Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 36
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Investimentos
27/11/2012 04h30

INVESTIMENTOS


Alcoa investe em sistemas de fixação no Brasil

Divisão da companhia criada pela fusão das empresas Huck Fasteners e Fairchild Fasteners montou equipe da área no País e busca ampliar sua participação no mercado de fixadores

 

 

A Alcoa, considerada líder mundial na produção de alumínio primário e transformado, trouxe três novos segmentos de negócio para o Brasil: óleo e gás, construção civil e sistemas de fixação - por identificar perspectivas de crescimento nesses mercados. Agora, pretende ampliar sua atuação nessas áreas com base na expertise da companhia e no conhecimento do mercado brasileiro. “Diante do contexto mundial, que tem impactado a indústria do alumínio, com demanda mais contida, elevado nível de estoques e preços deprimidos, nosso foco tem sido trabalhar pela competitividade de nossas operações atuais e buscar oportunidades de desenvolvimento de mercado com produtos de maior valor agregado”, explicou Frankli L. Feder, CEO da Alcoa América Latina e Caribe. Segundo o executivo, o aporte inicial nesses negócios foi de U$S 5 milhões, com foco na estruturação das áreas no País, e a expectativa é um retorno de cerca de U$S 15 milhões em 2012. 

A divisão de fixadores, cuja equipe começou a ser implantada aqui em setembro de 2011, produz sistemas avançados de fixação mecânica para fornecer às indústrias aeroespacial, ferroviária, de mineração, marítima, construção civil e, especialmente, para a automotiva. Segundo dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), a previsão de crescimento da produção é de 950 mil veículos comerciais (9% em relação a 2011), sendo 661 mil comerciais leves (+9%), 235 mil caminhões (+9%) e 54 mil ônibus (+13%), o que justifica o fortalecimento do negócio no País. Ainda, para complementar o time que está sendo montado, a empresa busca utilizar profissionais brasileiros e contará com apoio integral tanto da estrutura da Alcoa no Brasil, como também do time técnico da divisão Alcoa Fastening Systems (AFS) nos Estados Unidos. 

A ideia – segundo o gerente comercial da Divisão de Fixadores da América do Sul, Leonardo Carvalhaes - é consagrar no Brasil o sucesso da marca Huck e a patente Bobtail, além de comercializar toda a linha de blind Rivets, porcas rebites, roscas postiças e o mais recente produto chamado Huck 360 – um sistema de fixação projetado para ser livre de manutenção e resistente às vibrações, mesmo sob condições extremas. O Bobtail veio para substituir os antigos C50L e C6L, por ser um produto bem mais elaborado, barato, e que não deixa ocorrer quebra parcial do pino no ato da instalação. Além de atingir resistência 10.9, podem ser produzidos em aço, alumínio ou aço inox. Entre tantas melhorias, a empresa cita também a possibilidade de remoção do pino por meio de uma ferramenta de corte (ponteira instalada na rebitadeira hidráulica) e check point visual de instalação. Entre os produtos comercializados estão os fixadores das marcas: Huck, Marson, Camloc, Recoil, Snep e Simmonds.

“Nossa tecnologia de fixação é um grande diferencial no mercado, principalmente para os clientes que utilizam fixadores metálicos em aplicações que jamais podem perder o aperto devido ao excesso de vibrações. Em algunscasos, a perda de aperto compromete a segurança do produto, a integridade de terceiros e as próprias pessoas que os utilizam. Nossos Huckbolts são a solução para esse tipo de problema, além de serem mundialmente reconhecidos por meio da marca Huck, podendo ser encontrados em diferentes nichos de mercado”, explica Carvalhaes. 

Hoje, a empresa emprega cerca de 6.500 pessoas no mundo e faturou U$ 1.3 bilhões em 2011 somente com essa divisão, que é composta pelo business Aerospace + Indústrias e representa em torno de 5% do faturamento total do grupo. Adquirido pela Alcoa em 2002,esse braço tem como matriz a unidade fabril na cidade norte-americana de Waco, no Texas, e possui presença nos estados americanos da Califórnia, Indiana e Nova Iorque, e também em países como o México, Inglaterra, França, Alemanha, Japão, China, Cingapura e Austrália. No Brasil, a companhia atua em toda a cadeia produtiva do alumínio, desde a mineração da bauxita até a produção de transformados. Possui seis unidades produtivas e três escritórios distribuídos no Maranhão, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal. Em 2011, registrou faturamento de R$ 2.5 bilhões no País. 

“Nossos fixadores, além de proporcionarem inúmeras soluções à engenharia de produto dos clientes, também geram excelentes oportunidades para trabalhos relacionados à racionalização de itens, melhoria de processos por meio da redução de ruídos, insalubridade operacional, aumento da velocidade de produção etc. Não obstante a todos os benefícios citados acima, os Huckbolts também substituem inúmeros processos de solda. O princípio de aperto é diferente dos parafusos e porcas convencionais, pois não existe torque na aplicação e a instalação é feita por meio de tensionamento com deformação de material do colar nas ranhuras helicoidais do pino. Uma vez instalado, não há chances para perda de aperto, mesmo nas condições mais severas de vibração. Se você tem um Huckbolt instalado em seu produto, você tem a garantia de total segurança de aperto”, finaliza Carvalhaes. 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com