Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 34
Busca::..
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Feira da Mecânica
20/09/2012 02h43

 EVENTOS

 
29ª Feira Internacional da Mecânica
 
Com participação de duas mil e cem marcas expositoras, evento superou a expectativa de público e geração de bons negócios
 
 
 
O ano de 2012 foi cenário de importantes acontecimentos  para o setor parafuseiro. Entre eles, não poderia faltar a Mecânica, maior feira do setor de máquinas e equipamentos da América Latina, evento bienal que apresenta, há 52 anos, as principais tendências e inovações do setor industrial. Esta edição aconteceu entre os dias 22 a 26 de maio em um espaço de 85 mil m² no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, e apresentou expositores brasileiros e de mais 39 países, como a Alemanha, EUA, Itália, Espanha e Argentina, por exemplo.
 
Segundo a organizadora do evento, Reed Exhibitions Alcantara Machado, foram esperados aproximadamente 106 mil visitantes, sendo 57% desse público formado por pessoas com cargo de liderança e poder de compra em suas empresas. Os profissionais que participaram do evento são dos setores: automobilístico, alimentação, papel, plástico, químico, entre outros. Já os números divulgados pela Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos) mostraram que este segmento passa por uma retomada do crescimento. Durante o primeiro trimestre deste ano, o setor faturou R$ 19, 5 bilhões, alta de 5,1% em relação ao mesmo período em 2011, panorama que se contrapõe com a visão do mercado de fixadores, considerado pelos especialistas um pouco “frio” para o momento. 
 
Em nossa matéria de cobertura, que você confere a seguir, mostramos algumas empresas e seus destaques, entre eles o lançamento de aparelhos de monitoração de prensas; produtos focados no consumidor final; investimentos em tecnologia de rastreabilidade; machos manuais e machos-máquina; soluções que aliam produtividade e sustentabilidade; inauguração de nova fábrica e muito mais. Acompanhe as novidades e boa leitura!
 
SouthWind
                                                                                                                                                 
“Nosso foco foi apresentar pela primeira vez no Brasil uma prensa de conformação a frio denossa representada da Bélgica, a Nedschroef. São máquinas de alta tecnologia, para produção peças de grande complexidade geométrica. A ideia foi mostrar ao público as possibilidades que existem em tirar peças que hoje são feitas por outros processos,de maneira rápida, precisa, com baixo custo e grande garantia de qualidade. Ainda, este equipamento está acoplado no sistema Brankamp, como qual somos representantes há muito tempo, que monitora toda a produção. Por isso, investimos cercade R$ 100 mil neste estande de 56 m², a fim de demonstrar para o cliente o seu processo em tempo real”, ressaltou o diretor J. Graef.
 

Grupo Albafér

“Fixação é o forte da nossa empresa. Temos 55 anos de estrada e cinco marcas acopladas, que são elas a Cabri, Heinz, NVO, Tool Master e Warrior. Nossa linha de produtos conta com mais de cinco mil itens e exportamos para mais de 20 países. Por isso, nosso foco na feira,além de ser institucional, também é vender. Estamos lançando dois produtos: pontas rotativas para CNC da Cabri e machos manuais da Heinz, além de toda a linha de pinos. Investimos US$ 100 mil em nosso estande de 100 m² para mostrar tudo o que podemos oferecer. Apesar do mercado de fixadores estar sofrendo algumas instabilidades, apostamos que este período será ultrapassado e sempre pensamos a longo prazo”, destaca Wilson Rodrigues, diretor comercial.

 

 Atlas Copo

“A presença na feira para nós é muito importante, pois o cliente chega para conhecer novas tecnologias. Como a demanda por qualidade é muito grande, estamos contando com um crescimento no ramo e investimos cada vez mais em alta tecnologia para trazer esta condição para as montadoras. Um dos principais destaques do nosso estande são os compressores de parafuso com tecnologia VSD (Variable Speed Drive). Esta tecnologia racionaliza o consumo da energia elétrica, o que é bompara o meio ambiente e altamente produtivo. E também uma apertadeira que faz diferentes fixações em um veículo ou uma moto. Ela já sabe qual o torque que deverá ser aplicado. Todo mundo tem uma, mas o diferencial desta é um sistema à prova de erros e a portabilidade do aparelho”, esclarece Ronaldo Niss, gerente de negócios.

