Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 29
Busca::..
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Feira de Infraestrutura
03/10/2011 01h28

Eventos

 

Brasil sedia pela primeira vez
feira de infraestrutura e manutenção de equipamentos


Visitantes conferiram novidades sobre grandes obras realizadas por todo o país e tecnologias sustentáveis no campo da Engenharia Civil e Mecânica. Aspecto técnico do aço, reciclagem, durabilidade e corrosão foi tema de palestras

A participação de um público de mais de 25 mil pessoas comprova o sucesso das duas importantes feiras de negócios das áreas de infraestrutura e equipamentos de construção, realizadas em São Paulo, no período de 10 a 13 de agosto, no Centro de Exposições Imigrantes. Idealizadas pela Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção, a M&T Peças e Serviços e a Construction Expo 2011 foram promovidas pela primeira vez no Brasil.

Dos 360 expositores, nada menos que 126 eram de companhias internacionais, representando 14 países: Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Costa Rica, Cuba, Espanha, Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Peru, Singapura, Suíça e Taiwan. “É um número realmente marcante para eventos de estreia”, destaca Afonso Mamede, presidente da Sobratema.

Na visão do presidente da Associação, a divulgação mundial dos negócios que serão realizados no Brasil é muito importante, sobretudo num momento em que o País está envolto em tantos projetos de grande porte, cruciais para o seu desenvolvimento. “A exposição dos principais projetos na Construction Expo foi uma contribuição importante para a difusão de conhecimento e informação sobre as mais importantes obras que estão sendo erguidas por todo o País”, diz.

Realizado paralelamente aos eventos, o Sobratema Congresso também registrou grande audiência nas suas 17 conferências. Debates sobre as grandes obras realizadas no Brasil, além de conhecimentos sobre a aplicação de tecnologias inovadoras e sustentáveis no campo da Engenharia Civil e Mecânica foram os destaques.

O engenheiro Cassius Cerqueira, do Instituto do Aço Brasil, IABr, discorreu sobre o tema “O uso sustentável do aço e co-produtos na construção civil”. Cerqueira enfocou a indústria do aço brasileiro, a construção sustentável e o Centro de Co-produção do Aço que foi criado no Brasil para divulgar o uso do agregado em substituição à brita na pavimentação, lastro ferroviário e gabiões (construção em encostas). “Os resíduos são beneficiados e transformados em co-produtos para utilização e infraestrutura em substituição à brita”, esclarece.

Já o engenheiro Fábio Pannoni, da Associação Brasileira da Construção Metálica, Abcem, abordou aspectos técnicosdo aço, desde a abundância do material, reciclagem, durabilidade e corrosão. Como exemplo, citou o prédio da prefeitura de Londres, Inglaterra, construído em estrutura metálica e com vida útil de 100 anos.
 

Questão ambiental


Outro ponto amplamente discutido durante o Congresso foi a solução ambiental para o entulho de demolição. A cidade de São Paulo produz oito mil toneladas de entulho por dia, segundo o vereador Gilberto Natalini (sem partido), presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Paulo. A fim de evitar que esse elevado volume de resíduos seja deixado nas ruas ou lançado nos rios, Natalini propõe a utilização desse material na pavimentação, em substituição às pedras de brita, retiradas da natureza, a exemplo do que foi feito com os entulhos dos edifícios São Vito e Mercúrio, no centro de São Paulo.

É uma tendência as obras estarem dentro dos quesitos de durabilidade e sustentabilidade, tema da palestra “A construção industrializada em concreto – solução, desempenho e sustentabilidade na construção civil”, ministrada pela Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto, Abcic. “O foco foi como executar uma obra de maneira correta, com planejamento, a fim de evitar intervenções e manutenções não previstas. Até porque a ausência de planejamento é um dos grandes gargalos da construção civil”, esclareceu Íria Lícia Oliva Doniak, presidente executiva da entidade. 

 Empresas de aço marcaram presença no evento com stands. Confira  suas novidades.

Metalbrax

Estande: 25 m², 14 pessoas na equipe e investimento de R$ 30 mil.A empresa aproveitou a oportunidade para mostrar ao mercado sua linha de parafusos industriais de médio e grande porte (Allen, sextavado, lâmina, prisioneiro, lâmina arado com trava, parafuso L, esteira, barra roscada zincada, cabeça quadrada, cabeça T, chaveta, parafuso inox), porcas, arruelas, tirantes e palnuts. “A participação na Construction Expo aproximou ainda mais a Metalbrax do mercado de parafusos para o mercado de mineração e agrícola. Tivemos visitas de clientes e prospecção de novos parceiros e acredito em futuras negociações com essa participação”, se entusiasma Marcos Fernandes, diretor.

 

Carlsons (Alcoa Fastening Systems)

Estande: 48m², com quatro pessoas na equipe e investimento de R$ 28 mil. A Carlsons representou a Alcoa Fastening Systems, uma divisão do grupo Alcoa que fabrica diversos tipos de fixadores em alumínio, aço inox, titânio, Inconel, Waspaloy, A 286 e superligas. ”Dentro desta divisão de fixadores, temos forte atuação no fornecimento ferroviário, aeroespacial e, sobretudo, em construção metálica, razão da participação neste evento. É uma fabricação própria, nos Estados Unidos, onde se incluem parafusos, porcas, rebites estruturais e o chamado Pop. A atuação vai além de fornecer fixador, o sistema. Incluem ferramentas de aperto pneumática, hidráulica e elétrica”, afirma Ricardo A. Carvalho, diretor comercial.

 

Forjafix

Estande: 70m², com 20 pessoas na equipe e investimento de R$ 100 mil. Há mais de 11 anos no mercado, a empresa fabrica parafusos, porcas, chumbadores e outros produtos. O foco é atender
a necessidade do cliente, ancorados no mote “especificação seguida à risca”, tema de decoração do estande. “Fornecemos muito para Oil & Gas ferrovias e mineração, onde já estivemos mais atuantes. Estamos em busca de expansão, com expectativa de entrar no segmento de tratores em função do aquecimento no setor”, prevê o diretor,
Felipe Ferreira.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com