Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 36
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Rio Oil & Gas
27/11/2012 04h28

 Eventos

 

16ª edição da Rio Oil & Gas
 
A RP esteve no principal evento de petróleo e gás da América Latina e apresenta os destaques do ramo parafuseiro para o setor
 
 
 
A Rio Oil & Gas Expo and Conference aconteceu entre os dias 17 e 20 de setembro no Centro de Convenções do Riocentro - Rio de Janeiro. Realizada a cada dois anos, a feira é uma importante vitrine para as empresas nacionais e estrangeiras apresentarem seus produtos e serviços e também uma ótima oportunidade de discussão sobre os principais temas relativos às inovações tecnológicas durante suas conferências.
 
Desde sua primeira edição, em 1982, vem colaborando na consolidação do Rio de Janeiro como a “capital do petróleo”, já que o estado concentra 80% de todo o óleo produzido no país, além de 50% da produção de gás. O presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), João Carlos de Luca, considerou a Rio Oil & Gas 2012 como “a melhor em 30 anos”, com a realização de quatro plenárias, 24 painéis e apresentação de 586 trabalhos técnicos de 25 países, sendo que a conferênciacontou com 4.250 congressistas.
 
A feira registrou 1.300 expositores de 27 países, enquanto o programa Profissional do Futuro, voltado para jovens estudantes, contou com o número recorde de 2.300 participantes. O executivo destacou, ainda, os números da Rodada de Negócios da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), que gerou R$ 152,8 milhões em negócios, e que a indústria de petróleo e gás está pronta para dar a resposta ao novo impulso dado ao setor com o anúncio da realização da 11ª Rodada, em maio, e da primeira Rodada do Pré-Sal, em novembro de 2013. “Ainda que a realização dependa do equacionamento da questão dos royalties, o anúncio mostra o reconhecimento e o alinhamento do governo com as necessidades do setor”, complementa. 
 
No próximo ano, o Brasil será sede da Offshore Technology Conference (OTC), evento internacional do setor de petróleo que, pela primeira vez, será realizado fora de Houston e é composto de conferências técnicas e uma feira. Já em 2014, o setor poderá contar com a 17ª edição da Rio Oil & Gas. Enquanto isso, veja os destaques desta edição:
 
Lamons/Cifal

A Cifal, que em julho deste ano se tornou a nova divisão da americana Lamons, marcou presença no evento trazendo uma inovação para o mercado brasileiro. “Um dos produtos que estamos trazendo é o SPC4 Techonolgy, que é um parafuso inteligente e inovador. Ele possui um pino controlador do alongamento do parafuso, que juntamente com um calibrador é possível controlar essa dilatação e aumentar a vida útil do material. Afeta tanto o parafuso como as juntas de vedação, que também fazem parte do nosso portifólio. A norma prevê que o material se alongue, mas dependendo da operação um dilata mais que o outro. Com este produto, é possível trabalhar com segurança e prevenção, ao invés do efeito e correção. O equipamento é relativamente barato, mas o know how para fazê-lo é o maior investimento que estamos trazendo. Iremos começar a produzi-lo na Cifal dentro de seis meses”, informaram Kurt Allen (1), presidente da Lamons, e Marcelo Turco, gerente geral da Lamons do Brasil.

 
JEA
“Além dos produtos em catálogo, trouxemos como apresentação aqui na feira nossas abraçadeiras de reparo de tubulações. Sua aplicação se dá em uma avaria na tubulação que está operando, ou seja, ela possibilita que essa linha seja reparada sem uma manutenção muito complicada. Fazemos esse processo por aperto ou solda e um dos nossos principais clientes é a Petrobrás. O setor de óleo e gás representa 25% no nosso faturamento e vem aumentando a cada ano. Para se ter uma ideia, no ano passado fechamos com 15%. Por isso, investimento cerca de R$ 100 mil em um estande de 25m² para expor nossas novidades”, explicou Júlio Silva, do departamento de desenvolvimento de processos.
 
 
Metalinox
 
 
A empresa atua no mercado brasileiro há mais de 30 anos como distribuidora de aço inoxidável, comercializando barras, tubos e chapas nos mais diversos formatos. “Forneço o material para fabricantes de peças e também vendo material direto para a Petrobrás. Como estamos entrando no mercado de óleo e gás, inclusive é primeira vez na feira, nosso forte hoje é a linha de cervejaria. Projetamos um crescimento de 4 a 5% neste novo mercado e investimos R$ 30 mil em um estande de 30m²”, explicou Jair Lopesdepartamento de vendas.
 
 
 
 
 
Multialoy
 
“Estamos apresentando aqui três produtos muito procurados na área de óleo e gás. O primeiro são parafusos especificamente projetados para atender a demandas específicas, que são muito mais exigentes do que parafusos utilizados em máquinas, por exemplo; o segundo são os anéis de vedação metálica, utilizados na vedação das tubulações que levam petróleo e gás; e o terceiro são as ligas especiais de cobre, titânio, e outros materiais, desenvolvidas para trabalhar em ambientes agressivos e resistentes à corrosão. Crescemos muito neste mercado por causa da demanda industrial. Para se ter uma ideia, em 2004 nosso porcentual de óleo e gás representava 10% do faturamento. Hoje, ele resulta em mais de 90%. Investimos aqui cerca de R$ 150 mil com toda a ação”, declarou Cesar Santaella, diretor exe-                                                                           cutivo.
 
 
 
Ciser
“É a primeira vez que participamos desta feira. Por isso, apresentamos nosso portfólio com itens específicos para o mercado de óleo e gás, com parafusos, porcas, arruelas e outros. Como estamos entrando no mercado agora, nossa expectativa é que ele represente cerca de 15% do nosso faturamento. Estamos nos estruturando para chegar nesse objetivo, tanto na parte de equipe técnica como comercial. Afinal, este ramo precisa de fornecedores capacitados para atendê-los e vamos investir nisso. Percebemos que o movimento aqui é muito bom, com público interessante, e iremos marcar presença na próxima edição também. Nesta, investimos R$ 50 mil em um estande de 25m²”, informou Marcelo Moraes, gerente de divisão de novos negócios.
 
 
Hytorc
 
“A empresa trouxe como foco na feira a demonstração de máquinas de torque elétrico e hidráulico para o setor óleo e gás. Nossos produtos são todos importados, somente revendemos aqui no Brasil. Uma das linhas em destaque é a série AVANTI, um sistema que além de alcançar precisão de 5% de torque em uma carga calibrada permite operá-lo por controle remoto, deixando as mãos livres, mesmo em aplicações invertidas. O fornecimento desses materiais para a indústria petroquímica representa 80% do nosso faturamento. Investimos cerca de R$ 90 mil em nosso estande de 45m²”, falou Rainer Hinrichs, gerente de desenvolvimento de energia eólica para                                                                         América do sul.
 
 
Realum
 
 
Atuando na distribuição de titânio, ligas de níquele inoxidáveis, a empresa comercializa matéria prima e produz peças especiais com estes materiais. “Estamos mostrando todos os materiais, ligas especiais de aço e níquel, peças, fixadores em geral, parte de forjaria, usinagem e solda
em nosso estande. Estamos há dois anos neste mercado e ele representa cerca de 40% do faturamento. Realizamos vários investimentos ao longo desse tempo para atender o negócio, como estoque, ampliação das linhas, pessoas com conhecimento técnico e equipamentos. Investimos cerca de R$ 110 mil para 50m² de exposição”, finalizou Marcos Sayeg, diretor administrativo.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com