 

Temsa

“Para o nosso setor, esta é uma feira muito geral. Porém, recebemos a visitação de clientes e notamos apresença de muitos estudantes também, o que é um fator positivo. Dividimos nosso estande de 56 m² com outras empresas do mesmo grupo, no qual foi investido R$ 80mil, e, no caso da Temsa, fizemos um trabalho muito forte de divulgação em cima de ferramentas de estampagem, que é o nosso carro-chefe no Brasil desde 1999. Ainda, estamos importando da Espanha ferramentas para a indústriade munição, embalagens metálicas, latas e tubosem geral de aço para trefilação. Mesmo atravessando um momento difícil do mercado, não noto uma perspectivade melhora imediata. Muitos apostam em uma alavancada no segundo semestre mas creio que este ano vai continuar tranquilo”, comenta J. Ramón Gomez, diretor.

 

Alcoa

“A Alcoa atende o segmento de máquinas e equipamentos de diversas maneiras. Nós estamos em toda acadeia produtiva do alumínio, desde a extração do minériode Bauxita até produtos acabados, como, por exemplo, fixadores, rodas, laminados, chapas, folhas de alumínio eoutros produtos extrudados. Nosso foco aqui foi apresentar este vasto portfólio que possui diversas aplicações. Nocaso dos fixadores, foram expostos os produtos de nossa marca Huck, que têm como grande vantagem permitir aunião entre materiais distintos, como a união Aço-Alumínio, além de outros benefícios como nunca perderem oaperto mesmo em ambientes de intensa vibração e possuir um tempo recorde de instalação de apenas dois segundos”, depoimento de Raquel Antônio e Leonardo Carvalhaes.

 Cavour

 

“A feira em si sempre gera bons negócios e issoé importante. Nosso foco aqui, em estande de 42 m², foi trabalhar no fortalecimento da marca e apresentar alguns produtos. Trouxemos a nossa máquina top delinha TRL 50, que faz qualquer tipo de perfil de rosca, e é 100% nacional. Também começamos a atuar fortemente em pentes laminadores, porque a indústria parafuseira consome muito este tipo de perfil. Ainda, investimos em profissionais especializados nesse ramoe em máquinas para produção deste tipo de ferramentas”, ressalta Gustavo Monesi, gerente comercial.

 

                                                                                                         

 Belenus

“A empresa já é conhecida no mercado e está emperíodo de expansão, desenvolvendo novos produtos baseados em uma fábrica nova com capacidade de fazer 3.500 toneladas de produtos por mês. Logo, os setores de construção civil, metal mecânica e automotivo, a empresatem intenção de abraçar. Já no mercado de fixadores há uma concorrência feroz, tanto interna quanto externa. Os produtos costumam ser os mesmos. Por isso, o caminho da Belenus é focar no diferencial do atendimento”, explica Fernando Martinez, gerente de vendas. O estande contou com 50 m² e investimento de R$130 mil.

 

Naschold

Investindo R$ 15 mil em um estande de 20 m², a empresa destacou no evento soluções para profissionais do ramo, como os engenheiros. “Tivemos muitas visitas de pequenos grupos de engenheiros que queriam uma solução mais barataou um fornecedor melhor, um projeto novo. Esse objetivo foi plenamente atingido. Estávamos ligeiramente pessimistas em relação à feira, mas fomos surpreendidos pela chegada desses técnicos e o público em geral procurando alternativas”, destaca Ricardo Naschold, diretor.

 

 Regg Inspection

 

“Cada vez mais o mercado de fixação pede máquinas de inspeção e seleção de peças, e só tem um fabricante nacional. Por isso, um dos destaques que apresentamos consiste em uma máquina que faz a leitura dapeça em segundos, conduta que hoje o operador usa um calibrador para fazer, gastando muito tempo. Com esta máquina, o produto é escaneado instantaneamente”, explica Marcelo Pontes, representante da empresa aqui no Brasil. Seu investimento foi de US$ 6 mil para 24 m² de área.

