Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 48
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
05/11/2014 05h47

 Persona

  Retrospectiva 2014 – Perspectiva 2015

 

 

Decididamente 2014 é um ano para ser esquecido pelo setor Industrial Brasileiro e, por consequência, para o nosso setor de fabricação de Elementos de Fixação.

Não podemos nos deixar levar pelas desculpas que este ano está sendo atípico pelo fato de termos tido, pelo menos, 03 eventos que influenciaram negativamente na produção: Carnaval, Copa do Mundo e Eleições. Nossa leitura é que a despeito desses eventos, fatores outros foram muito mais signifi cativos na baixa performance do nosso setor, como:  

 

 

 

1. Parâmetros macroeconômicos desfavoráveis.

2. Logística inadequada e ineficiente por falta de planejamento e investimento governamental causando considerável alta dos custos da    produção.

3. Juros altíssimos inviabilizando investimentos imprescindíveis na modernização dos meios de produção.

4. Inflação alta, fora dos parâmetros projetados, causando aumentos de custos sem a possibilidade de repasse nos preços de venda.

5. Câmbio com supervalorização do Real, inviabilizando a exportação e incentivando a importação.

6. Aumentos de mão de obra acima da inflação, sem a reciprocidade no aumento de produtividade.

7. Aumento do PIB, decepcionante em comparação a outros países em desenvolvimento e imprescindível para propiciar investimentos contínuos na modernização e com isso garantir o tão almejado desenvolvimento sustentável.  

Como resultado, estamos experimentando um ano de 2014 de retrocesso econômico perverso, onde o nosso bem maior que é o potencial do nosso mercado interno sendo substituído por produtos importados e causando atraso na nossa competitividade com outros países mais bem organizados.

Por outro lado, não podemos desanimar na árdua tarefa de resgatar a nossa competitividade e voltarmos a ter a perspectiva de crescimento sustentável.

Nesse sentido é que temos que visualizar o ano de 2015 com otimismo, pois alguns fatos novos deverão    contribuir para tal, como:  

• Teremos a formação do novo Governo liderado pela Presidenta Dilma, reeleita em 26 de outubro. Pelo que foi exposto no decorrer da campanha, pudemos depreender que a Presidenta tem pleno conhecimento dos graves problemas que afligem a nossa indústria e restringe o crescimento da economia demandando medidas urgentes que   deverão ser implementadas para propiciar o resgate da confiança no poder de reação da economia do país.

• Com a necessária correção da gestão: reformas ansiadas desde há muito, combate à corrupção, investimentos com alto critério de prioridades (segurança, saúde, educação, etc.) deverá devolver a confiança necessária para reestimular a força empreendedora dos nossos investidores e trabalhadores.

Sabemos que esse processo não é instantâneo, leva algum tempo para dar sinais de recuperação, pode até    consumir parte do próximo ano, porém proporcionará a base para que em 2016 já tenhamos a retomada do processo sustentável para o crescimento do nosso parque industrial e por consequência do país como um todo, o que é sem dúvida alguma a vocação e o anseio do nosso povo.  

José Gianesi Sobrino
Presidente do Sindicado Nacional da Industria de Parafusos - SINPA
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com