Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 10
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Artigos
30/06/2008 03h03

Vivendo Enxuto

A manufatura enxuta está sendo implantada em muitas empresas de diversos setores no Brasil, mas quando começamos a implantar essa filosofia em 2006 na galvânica da Robert Bosch - Campinas - surgiu a grande dúvida: será que isso vai funcionar para produção em “batelada” ? Como “puxar” a produção sem ter estoques intermediários? Como produzir uma peça de cada vez se o tanque para galvanização comporta centenas ou milhares de peças?

Em vez de procurar respostas teóricas, apostamos que a prática nos responderia. Uma das primeiras providências foi criar uma área para trabalhar o conceito. Não apenas um espaço físico para colocar os dados, reunir o pessoal ou talvez alojar o coordenador; mas uma sala de aprendizado, onde todos os envolvidos se encontrariam com suas dúvidas e sem medos inúteis. Alias, não tínhamos um coordenador. Ao ser questionado pelo diretor a respeito disso, respondia simplesmente que nós todos éramos responsáveis pela implantação. Aposta temerária ou corajosa, o tempo diria.
Mas logo os resultados provaram que a vontade de aprender supera em muito a falta do professor formal. Tornamo-nos especialistas em pedir dicas, visitar outras A manufatura lean ou enxuta é a filosofia desenvolvida pela Toyota para administrar a produção. Seu maior princípio é : “ O cliente define o que é valor, e o que não é valor é desperdício “ áreas, copiar soluções por vezes díspares, sem o menor preconceito e gastando o mínimo do mínimo. Afinal para manter o negócio de galvânica é preciso ter custo muito competitivo, mas sem abrir mão da legalidade ambiental.
Implantamos o conceito da “puxada de apoio técnico”, pelo qual os times das linhas de produção informam, através de kanbans (cartões) a necessidade da presença do técnico adequado na reunião matinal. Assim, toda manhã, o escritório se encontrava na fábrica, via a situação no quadro geral com todos os kanbans da puxada técnica, cada qual retirava os que lhe cabiam e participava da reunião na linha. Além de suportar e orientar, o desafio foi ouvir, ver e perceber o que se passava. Existem excelentes ferramentas para acompanhar o clima como, por exemplo, o quadro indicador do humor de cada funcionário, mas ir ao encontro das pessoas requer também sensibilidade.
As metas e resultados foram expostas em quadros bem próximos à área do café. Tínhamos consciência de que, como em qualquer ciência, o gráfico é uma pequena fotografia da verdade: muito útil, mas insuficiente. Por isso a transparência foi aprimorada a cada dia, em todos os meios de comunicação, especialmente o contato direto entre pessoas. A dúvida exposta, quando bem recebida, gera credibilidade e compromisso.
Desde criança fomos treinados a responder, mas a experiência como professor me ensinou como é difícil fazer perguntas e elaborar uma boa prova. Ao longo dos meses nos demos conta do tesouro que recebemos: excelentes perguntas. Através de reuniões semanais o grupo de implantação foi estudando conceitos, ações e resultados. O debate entre teoria e prática nos ofereceu a maioria das respostas. Descobrimos, também, que nem todas as ferramentas são imutáveis ou essenciais. Existem bons caminhos conhecidos e outros tantos a se descobrir. Nós estávamos desbravando o caminho da fabricação enxuta para a galvanoplastia.
No final de 2007 podia-se escolher facilmente quem seria nosso coordenador para 2008, porque do estagiário ao gerente todos estavam convencidos de que jamais deixariam de ser alunos, inclusive o coordenador.
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com