Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 51
Busca::..
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
China News
13/05/2015 09h43

 China news

 

Declaração da CFIA sobre medidas antidumping da União Européia

 

  A China Fastener Industrial Association - CFIA, emitiu o seguinte comunicado em 27 de março de 2015:

“A União Europeia (UE) proferiu decisão final sobre medidas antidumping contra fixadores de aço originados da China, o que nos deixou realmente atônitos. Apesar de diversos comunicados e diálogos face a face entre ambas, a UE ainda insistiu em sua incorreta posição.

Nós, da CFIA, estamos profundamente desapontados e irritados com esta conclusão, que viola as regras de livre comércio, afetando os negócios rotineiros entre ambos, algo que pode nos levar a um destino inadequado. Melhor é seguirmos as tendências de desenvolvimento para eliminação de obstáculos e reforço da confiança mútua, bem como para construir melhores comunicações e plataforma de trabalho. Essas ações podem trazer de volta o comércio industrial sino-europeu de fixadores para melhor, em ambos os lados.

Porém, a Comissão Europeia não demonstrou respeito pelo esforço chinês, insistindo na decisão errada de impor esses direitos de antidumping, o que não trará benefícios para ambos. Na era da informação muitos custos são transparentes, como máquinas, matérias-primas e outros, e empresas europeias sabem. Muitas delas criaram suas fábricas na China sendo que, atualmente, o custo do trabalho na China é cada vez maior, e as diferenças de preços estão caindo.

Sinceramente, nós da CFIA esperamos da UE trazer o julgamento para a Organização Mundial do Comércio - OMC sobre este caso. O confronto não traz nenhum futuro; os lados devem reiniciar negociações com foco no ganha-ganha. Enfáticos, solicitamos um novo julgamento sobre o assunto”. Informações: www.chinafastener.com.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com