Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 46
Busca::..
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Ásia News
31/07/2014 11h41

Ásia news

 

Exportações chinesas de fixadores podem se recuperar na zona do euro

 

Durante muito tempo, a União Europeia (UE) tem sido o principal mercado das exportações de fixadores chineses, o que representa 1/3 do volume total. Sob o impacto da crise da dívida europeia, em 2013, o aumento da margem dessas exportações chinesas abrandou. No 1º semestre de 2013, a proporção das exportações de Jiaxing para a UE caíram 24,2%. Durante janeiro e novembro de 2013, apenas a Alemanha, Reino Unido e a Itália foram listados nos principais destinos desses produtos. As exportações foram de 58 mil toneladas para a Alemanha, 36 mil toneladas para o Reino Unido, e 32 mil toneladas para a Itália.

No futuro, espera-se que a zona do euro gradualmente se recupere, e que até 2014 haja um crescimento substancial na proporção de exportações de fixadores chineses para a UE. Além disso, para o grande número de exportadores chineses de fixação, a demanda única, o grande mercado e o comércio maduro europeu, bem como o seu poder de atração e potencial, são insubstituíveis por outros mercados.

 

Boltun se torna a maior produtora mundial de porcas soldáveis  

 

Com plantas industriais em Taiwan e China, a taiwanesa Boltun Corporation, fabricante de fixadores metálicos alcança capacidade anual de produção de 100 mil toneladas em porcas soldáveis, o que representa 9% do consumo global. A empresa tem faturamento anual na ordem de receita de mais de  US$ 360 milhões, e entre seus principais clientes aparecem marcas mundiais renomadas, como Volkswagen, Ford, Chrysler, GM e Mercedes-Benz. Quando iniciou suas atividades, a Boltun já visava os mercados automotivos OEM. Suas porcas soldáveis evoluíram de 40 para 3 mil tipos, tornando-se a maior fabricante, ampliando sua tecnologia de forjamento a frio para produção de parafusos, peças especiais de multi-combinação.

Recentemente, ela aumentou o investimento nas plantas, incluindo ampliação nos processos de fabricação, fazendo grandes peças, entre elas fixadores para aerogeradores (para geração de energia eólica) e muitos outros.  

Ofa busca expansão com a tecnologia de tratamento de superfície Fresh Green  

Originária do Japão, a Ofa Co., Ltd. busca vitaminar seus negócios no seu Fresh Green (FG), uma tecnologia de tratamento de superfície que se tornou notória por atingir altos níveis de dureza e de anticorrosão, formando uma película revestida com carbono de titânio oxidado, em titânio ou liga de titânio.

A película é formada, simultaneamente, por meio da realização da oxidação e da carbonização em titânio. O filme é sofisticado e altamente aderente e, assim, um excelente anti-desgastante e anticorrossivo, contribuindo muito para redução de peso. O método geral de tratamento da superfície de titânio consiste em revestir a superfície com um ligante. Em contraste, a tecnologia FG modifica a superfície por oxidação e carbonização simultânea.

Por modificação, sem a necessidade de ligantes, a tecnologia FG pode ser aplicada em parafusos sem perder a sofisticação da superfície, evitar escoriações e outros danos. Como a tecnologia FG adota processamento ambiente, não há necessidade para a sua realização num estado de vácuo, reduzindo, assim, o custo do tratamento para os componentes altamente utilizados, tais como parafusos.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com