Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 51
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Atlas Copco
13/05/2015 09h49

 Eventos

 

Atlas Copco completou 60 anos de Brasil

 
Empresa realizou coletiva para mostrar os grandes feitos durante esses anos e anunciar boas novas
 

Em 2015 o Grupo Atlas Copco comemora 60 anos desde a sua chegada no País. Fato este que fez a empresa organizar um evento especial para mostrar sua trajetória. “Desde o início, a empresa esteve presente em grandes obras, como a usina de Tucuruí nos anos 60, a construção do maior túnel do Brasil, na Rodovia Imigrantes, nos anos 80, e atualmente em Belo Monte, apenas para citar alguns exemplos”, afirmou Claes Backlund, vice-presidente da Atlas no Brasil, que iniciou o discurso das rápidas palestras sobre o grupo.

A empresa emprega mais de 1.400 funcionários e conta com duas fábricas, além de escritórios em Barueri e Sorocaba - SP, filiais em cinco estados e distribuidores pelo país. Em 2013 e 2014, o Brasil foi o quinto maior mercado da empresa em receitas em todo o mundo, ficando atrás dos EUA, China, Alemanha e Áustria. Segundo relatório publicado pelo grupo, o último trimestre de 2014 mostrou resultado recorde, devido a aquisições e fortalecimento de produtos. Seu crescimento orgânico foi de 2% e computou receitas superiores a R$ 78 milhões.

A Atlas foi dividida em quatro áreas de negócio e cada responsável discursou um pouco sobre seu setor: Compressor Technique, sistemas de ar comprimido e equipamentos de tratamento – a cargo de Carlos Frateschi; Construction Technique, equipamentos e ferramentas para a construção civil – a cargo de Fernando Groba; Mining and Rock Excavation Technique, equipamentos para a área de mineração – a cargo de Alvaro Marques; e a Industrial Technique, responsável por ferramentas industriais e tecnologias para fixação – a cargo de Carlos Maia.

Uma das aquisições e ampliações da empresa em 2014 foi, justamente, no setor de fixação. A Atlas Copco assinou um acordo com a Henrob, indústria especializada em equipamentos para soldagem, e adquiriu todas as suas unidades. A Henrob é bastante conhecida em rebitagem autoperfurante, um processo de fixação mecânica para unir duas ou mais folhas de material onde a soldagem é difícil, por exemplo, alumínio. A empresa possui cerca de 400 funcionários. “Henrob é um ajuste estratégico em nosso portifólio de tecnologias de fixação adjacentes para a indústria automotiva. Agora   podemos atender os clientes com as três tecnologias de montagem: aperto, adesivos e rebitagem autoperfurante”, explicou em comunicado Mats Rahmstrom, presidente da Industrial Technique da Atlas Copco.

Carlos Maia, gerente geral dessa área, explicou aos presentes sobre a evolução das ferramentas manuais dos anos 50 para cá e o que mudou durante esses 60 anos, como a participação de mercado. “O que nos trouxe até aqui é o foco muito grande em serviços, pós venda e aquisições multi seletivas, que objetivam ampliar a oferta de produtos e serviços para os nossos clientes”, afirmou. Maia é formado em Engenharia pela USP, possui especialização em finanças e administração pela FGV, IFL (Suécia) e INSEAD (França), e trabalha na Atlas há 30 anos. Atualmente é o Chairman de Industrial Technique para a América do Sul.

Nos últimos três anos, o setor Industrial Technique adquiriu 7 empresas, 4 delas estão nos mesmos mercados que já atuam. As outras três são aquisições onde a empresa não possuía presença. “Adquirimos a SCA, Synatec e a Henrob. Nossos mercados tradicionais, onde somos muito fortes, são indústria aeroespacial, linha branca, automobilística, tratores, agrícolas, entre outros. Queremos inserção em novos setores, como energia eólica e Oil & Gas, por exemplo. Nossa meta para 2015/2017 é crescer 17% ao ano em vendas, totalizando 60% para os próximos três anos e crescer 20% o número de colaboradores”, finalizou.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com