 

Prensas Schuster

A empresa destacou na feira uma prensa de quatro estágios, definida pelo diretor como “duas máquinas em uma”. Ela produz parafusos, rebites e fixadores estampando nos quatro estágios e recortando no último. Ainda, tem capacidade para arame de 10mm. “Investimos R$ 130 mil em nosso estande de 55 m² para mostrar, além da prensa, nosso último lançamento: o Conformax. É um aparelho que monitora a produção, controla a qualidade da máquina deforma independente e evita perda de material. Investimos cerca de R$ 50 mil para a sua projeção. Por isso, a nossa expectativa aqui foi gerar um grande número de vendas, pois tivemos uma boa procura de pessoas buscando novas oportunidades e equipamentos com a maior qualidade e melhor produtividade”, afirma Mauro Schuster.


D&D Manufatureira

 

“É a nossa primeira participação na Mecânica. Estamos com um estande de 55 m² e planejamos um investimento aproximado de R$ 100 mil para a feira. Foi excelente pois apareceu uma infinidade de novos negócios e alguns clientes tradicionais. Ainda mais agora que, após 15 anos de mercado, a D&D decidiu começar um novo segmento de trefilação de tubos. Recebemos algumas consultas, principalmente para exportação, tanto de fixadores como de tubos. Considero que estamos bem conceituados para este segmento”, afirma Paulo Diebe, diretor.

 


Amatools 

 

“Marcamos nossa estreia na Mecânica e apresentamos os lançamentos do catálogo 2012, que somam um  total de doze para a linha de machos máquina. Dentro da linha de ferramentas Rocast, os machos estão disponíveis em modelos com canal helicoidal, com ponta helicoidal e canal reto, cada um deles nas versões com haste passante ou reforçada. Para mostrar estas novidades mais o resto da nossa ampla cartela de produtos investimos R$ 70 mil em um estande de 50 m²”, afirma Oswaldo Paparotto, gerente.

 

 

 

M. Shimizu


Nos últimos cinco anos a empresa investiu em tecnologia de ponta para a indústria automobilística. Na feira, apresentou estudos e projetos tecnológicos, com estande de 150 m² e R$ 180 mil investidos. “Nossa especialidade é projetar equipamentos para torque, para linha de processos e controle de qualidade. Hoje fazemos concorrência com as empresas internacionais com as tecnologias que desenvolvemos. Não existe organização na América Latina que possua nossa tecnologia e o desenvolvimento é 100% brasileiro. Inclusive, estamos com alguns projetos de implantação de novas fábricas aqui no país. Com isso, passamos ater uma abrangência muito maior na área de torque. A ideia principal é divulgar produtos para o controle de qualidade que envolve desde a parte mecânica até software, como, por exemplo, sistemas de rastreabilidadedo veículo”, explica Frank Lobato, diretor.


Lumafix

 

Com um estande de 20 m² e investimento de R$35 mil, a empresa marca presença pela segunda vez na feira e focou na apresentação de produtos voltados parao consumidor final. “Estamos apostando em uma reação positiva do mercado de fixadores para o segundo semestre deste ano, por isso a exposição aqui. A Mecânica é um evento que tem um retorno muito interessante, com uma circulação grande de potenciais clientes com poder dedecisão. Para isso, desenvolvemos um produto para que chegue ao cliente final, como as travas carteladas. Elas existem em grandes quantidades, mas em pequenas não. Vimos um mercado em potencial nesta venda de baixo volume e investimos cerca de R$ 20 mil para a implantação”, destaca Fernando Klomfahs.


 

 

 Macrosul / Metalmatrix

 

“Estamos aqui com três empresas, em um estande de 25 m² e investimento de US$ 100 mil, mas nocaso da Macrosul nosso negócio é desenvolver o mercado da Grande São Paulo. A procura do pessoal daqui pelos produtos de qualidade que desenvolvemos no sul é grande. Focamos muito mais no serviço completo doque no produto em si, para que o cliente perceba o valor do nosso trabalho. O produto é somente uma parte da fixação, ou seja, o processo para inserir este fixador faz toda a diferença. Inclusive, fechamos uma parceria comum cliente e, provavelmente, iremos instalar uma nova fábrica aqui na capital. O bom da participação na feira é que, a cada edição, vamos aprendendo mais”, afirma Cristiano Grillo, diretor.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com