Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 36
Busca::..
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
27/11/2012 04h38

PERSONA

“Sinpa: Retrospectiva 2012”

 

Entendemos oportuno na última edição deste ano da Revista do Parafuso fazermos uma retrospectiva das principais atividades do Sinpa. Como todos sabem, o ano de 2012 foi bastante difícil para a indústria de transformação, onde nós estamos incluídos. 

• O câmbio desfavorável com a apreciação exagerada do Real, estimulando a importação de fixadores;

• Crise econômica da União Europeia;

• Super oferta de produtos industrializados, inclusive fixadores;

• Diminuição do ritmo de crescimento da China;

• PIB abaixo do projetado;

• Recuperação lenta da economia norte-americana;

• Pressão para aumento real de salário em desacordo com o não aumento de produtividade.

Por tudo isso, somos obrigados a reconhecer que a competitividade do setor ficou muito prejudicada. Felizmente, o governo - sensibilizado com essas dificuldades - adotou algumas medidas que se não resolvem o problema nos dão esperanças de conseguirmos a partir do primeiro trimestre do próximo ano experimentar uma inversão da direção do vetor produtividade e consequente aumento da competitividade. 

Muito ainda tem que ser corrigido, porém reconhecemos que diminuição de juros, desoneração da folha de pagamento para alguns segmentos, redução do custo da energia elétrica e maior rigor no controle dos ilícitos de importações conjugadas com medidas necessárias na área de redução de carga tributária, desburocratização, infraestrutura e logística poderão devolver ao nosso setor e à indústria de transformação em geral a necessária competitividade para alicerçar o crescimento sustentável da nossa indústria e do país. 

No que compete ao Sinpa, podemos elencar que nesse ano conseguimos:

• Inclusão do setor no plano quadrienal do Inmetro, o que virá, com a imposição de certificação tanto dos produtos como dos fabricantes nacionais e/ou estrangeiros, garantir um nível de qualidade condizente com a responsabilidade dos elementos de fixação;

• Junto ao MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior conseguimos os destaques dos NCMs conforme o tipo de matéria prima coibindo o ilícito na classificação dos produtos importados;

• Junto a Receita Federal conseguimos, através da Instrução Normativa nº 1.111 de 27/12/2010, os NVEs (Nomenclatura de Valor Aduaneiro e Estatística), a permissão de um maior controle dos preços dos produtos importados conforme a matéria prima;

• Junto ao Ministério da Fazenda conseguimos com que o setor fosse incluído no rol dos contemplados para a desoneração da folha de pagamento, objeto da Medida Provisória nº 582 de 20/09/2012;

• Em conjunto com o Departamento de Defesa Comercial da Fiesp participamos em 2012 de mais quatro apresentações (num total de 57) em Portos, Aeroportos e Fronteira do programa “Dialogo com Autoridades Públicas”, que consiste no treinamento dos servidores da Receita Federal no sentido de evitar os ilícitos praticados na importação. A diretoria do Sinpa está conscientizada que poderá dentro da sua área de responsabilidade contribuir para que o setor seja adequadamente atendido pelos órgãos governamentais e com isso buscar com grande persistência condições melhores de competitividade. Isto é necessário, pois temos a nosso favor um mercado interno muito promissor e que é objeto de desejo de todas as nações industrializadas.

A diretoria do Sinpa está conscientizada que poderá dentro da sua área de responsabilidade contribuir para que o setor seja adequadamente atendido pelos órgãos governamentais e com isso buscar com grande persistência condições melhores de competitividade. Isto é necessário, pois temos a nosso favor um mercado interno muito promissor e que é objeto de desejo de todas asnações industrializadas.

José Gianesi Sobrinho 

Presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Parafusos - Sinpa

sinpa@sinpa.com.br

 

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com