Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 53
Busca::..
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Balcão
16/10/2015 12h45

 Balcão

 

Pombão Sistemas de Fixação, Rio Grande do Sul

 

Na capital sul-rio-grandense, Porto Alegre, um comerciante e um engenheiro de voo deram asas para uma revenda de fixadores

 

Habitando em todas as partes do mundo, as pombas são capazes de alcançar velocidades de até 80 km/h e voar até 315 km de distância. Além de tudo, esses pássaros possuem o melhor sentido de orientação em todo o reino animal. Isso explica porque a espécie foi domesticada para a função de pombo-correio.

Em 1979, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, fora criada uma revenda de fixadores homônima desta ave, mas no aumentativo “Pombão”. O conteúdo do primeiro parágrafo deste texto não explica a origem do nome, mas percebe-se uma busca por um direcionamento seguro.

De acordo com um dos fundadores, Carlos Alberto de Souza, a sociedade começou com seu irmão, Manoel Valdir Souza, mas este saiu da empresa em 1985. Curiosamente, Manoel trabalhava na época como engenheiro de voo da companhia aérea Varig, hoje extinta.

“No dia em que iríamos escolher o nome, meu irmão disse ter uma representada com o nome de Pombão. Nome estranho, mas como ele disse que estava dando certo, ok, está escolhido, Comércio de Retentores e Parafusos e Parafusos Pombão Ltda.” comentou Carlos Souza.

Hoje com 65 anos, Carlos gere a revenda ao lado dos dois filhos, Carlos Eduardo, 40, em Compras, e Carlos Fabiano, 35, no Financeiro e no RH, além da colaboradora Rafaela da Rosa. Ele trabalha neste ramo desde os 16 anos, criou os filhos dentro da loja, com a esposa operando a parte financeira. “As crianças respiravam parafusos e tomaram gosto para tocar o barco conosco”, disse.

“No inicio também vendíamos retentores, mas hoje só trabalhamos com fixadores em ferro, em aço liga 10.9, 12.9 e linha b7. Também temos ferramentas, abrasivos, chumbadores mecânicos e químicos. Nossa atuação é mais forte nas linhas agrícolas, mecânica e moveleira. Fabricamos parafusos e outros ítens especiais, seja em ferro e/ou aço inox b7. Temos médias diárias de 100 clientes atendidos no balcão. Atualmente, nosso estoque gira em torno de R$ 7 milhões, com produtos divididos num espaço de 600m², bem superior aos 60m² da antiga loja, na avenida Farrapos, concluiu o empresário gaúcho.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com