Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 85
Busca::..
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Entrevista
19/02/2021 06h41

Entrevista

Mike McNulty, editor da revista Fastener Technology International, EUA

Republicano convicto, nosso colega de imprensa faz um balanço positivo do governo Trump 

Não é novidade para ninguém que quatro anos atrás o empresário Donald Trump assombrou o mundo com sua inesperada vitória na eleição para a presidência dos EUA. Nem tão inesperado assim foi ele não se reeleger.

Em janeiro de 2017, na edição RP61, fizemos uma entrevista com nosso colega que assina a coluna América News, Mike McNulty, que repetimos agora nesta RP85, não apenas por ser e ter sido impulsionado pelo fator Trump, mas porque é uma receita a ser repetida nos próximos quatro anos, especialmente porque essa é maior potência global econômica, industrial e, também, de fixadores, ao lado da China, é claro.

Em 2020 Trump perdeu a eleição. Já o colega Mike perdeu peso e está rejuvenescido. Segundo ele, isso se deu por conta da pandemia, o que o fez caminhar mais e comer menos.

Editor de revistas há quase 25 anos, Mike nos conta aqui os prós e os contras da “era Trump”, que segundo ele “pode voltar sim”, e que pode ser o teor da entrevista nossa RP109, em janeiro de 2025.

Boa leitura!

Em 2017 entrevistamos você com ênfase na vitória de Donald Trump. Votou nele? Numa escala de 1 a 10 qual nota você daria para essa gestão?

Sim, votei nele nas duas eleições, e lhe daria uma nota 7 ou 8. Essa nota seria mais alta se ele moderasse o comportamento nas redes sociais, em público e coletivas de imprensa. Do ponto de vista da administração e fazendo o trabalho real de Presidente dos EUA, conforme descrito na Constituição, considero que ele fez um excelente trabalho, valendo uma nota 9. Do ponto de vista da personalidade, muitas vezes ele estava fora de controle em situações públicas, por telefone e pessoalmente com a imprensa, mas também teve muitas aparições públicas marcantes, que foram ignoradas pela maioria dos meios de comunicação. Por outro lado, milhões de pessoas gostavam e até amavam sua personalidade ousada e o fato de ele ser destemido na maioria das situações. Ele enfrentou problemas e desenvolveu posições que todos antes dele, incluindo Reagan e Bush, ignoraram por medo de reações políticas e pessoais. Mas, no final, ele criticou muitas pessoas da maneira errada, até o ponto do ódio, então sua pontuação de personalidade deve estar abaixo de 5, digamos 4,5.

Cite pontos positivos e negativos desse período para o País, no geral e para o setor de fixadores?

Positivos: 1) A redução da regulamentação sobre empresas e a redução dos impostos sobre ganhos de capital contribuíram para o crescimento da economia em geral, o que impacta no setor de fixadores; 2) Resistir aos abusos comerciais da China e de outros países foi bom para a segurança nacional e muitas empresas, incluindo algumas, mas não todas, na indústria de fixadores; 3) Nomeação de juízes que entendam o papel do poder judiciário do governo conforme detalhado na Constituição dos Estados Unidos;

4) As medidas de segurança aprimoradas eram boas para a segurança nacional; 5) A paz em todo o mundo é benéfica para a segurança nacional e global. Negativos: 1) Os gastos excessivos do governo ainda estão se acelerando em um nível que não pode ser sustentado; 2) A mídia nos EUA e o mainstream social estão fora de controle e não são confiáveis; 3) Empresas de mídia social, incluindo Facebook, Twitter e o YouTube têm muita influência sem qualquer responsabilidade; 4) A política de identidade e a 'cultura do cancelamento' praticadas na mídia, nos governos e nas grandes corporações são destrutivas; 5) O foco das pessoas em direitos sem responsabilidade, bem como na ignorância de história e economia, é uma tendência perigosa.

Gostaria de rever Trump na presidência, ou considera ser melhor a renovação?

Eu ficaria bem com ele concorrendo à presidência em 2024, e espero que muitos no Partido Republicano voltem às verdadeiras raízes conservadoras que desejam preservar tudo o que é bom e verdadeiro na Declaração de Independência dos EUA, na Constituição dos  EUA e todas as suas alterações, bem como os princípios que regem a subsidiariedade e a solidariedade entre e para todas as pessoas. Portanto, qualquer candidato que abraçar essas coisas e resistir a ideologias ruins como socialismo, esquerdismo, política de identidade e cultura de cancelamento estará na direção certa.

Não acho que Joe Biden seja atualmente capaz de fazer o trabalho de Presidente dos EUA de maneira adequada, por conta própria.

O que pensa sobre a chegada de Biden e seu staff, quais posições dele te animam e quais desapontam?

