Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 30
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Fundamentos de Marketing
16/12/2011 08h54

 

Entre Rios te espera de buracos abertos

Custo Brasil é um tema abordado pela mídia brasileira com certa frequência há muitos anos. Ora em moda, ora esquecido, o fato é que o problema é constante. Há uma lista interminável de gargalos que estrangulam a produtividade da economia brasileira.

Nos próximos dois anos, pouco ouviremos a respeito desta questão; a pauta será Copa do Mundo. Se para a opinião pública os problemas parecem existir somente quando estão estampados nas “chamadas” da mídia, para o empresariado os problemas fazem parte do desafio cotidiano. Bom seria se todos os problemas brasileiros fossem resolvidos com a construção de novos aeroportos e estádios de futebol.

Recentemente visitei o distrito de Entre Rios, Paraná, uma das regiões de maior produtividade agrícola do mundo, cuja base da economia é gerida pela Agrária - Cooperativa Agroindustrial. Lá, 550 cooperados e quatro indústrias geram faturamento bruto superior a R$1 bilhão; números que impressionam se considerarmos que as 240 cooperativas do Estado anunciaram em 2010 um faturamento de R$28 bi.

Qual não foi minha surpresa, o acesso e circulação entre as cinco colônias que compõem o distrito é de uma precariedade assustadora. A pavimentação, se é que podemos chamar assim, está tomada por milhares de buracos. Dirigir naquelas estradas se assemelha ao balé da Fórmula 1. O descaso das autoridades estaduais e municipais, responsáveis pelas vias de acesso e circulação, é uma agressão aos moradores, turistas e trabalhadores que tanto contribuem para o desenvolvimento da economia nacional. Caminhoneiros trocando pneus, às dezenas, é uma cena cotidiana naquela região. Sem dados estatísticos, não temo afirmar que a região lidera o ranking de pior malha viária do Brasil.

Esta caótica e vergonhosa situação é apenas mais um exemplo das dificuldades que “gente que faz” enfrenta em nosso País.

Humor Germânico
A comunidade formada por imigrantes Suábios, a cultura germânica predominante no distrito Entre Rios, encontrou um jeito bem brasileiro de protestar; criou um blog tragicômico que, entre outras denúncias, divulga a “valsa dos buracos”, um vídeo esclarecedor por si.

Veja em http://www.sosentrerios.blogspot.com/

 

Hans Müller é sócio-diretor da White Oak Marketing
hans@wocs.com.br

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com