Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 23
Busca::..
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Fundamentos de Marketing
30/10/2010 09h46

Brasil Globalizado?


Das várias funções atribuídas ao marketing (todas importantes), há que se destacar a visão holística de mercado. Mesmo que uma empresa não deseje operar no exterior, não há como ignorar o mercado de forma global. Empresas brasileiras não têm, por tradição, a atuação multinacional com escritórios e plantas produtivas no exterior. Nossa tradição é a de abrigar escritórios e plantas de empresas multinacionais estrangeiras. Este cenário deverá sofrer alguma alteração. Os bancos brasileiros já se posicionam de forma global. Além do Banco do Brasil, instituições como o Bradesco e o Itaú têm projetos e participação no exterior. Este novo posicionamento das empresas do mercado financeiro abrirá oportunidades para empresas industriais e de serviços atuarem no exterior.

Ironicamente, no momento em que vislumbramos oportunidades no exterior, o Brasil passa a ser um dos principais mercados de interesse internacional. Esta é a graça desafiadora que a globalização impõe aos profissionais dedicados em pensar o futuro das empresas nacionais. Segundo levantamento anual divulgado pela Unctad - Agência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento, o Brasil ocupa o terceiro lugar em um ranking de países prioritários para investimentos estrangeiros no período entre 2010 e 2012. Os países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) ocupam quatro dos cinco primeiros lugares do ranking: 1º China, 2º Índia, 3º Brasil, 4º Estados Unidos e 5º Rússia. São 15 os países apontados no ranking dos quais nove são países em desenvolvimento.
O impacto da crise econômica global foi maior sobre os investimentos programados para os países desenvolvidos do que para os países em desenvolvimento, entretanto e, curiosamente, os países desenvolvidos ainda deverão ser a principal origem esperada dos investimentos no período. São eles: Estados Unidos, seguidos de China, Alemanha, Grã-Bretanha e França. Sem acesso ao modelo de pesquisa, arrisco afirmar que o maior volume de investimento será da China no próprio país. Mesmo assim temos bons motivos para sermos otimistas quanto ao futuro da economia brasileira. Contrariando Michael Porter, é tempo de visão e ação global e local.
Hans Müller é sócio-diretor da White Oak Marketing
hans@whiteoak.com.br

 

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com