Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 51
Busca::..
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Ásia News
13/05/2015 09h45

 Ásia News

 
 

Nature Trading e Coventya: preservação do meio ambiente

 

Instalada em Taiwan, a Nature Trading oferece uma variedade de produtos químicos e instalações para engenharia em galvanoplastia. Na indústria taiwanesa de fixadores costumava-se usar soluções alcalinas com cianogênio durante a galvanoplastia. No entanto, na China e na Europa, as empresas voltaram a usar soluções alcalinas sem cianogênio, que não só podem manter um certo nível de qualidade depois do tratamento, mas também pode melhorar o custo no longo prazo (apesar do custo ser um pouco maior no curto prazo).

Cerca de 70 a 80% das indústrias automotivas europeias, amplamente admiradas por suas muitas plantas de galvanoplastia, desejam mudar a imagem de serem agentes altamente poluidores, assim como ter soluções econômicas e eficientes na redução das emissões de carbono.

As soluções da Coventya não só podem ser utilizadas na indústria de fixadores, mas serem destinadas para outras aplicações industriais.

 

  Concorrência com a China reduz 25% de fabricantes locais na Índia

 

Fabricantes indianos atravessam um difícil momento devido ao preço incomparável de parafusos e similares “Made in China”. Cerca de 40% do mercado local tem sido afetado por práticas de dumping. Estatísticas indianas mostram que três anos atrás havia cerca de dois mil fabricantes, estando hoje em 1,5 mil.

Membros da Fastener Suppliers Association (FSA), a associação de fábricas locais, apelaram ao governo para a adoção de algumas medidas razoáveis (como antidumping) sobre importações de fixadores baratos chineses. Antidumping é, atualmente, a melhor maneira de lidar com o problema, segundo a FSA. Diversos países têm adotado medidas como essas para proteger suas indústrias, e o governo da Índia deve ir nesta direção para salvar este setor produtivo.  

 

Santop inicia varejo na Tailândia via Oceano Azul

 

A Santop Co., Ltd. iniciou suas atividades empregando nativos na Tailândia com pleno conhecimento na língua japonesa, desde 2013. Preparando para fazer compras locais, a empresa visa atuar no sistema de eficiência e pontualidade praticado no Japão. De acordo com o presidente da Santop, tailandeses gostam de fazer as coisas devagar, além de serem menos pontuais. Portanto, ela planeja usar seu know-how nipônico para trilhar o caminho via Oceano Azul (*).

*Fonte: Livro “A Estratégia do Oceano Azul”.

 

Tailândia exportou US$ 280 milhões em fixadores

O valor das exportações globais da Tailândia, só no primeiro semestre de 2014, ultrapassou US$ 280 milhões no total. Os 5 maiores destinos desses produtos são EUA, Alemanha, Japão, Indonésia e Malásia. 93% dos fixadores importados pela Tailândia vem de 6 países da ASEAN (Association of Southeast Asian Nations), do leste asiático e três europeus. Já as cinco maiores nações fonte das importações são o Japão, China, Taiwan, Malásia e os EUA.  

 

Hashimoto Rashi combina criações com o uso de parafusos

 

 

A empresa japonesa Hashimoto Rashi Co., Ltd desenvolveu um kit chamado de “Screw Blocks”, no qual o usuário pode criar e montar inúmeras coisas no tamanho de até um desktop (computador), combinando livremente diversos tipos de fixadores. No mercado ainda no primeiro semestre de 2015, o kit é composto de parafusos, porcas e articulações, dando ao usuário uma infinidade de opções, seja a criação de bonecos, robôs e outros. Trata-se de um produto que pode ser indicado para uso em escolas, centros técnicos, hospitais e unidades de reabilitação de pacientes.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com