Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 58
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Ásia News
29/07/2016 03h03

Ásia news

 

 

Grande demanda de fixadores no Vietnã

 

Nação dotada de muitas empresas estrangeiras, o Vietnã goza hoje de muitas oportunidades de negócios. Um recente relatório mostra que no primeiro bimestre de 2016 o país registrou superávit de US$ 850 milhões e o investimento estrangeiro valia US$ 2.8 bilhões, um up de 135% em relação ao mesmo período de 2015. Um analista de mercado declarou: “Vietnã tem tido um dos mais rápidos crescimentos na Ásia. A localização estratégica, somado ao rápido crescimento no Sudeste Asiático, pode tornar este país o mais atraente para investidores internacionais”. Então qual seria o meio mais rápido das empresas de fixação entrarem neste mercado? Primeiro isso pode ocorrer através do setor de engenharia de máquinas e componentes relacionados.

De acordo com dados vindos das autoridades locais, o valor total em construção e infraestrutura nos próximos dez anos será de US$ 160 bilhões. Dentre essas obras estão cinco mil km em extensão de rodovias, 300 a 400 km de ferrovias e 12 aeroportos. Esta expansão demandará muitas máquinas, instalações e muitas outras. No entanto, somente 6% do processamento de metais e outros itens industriais são produzidos localmente. Sendo assim, o Vietnã tem hoje um potencial mercado. O segundo meio de entrar é através de autos, motos e itens relacionados. Ali, as motos têm sido o mais utilizado meio de locomoção, tendo nos últimos cinco anos vendas anuais entre 2,5 a 3 milhões de unidades. Vietnã está entre os cinco mais estratégicos mercados para a produção de “Duas Rodas”, e o governo local tem incentivado este setor para a produção nacional. Com a melhoria infraestrutural, a demanda por outros tipos de veículos como carros de passeio e transporte de cargas vem se elevando. Tudo vai bem, mas as máquinas e instalações vietnamitas não estão no estado da arte como em outros países, e é aí que as empresas de fixadores devem se focar.  

 

Revogação da sobretaxação da UE sobre fixadores chineses não afeta a Chun Yu  

Até fevereiro deste ano, fixadores de aço feitos na China estavam sobretaxados na União Europeia (UE) devido a uma ação antidumping, medida esta revogada desde e que impactará diretamente nas fabricantes do setor em Taiwan. Porém, isso não afetará a Chun Yu e a Boltun, empresas que tiveram forte elevação em seus níveis de competitividade, o que as mantém longe dos efeitos. De acordo com a presidência da Chun Yu, após esta reabertura para parafusos e similares vindos da China, os impactos serão maiores nas exportações para a UE de fixadores pequenos e standard. No longo prazo, Chun Yu realizou um forte desenvolvimento técnico e se focou em itens especiais. Considerando ela e a Boltun terem plantas industriais na China, o impacto será ainda menor. Mas, de acordo com a Chun Yu, o desempenho na UE não tem sido bom, estando entre as razões a crise dos refugiados, a crise no Deutsche Bank e o aperto monetário, que impactam na produção industrial. Por outro lado, EUA, Reino Unido e o Sudeste Asiático tem tido performances razoáveis nas demandas. Embora não haja crescimento nas receitas, a rentabilidade de 2016 deve superar 2015.  

 

Ming Tang apresenta alimentador com inovações na feira de fixação de Taiwan

  A taiwanesa Ming Tang Machinery é uma empresa homologada CE para fornecimento de máquinas na União Europeia (UE). Ela possui anos de atividades na produção de máquinas para estampagem a frio de fixadores, laminação de rosca e montagem de parafusos com arruelas. Como nas linhas convencionais de alimentadores os sistemas funcionam através de placas vibratórias, algo que gera altos níveis de ruídos durante os processos, a Ming Tang começou a desenvolver seu alimentador, uma nova máquina que pode alinhar materiais alcançando significativas reduções de ruídos. Além da redução de níveis de ruídos, o equipamento opera com parafusos longos; reduz colisões entre peças e danos superficiais e comprometimento dos revestimentos galvânicos e outros benefícios.  

 

SDC Tanaka patenteia parafuso adotado pela indústria aeroespacial  

Ainda em construção e com início de operações previstas para 2018, o Kamioka Gravitational Wave Detector (Kagra) é um projeto para estudos de ondas gravitacionais, coordenado por um grupo do Institute for Cosmic Ray Research (ICRR), da Universidade de Tóquio, Japão. O Kagra tem a sua disposição o fornecimento exclusivo do SDC® Clean Bolt, parafuso patenteado e produzido pela fabricante japonesa de fixadores SDC Tanaka Inc.

SDC® Clean Bolt é um produto com alta pureza, elevada resistência a desgaste, corrosão e que adota cementação plasma, tratamento reconhecido na tecnologia de estações orbitais sendo que a SDC Tanaka irá expandir a aplicação deste fixador.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com