Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 55
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Investimentos
13/02/2016 09h23

Investimentos

 

Metalofix: um novo player na produção de fixadores

 

Onde a importação pouco impacta se encontram oportunidades como esta, aproveitada pelos irmãos Moreira

 

 

Quando se dialoga com fabricantes, caso de fixadores, óbvio, não é incomum notar neles o desejo de criar uma revenda, assim como os revendedores desejam fabricar. O campo de itens especiais teve sobrevida durante a onda de parafusos importados nos últimos anos, cenário que se redesenha desde o ano que se encerrou – aquele que parece que nem começou.

Para aqueles que não viram ou não se lembram, 30 edições atrás (edição RP15, 2009) publicamos em nossa na seção Balcão uma matéria com a revenda paulistana Portofix, que na ocasião completava dez anos. Seis anos se passaram até um de seus sócios, Maércio Moreira, nos surpreender com a notícia da criação de uma nova fábrica de porcas, parafusos e similares, sediada em São Bernardo do Campo, SP, há 1 km da Ford Motor Company.

Como muitos setores no Brasil, o parafuseiro foi um campo de profissionais com pouca formação, do chairman ao chão de fábrica, que se valeram pelos esforços e conhecimento empírico. Mas, as novas gerações estão chegando, e cada vez mais bem formadas e aptas à aplicação de metodologias de gestão administrativa, produtiva e comercial. Ao seu lado na Cia, Maércio tem seu irmão Marcelo Moreira, engenheiro mecânico, com histórico profissional entre a divisão de tintas da Basf, na TRW, onde foi coordenador de TPM e 5 S nas sete plantas industriais no Brasil, e na União Brasileira de Vidros, como gerente geral industrial. Já Maércio é engenheiro elétrico, mas com atuação sempre nas partes administrativa e comercial. Esteve 13 anos na Brasinca (extinta fabricante de carrocerias), onde mexia com fixadores, algo que faz dede os 16 anos, e é pós-graduado pela Fundação Getúlio Vargas. Toda essa combinação entre formação técnica e manuseio de fixadores por décadas, gerou a fundação da Cia que busca fazer a coisas certa desde o começo, numa planta devidamente planejada, já em vias de se certificar ISO 9001:2008, sendo uma nova e boa opção para diversas empresas distribuidoras e usuárias, “desde uma indústria farmacêutica até máquinas agrícolas”, concluiu Marcelo.

As linhas já em produção desde outubro último se dividem entre parafusos e similares de M3 a M42 , porcas de até 22mm, exclusivamente usinados, mas peças prensadas já estão nos planos de expansão, incluindo uma pendência recente da implantação uma máquina vertical para estampagem de arruelas.

 

New-Fix expande sua produção de rebites

 

Com a aquisição de oito novas máquinas para montagem de rebites, a fabricante de fixadores New-Fix mantém seu processo de expansão.

   “A elevação de nossa capacidade produtiva neste momento será de 60%. Isso é um passo à frente, especialmente em 2016, que será, mais do que nunca, um ano de superação”, declarou Enéas Henrique, diretor comercial da Cia. “Embora sejamos a líder nacional na fabricação de rebites, temos também uma elevada produção em parafusos, porcas, arruelas e outros itens. Sua atuação tem maior intensidade nos segmentos industrial, moveleiro e na construção civil, setores que contam com uma fornecedora que mantém mais de 80 milhões de itens no estoque para pronta-entrega em qualquer o território brasileiro”, concluiu o executivo.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com