perfeita entre o avanço na resistência à corrosão com a redução de impactos ambientais. Segundo ele, a chave do sucesso no cumprimento das exigências protetivas em fixadores usados nas OEM’s estão nos selantes Sealer 350 WL8 e o Corrosil Plus 315 L. Ahr concluiu com slides demons- trando os avanços comparativos entre os processos de zinco níquel, Zinni AL 650, Zinni 220 e os passivadores EcoTri NoCo 2.0 e Tridur Zn H11.

Na abordagem do tema “Zinc Flakes - Soluções para altas performances”, o Dr. Christophe Heinrich, cientista alemão, apresentou testes realizados dentro da norma global da montadora General Motors (GMW 3359), com aplicações do Zintek 300 B, Zintek Top e Techseal Black, realizando testes comparativos de coeficiente de atrito. Este teste também foi realizado conforme norma TL 233, da Volkswagen, nas versões prata e preto, tendo o sistema aprovado na especificação.

Concluindo, o Dr. Heinrich dissertou sobre “Inovação - Nossa resposta para o futuro”, buscando elevar o nível de durabilidade e qualidade dos itens aplicados na indústria automotiva. Ele apresentou uma nova tecnologia de pré-tratamento Unidip AP que substitui o fosfato, porém sem enxague, garantindo a ótima aderência de qualquer base coat da família Zintek. Outro tema extremamente interessante foi a apresentação do base coat Zintek One somente indicado quando existir a necessidade de aplicação de camada única, porém quando combinado com o top coat inorgânico Zintek Top XT, promove uma resistência a corrosão superior a 600 horas com menor custo de aplicação.

Como a Atotech detém domínio em ambas as tecnologias, ao final da apresentação os dois especialistas convidados mostraram combinações entre top coats orgânicos e inorgânicos em conjunto com tecnologias de zinco e zinco níquel. A ideia era demonstrar que a Atotech pode colaborar ainda mais para vencer os desafios dos requisitos de corrosão para indústria automotiva.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com