Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 84
Busca::..
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Índia News
28/12/2020 06h31

Índia News 

Escassez de matéria-prima pode levar ao fechamento de fábricas na Índia

Segundo um alto funcionário de um órgão do setor industrial, fabricantes indianos de fios e arames em aço, pertencentes ao setor de pequenas e médias empresas (PMEs), estão enfrentando uma grave escassez de matéria-prima, o que pode levá-los ao fechamento de várias unidades.

Ele acrescentou que 100 unidades no setor que oferecem empregos para cerca “5 lakh”, o equivalente a quinhentos mil trabalhadores no país, que já estão operando com menos de 50% de sua capacidade nominal. Se essa situação não mudar várias terão que fechar.

Esses fabricantes recorreram ao Governo para garantir o abastecimento de matéria-prima e a importação de itens especializados que não são produzidos no país.

“A indústria está enfrentando uma aguda escassez de fio-máquina de alta qualidade, a principal matéria-prima para a produção de fios e arames, que tem aplicação variada em áreas como a construção”, disse à agência de notícias Press Trust India (PTI) o secretário-geral da Steel Wire Manufacturers Association (associação indiana de fabricantes de arame de aço). Tirthankar Banerjee, que acrescentou: “Nessa escassez, 50% se deve ao fornecimento interno inadequado e às restrições de importação”.

A Associação solicitou ao Governo requerer junto à Steel Authority of India (SAIL) para otimizar sua planta na cidade de Burnpur, especializada em fio-máquina, a aconselhar a Rashtriya Ispat Nigam (RINL) e outras siderúrgicas privadas a fornecerem matéria-prima suficiente para as PMEs a preços mais justos.

 

Industriais e exportadores de Punjab em apuros devido a protestos de fazendeiros

Em face da agitação ‘Rail Roko’ pelos agricultores, o setor de Engenharia e Exportação em Punjab (estado indiano que faz fronteira com o Paquistão) está enfrentando uma grande crise devido à não movimentação de contêineres em Punjab para o porto e pela interrupção no fornecimento de matéria-prima. Assim, a seção da Região Norte do Conselho de Promoção de Exportações de Engenharia (EEPC Índia) apelou ao Governo de Punjab para chegar a uma solução para garantir o retorno à normalidade.

Em recente coletiva de imprensa, Kamana Raj Aggarwalla, presidente da EEPC Índia (NR), disse que embora sua associação apoie os agricultores que protestavam, as indústrias em Punjab enfrentavam uma grande crise devido à não movimentação de mercadorias causada pela luta local para emergirem do severo revés causado pela pandemia Covid-19 e o bloqueio prolongado.

“Todas os tipos de indústrias - incluindo bicicletas, parafusos e similares, ferramentas manuais, maquinário agrícola, artigos esportivos, meias e autopeças - estão lutando para obter matéria-prima. Mas a exportação de produtos já vendidos está atrasando devido à não movimentação e indisponibilidade de contêineres. Não há contêineres saindo do porto seco de Ludhiana e faltam contêineres vazios para os exportadores”, acrescentou o presidente.

Tushar Jain, coordenador EEPC Panel Convenor (painel do setor de máquinas agrícolas), disse que pelo menos 3.500 contêineres liberados pela alfândega e prontos para despacho estavam presos em Ludhiana.

“O transporte rodoviário continua sendo uma solução cara de curto prazo, mas isso não resolve o problema completamente devido a questões de licenciamento nacional e altos custos adicionais”, disse Jain.

Sharad Aggarwal, representante da indústria, disse que a temporada de férias está se aproximando rapidamente na Europa, EUA e Rússia, e a maioria dos pedidos desses países são para vendas festivas.

“Os compradores estão em pânico e esta situação está gerando má reputação para os exportadores da região. Isso pode ter consequências de longo prazo devido à perda de confiança dos compradores”, concluiu Aggarwal, acrescentando que o pagamento aos exportadores de Punjab também está travado porque os compradores não estão liberando o pagamento sem ter recebido seus respectivos pedidos.

Guneet Rana, vice-presidente regional (NR), EEPC, disse que Haryana está enfrentando protestos semelhantes, mas é capaz de mover os contêineres à noite. Por sua vez, o governo de Punjab, acrescentou que deverá encontrar uma solução para os manifestantes.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com