Não acho que Joe Biden seja atualmente capaz de fazer o trabalho de Presidente dos EUA de maneira adequada, por conta própria. Ele tem muitas décadas de experiência governamental sem muitas realizações notáveis, e suas posições políticas mudaram dramaticamente para o ado esquerdista/progressista a fim de apaziguar os setores do Partido Democrata que estão interessados no socialismo, na destruição da Constituição dos Estados Unidos e muitas outras coisas loucas. Além disso, ele mostrou que sua resistência física e mental e agilidade são muito menores do que há apenas quatro anos. Ele está formando uma equipe à qual me oponho diametralmente em termos de suas ideias econômicas, políticas, educacionais e sociais em relação ao governo, empresas e organizações tradicionais. Acho que ele será facilmente manipulado pelas alas progressistas e esquerdistas do Partido Democrata e da mídia dos EUA. Cerca de 15 anos atrás, eu teria descrito Joe Biden como um democrata moderado com algumas tendências conservadoras e um desejo de se juntar, mas ele abandonou completamente todos esses traços positivos e não demonstrou muito bom senso em questões críticas. Ele tem o hábito de ficar do lado errado na maioria das coisas, e seu sucesso nacional pode ser atribuído ao talento de outras pessoas, incluindo Barack Obama. Do lado positivo, eu observaria seus muitos anos de experiência e inclinações moderadas/conservadoras anteriores, bem como sua popularidade em Delaware, seu estado natal. Também considero positivo que ele, provavelmente, não tenha energia ou inteligência suficiente para implementar muitos dos projetos destrutivos que estão em sua plataforma. Os pontos negativos para Joe Biden são muitos, conforme mencionado acima, incluindo algumas atividades suspeitas no governo que o beneficiaram e sua família, bem como algumas deficiências pessoais importantes que foram ignoradas pela imprensa e pelo público. Ele pode nem mesmo terminar o mandato de quatro anos.

Na entrevista de janeiro de 2017 os números do Governo indicavam haver cerca 826 indústrias de fixadores, embora você considerasse 800. Como está hoje?

Vimos uma consolidação contínua na indústria de fixadores dos Estados Unidos, mas nada que tenha causado um impacto dramático no número total de empresas. Também há algum desgaste, bem como realocação de negócios. Então, meu palpite é que o número de empresas de fixadores é provavelmente menor do que era em 2017.

Na ocasião a estimativa sobre o mercado americano de fasteners orbitava US$ 13 bilhões/ano (3 a 4 milhões de toneladas/ano), e poderia chegar a US$ 15 bilhões nos próximos 4 a 5 anos. Chegou? As importações subiram ou não?

Tenho visto relatos de que ao final de 2019 o mercado estava em torno de US$ 14,5 bilhões, com expectativa de chegar a US$ 15 bilhões neste ano. Mas veio pandemia. Alguns na indústria de fixadores não foram muito prejudicados, mas outros lutaram muito. Então, estimo que o mercado geral caiu na casa de 10 a 15%. Mas isso tudo deve retornar ao final de 2021.

No geral, os negócios nos EUA melhoraram entre 2017 e 2020 (antes da grande queda da pandemia em abril/maio) com um ressurgimento na fabricação, que foi um benefício óbvio para a indústria de fixadores. 

Em 2017 você relatou que os negócios com fixadores foram bons nos primeiros seis anos da gestão Bush (2001-2008), caindo daí por diante, inclusive na gestão Obama (2009-2016). Melhorou com Trump?

No geral, os negócios nos EUA melhoraram entre 2017 e 2020 (antes da grande queda da pandemia em abril/ maio) com um ressurgimento na fabricação, que foi um benefício óbvio para a indústria de fixadores. Essa melhoria continuará, pois acredito que levará pelo menos dois anos para que o governo Biden desfaça os benefícios da redução da regulamentação e dos impostos sobre ganhos de capital. Além disso, o eventual fim da pandemia irá desencadear um aumento positivo na economia dos EUA, e a indústria de fixadores irá acompanhá-la. Se o Partido Republicano mantiver o controle do Senado, então o governo Biden não será capaz de causar muitos danos econômicos, e se os democratas ganharem o controle do Senado, então podemos esperar que haja democratas moderados suficientes em Washington para não aceitar as mudanças radicais que foram apresentadas na campanha presidencial.

O mercado americano tem uma intensa movimentação em aquisições e fusões. Acredita que as empresas americanas de fixadores avançarão suas aquisições sobre a América do Sul e Brasil?

Não tenho certeza de como as empresas americanas de fixadores iriam progredir na América do Sul e no Brasil. Existem empresas de capital de risco que são muito ativas nesta área e não creio que tenham medo de atravessar fronteiras para ganhar mais dinheiro!

Olhando para o nosso segmento de revistas impressas, o meio eletrônico não está dominando o mercado tal como se estimou. Revistas impressas ainda parecem muito mais sólidas que os meios eletrônicos. O que pensa disso?

A revista impressa tem mantido sua força nas áreas de tecnologia em que atuamos, que acredito ser em função do tempo necessário para consumir o valioso conteúdo nelas. Mas sempre dizemos que nosso papel é coletar, destilar e apresentar ao leitor informações relacionadas ao tema fixação, no formato de sua escolha: impresso, digital ou ambos. 

Faça um comentário livre, para encerrar.

Os players americanos de fixadores com quem conversei recentemente resistiram à tormenta gerada pela pandemia situando-se numa posição mais forte. Eles estão confiantes no futuro. Algum deles relataram recordes durante o último trimestre de 2020. Eles também dizem, e eu concordo, que se você ignorar o barulho da mídia e das operações politicamente corretas, então há muitos sinais positivos e desenvolvimentos acontecendo em nossas fábricas e armazéns em todo o país. Do ponto de vista não fixador, você pode não saber que em 2020 tínhamos 67% das pessoas antecipando seu voto em vez de ir pessoalmente no dia da eleição, o que foi quase o dobro de 2016 e quase 10 vezes mais alto que em 1992. Este foi um desenvolvimento inesperado que favoreceu dramaticamente Joe Biden. Na minha opinião, essa tendência deve ser interrompida e revertida.

Esta entrevista foi concedida antes dos acontecimentos de 6/01/2021 no Capitólio dos EUA. 

Mike McNulty
 
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com