Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 84
Busca::..
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Artigos - Eng. Larry Borowski
28/12/2020 06h00

 Artigos

Os sistemas de aplicação de fixadores precisam ser verificados?

Autor traça artigo de maneira dinâmica com respostas a perguntas típicas na aplicação fixadores por usuários

A qualidade de um sistema de aplicação de fixadores pode ter um grande impacto na eficiência da montagem e na integridade do produto final. A qualidade das roscas pode ser perfeita, mas se o sistema de aplicação não for bem feito, os fixadores podem não ser instalados corretamente ou ter um desempenho tão ruim que podem não chegar ao aperto desejado. Quando você não consegue aplicar um fixador corretamente isso pode afetar muitas coisas, desde a quantidade de peças montadas até a qualidade do serviço e, potencialmente, problemas de responsabilidade em campo. Um sistema de aplicação é mais do que apenas a fenda ou a cabeça; inclui as roscas e o mecanismo usado para fazer a aplicação. Nesse artigo lidaremos apenas com as fendas. A seguir estão as perguntas típicas que vemos em relação à qualidade de um sistema de aplicação (fenda) de um fixador:

Pergunta: Existem maneiras de inspecionar as fendas nos próprios fixadores e, em caso afirmativo, o que deve ser verificado?

Resposta: Sim, existem calibradores e métodos adequados para inspecionar todas as formas e tamanhos do sistema de fenda dos fixadores. Alguns dos mais comuns são:

1) Simples ou Reta - as fendas do tipo simples ou reta têm requisitos de largura e profundidade. Existem medidores específicos para inspecionar ambos os recursos de forma rápida e eficaz.

2) Tipo 1 (Phillips), Tipo 1A (Pozidrive), Tipo II (Frearson) - Este grupo é freqüentemente referido como fenda cruzada. Esses formatos devem ser inspecionados quanto à profundidade total da fenda, profundidade de penetração e balanço. O mais crítico é a profundidade de penetração e balanço da fenda para garantir que eles irão aplicar corretamente.

a) Os medidores de penetração medem a profundidade de penetração para indicar se o formato correto da fenda tem ou não a profundidade adequada. Muito profundo pode resultar em cabeças quebrando durante a instalação, e muito raso pode resultar em espanamento da fenda;

b) A medição do balanço medirá o quão firme é a formato. A profundidade pode ser boa, mas muito balanço pode resultar em fendas espanadas durante a instalação.

3) Fendas sextavadas interna (socket) – As fendas sextavadas internas devem ser inspecionadas usando medidores de plugue sextavados do tipo Passa/Não- passa para garantir o tamanho adequado. Essas fendas também devem ser inspecionadas quanto à profundidade de penetração da fenda, para garantir o encaixe adequado da chave.

A verificação do balanço em fendas cruzadas e quadradas é realmente necessária?

Sim, conforme declarado acima, a profundidade de penetração de fenda pode estar dentro das especificações, no entanto, as peças podem não ser aplicadas corretamente porque estão com muita folga ou têm balanço excessiva. As fendas cruzadas e quadradas são as únicas que exigem uma verificação do balanço. Isso também pode ser denominado “grau de folga”. Existem  plugues de medição de precisão feitos especificamente para verificar esta característica em fendas cruzadas e fendas quadradas. Uma configuração típica do medidor é descrita na norma ASME B18 sobre parafusos auto-atarraxantes e consiste em um dispositivo e um plugue de balanço de tamanho apropriado. O fixador é preso no suporte e orientado de uma maneira particular. Normalmente, em fendas cruzadas, as “asas” são orientadas da esquerda para a direita e da frente para trás, e em fendas quadradas, os planos são orientados da mesma maneira. Isso é chamado de posição zero. O plug é então inserido na fenda, e com uma leve pressão para baixo é “balançado” da esquerda para a direita. O grau total de movimento é indicado pela posição do ponteiro na extremidade oposta do plugue em relação à placa de grau no topo do dispositivo. O fixador é então girado 90 graus e o teste é repetido. Uma fenda pode ser aceitável em uma direção e não conforme na outra. Uma fenda sem consistência pode fazer com que a chave de aplicação não fique na fenda, e em última análise, afetará seu desempenho de aplicação. Isso é especialmente problemático com parafusos mais longos de todos os tipos.

Não posso apenas usar uma chave de aplicação para verificar a profundidade de penetração, ajuste ou balanço?

Não. Embora pareça um teste funcional lógico, os calibradores de fenda são feitos com tolerâncias muito mais próximas do que as chaves de aplicação. Só porque uma chave de aplicação individual parece se encaixar bem em uma fenda não significa que um calibrador aceitará as peças, nem que outra chave de aplicação produzirá o mesmo ajuste.

Bem, e quanto às chaves de aplicação? Como posso ter certeza de que são boas?

As chaves de aplicação têm especificações dimensionais assim como os fixadores. Existem vários medidores específicos descritos para inspecionar essas ferramentas. As chaves de aplicação não são apenas inspecionadas quanto à precisão dimensional, mas também quanto à resistência à torção para garantir que possam suportar o torque apropriado para aplicar um parafuso.

E as fendas “Torx”, como devem ser inspecionadas?

O sistema de aplicação “Torx” foi originalmente desenvolvido e patenteado pela CamcarTextron. A patente expirou há muito tempo, mas o nome da marca comercial ainda existe e os calibradores “Torx” estão disponíveis apenas por meio de licenciados. Essas fendas também são chamadas de Hexalobular, 6 lóbulos, etc. Independentemente de como sejam chamados, todos eles exigem as mesmas técnicas de medição, e a maioria das normas concordam muito quanto às suas dimensões, mas ainda deve se certificar de especificar com qual norma está trabalhando ao adquirir calibradores. Estas fendas devem ser verificadas para dimensões básicas usando um calibrador do tipo Passa/Não-passa. Além da dimensão, assim como a maioria das outras fendas, elas precisam ser verificadas quanto à profundidade de penetração de fenda. Algo único para a fenda hexalobular, é o medidor de profundidade de falha máxima. Este é essencialmente um calibrador do tipo Não-passa ajustado a um relógio comparador para medir a profundidade com que ele entrará na fenda. Há uma certa quantidade de conicidade ou chanfro permitido na entrada da fenda, e o calibrador de falha máxima é usado para garantir que não exceda essa quantidade.

Concluindo, lembre-se de que o sistema de aplicação do fixador é crítico para seu desempenho geral. Saiba o que você tem e quais especificações se relacionam ao seu produto. Existem muitas outras fendas além do que é mencionado neste artigo, portanto, pesquise antes de fazer suposições. Você pode ter roscas perfeitas, mas se a fenda não funcionar corretamente, você tem um fixador que não fará o que foi projetado para fazer... manter fixado alguma coisa em alguma outra coisa.

Eng. Larry Borowski

Presidente da Greenslade & Company, Inc., marca representada no Brasil pela RWD-International.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com