Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 24
Busca::..
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Atotech
22/02/2011 11h09

 

Grandes passos da Atotech

 

Em workshop organizado para empresários do setor de elementos de fifixação da área automotiva, a Atotech apresentou novidades do mercado com explicações amplas e técnicas

 

 

Através do tema “Revestimento Resistentes à Corrosão para Indústria de Fixadores”, a Atotech Brasil reuniu no dia 07 de outubro, no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo, SP, 68 pessoas, entre empresários do
setor: montadoras, fabricantes de elementos de fixação, galvanoplastias e aplicadores de organometálicos, além de profissionais da Atotech.
O evento técnico contou com os palestrantes Milton Silveira, Diretor Superintendente da Atotech Brasil, Pablo Nieto; Vice presidente de GMF; Peter Lawin, Gerente Mundial de OEM; Birgit Sonntag, Gerente Mundial de CRC e Volker Krenzel, Gerente de Produto de Organometálico.
O objetivo foi mostrar os acabamentos protetivos resistentes à corrosão para a indústria de fixadores, bem como novos produtos e processos ecologicamente corretos, a exemplo do Zylite ST eletrólito de zinco ácido, isento de ácido bórico – elemento que neste ano foi classifi cado pela comunidade europeia como tóxico.
Durante o evento, Birgit Sonntag, explicou que o processo mais inovador no mercado é o Novopass 101, passivador totalmente isento de cromo, ou seja, sem cromo trivalente, e também sem cobalto.
Birgit falou também sobre os acabamentos para fixadores acoplados em peças de magnésio. Devido a redução dos pesos de peças nos carros, o magnésio é cada vez mais utilizado. Fixadores em contato com o magnésio e exposto
em ambiente úmido, oxidam-se devido a diferença de potencial entre os dois. Para esse tipo de aplicação, o acabamento deve promover uma resistência ao fixador e também ao magnésio. O processo de zinco ácido Unizinc ACZ, passivador trivalente Unifi x Zn 3-15L e o selante Sealer 300 WL foi aprovado e homologado, atendendo as exigências de resistência à corrosão e coefi ciente de atrito conforme norma Audi TL 194:2005-04.
Outro processo bem sucedido e homologado foi o acabamento para fi xadores em contato com o alumínio. O processo de zinco-níquel alcalino 12-16% Reflectalloy ZNA, passivador EcoTri e selante Corrosil Al 2007, foi aprovado conforme norma PSA B154102 e Renault H01-71-002/-R.
Na área de passivação, Birgit mostrou o passivador azul trivalente Tridur Zn HT que, mesmo após acondicionamento térmico, promove alta resistência à corrosão e não ocasiona a descoloração das peças, reduzindo o custo do processo (pois não há a necessidade de se refazer o processo de passivação, após o acondicionamento térmico).
Sobre passivadores pretos trivalentes para depósitos de zinco-níquel, a gerente apresentou algumas homologações por OEMs como: Ford, Hyundai-KIA, PSA e Renault.
A Atotech fornece uma gama completa de produtos químicos de zinco e zinco ligas, sistemas com póstratamento, organometálicos e zinco mecânico, incluindo tecnologias de equipamentos.

Mais novidades Atotech


Já Volker Krenzel, falou sobre os base coats: sistemas altamente reativos contendo flocos de zinco e alumínio.
Segundo ele, a temperatura de cura é de 200 ºC a 320 ºC, e o fi lme seco não contêm chumbo, cádmio, mercúrio ou cromo. Os flocos se alinham de forma compacta, paralelo à superfície do substrato, e promove a proteção de sacrifício ao substrato. Um Top Coat pode promover propriedades adicionais. Por exemplo, lubrificante interno para defi nidos coeficientes de atrito, cor, resistência ao int emperismo etc.
 

                                                                                  Peter Lawin

 





 

 

 

Birgit Sonntag 

 

Dip spin coating: método de aplicação típico, usada para peças a granel, tais como parafusos, porcas e arruelas. As peças são colocadas em um cesto, são imersas no banho e centrifugadas para a remoção do excesso de produto.
Dip Drain: para peças grandes, como suportes e tubos.
As peças são colocadas em gancheiras e imersas no banho organometálico, em seguida são erguidas para escorrer o excesso de produto e levadas para a cura no forno.
Spray: para peças complexas que não podem ser centrifugadas.
Aplicação do Top Coat: os mesmos métodos utilizados para a aplicação do base coat.
Novos produtos: TechSeal Black SL® solicitado pelas OEM´s para os parafusos sofi sticado: parafusos pequenos, parafusos com fenda, parafusos com arruela integrada, cor preta intensa, lubrifi cação integrada e maior proteção contra corrosão.
Para Krenzel, o organometálico da Atotech garante sem riscos de fragilização por hidrogênio, excelente proteção contra corrosão, custo competitivo e sem água residual. Com alta tecnologia de revestimentos,
produtos atendem as complexas exigências das indústrias automobilísticas e outras, as peças podem ser revestidas a granel, em gancheiras ou por spray, disponibilidade de várias cores, excelente desempenho para acabamentos pretos. A Atotech pode fornecer o pacote completo de revestimentos e equipamentos organometálicos ou eletrodepositados.

Indústria automotiva


No que diz respeito ao ramo das montadoras, o Gerente Mundial de OEM, Peter Lawin, falou que a Atotech está usando sua infra-estrutura e a organização global para adquirir todas as aprovações automotivas mundiais. As linhas nos TechCenters da Atotech são utilizadas para a qualificação com os clientes Tier Ones e OEMs.
Segundo Lawin, a empresa possui um OEM Time dedicado, localizado ao redor do mundo e que está em constante contato com OEMs e Tier Ones. Hoje, tem quase todas as aprovações importantes para o zinco e zinco ligas para os EUA, Alemanha, França, Coréia, e para algumas indústrias japonesas.

  

 

 

 

Pablo Nieto                                                                                                                    Milton Silveira       

 

 

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com