Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 83
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
30/09/2020 05h10

Persona

Fixadores: cruciais aos demais setores industriais

Novo presidente do Industrial Fastener Institute, EUA, aponta que o segmento está em retomada de expansão

A indústria de fixadores é um segmento crucial para todas as demais indústrias que fabricam componentes e produtos montados. O mercado de fixadores tende a crescer a uma taxa semelhante ao Produto Interno Bruto (PIB). Previa-se que ele chegaria a US$ 17 bilhões no mercado interno dos Estados Unidos (EUA) nos próximos anos, enquanto o mercado global orbitaria crescimento perto de US$ 90 bilhões.

O crescimento de 2020 está sendo afetado em muitos setores da manufatura pela Covid-19. Os efeitos não são meramente oferta e demanda de mercado. Antes da Covid o desemprego nos EUA estava no seu patamar mínimo nos últimos 50 anos (3,5%). Desde então, 22 milhões de empregos foram perdidos no país desde o início da pandemia, mas com uma recuperação de cerca de 9 milhões de empregos, até julho.

As taxas de juros permaneceram baixas, o que ajudou a economia norte-americana. Atualmente, taxas de juros para uma hipoteca de 30 anos caíram para ~2.9%. O Federal Reserve (FED) indica que as taxas de juros podem ser mantidas baixas no futuro próximo. Se o desemprego cair à medida que mais estados se abram em meio à pandemia, cabe rever se as taxas de juros podem permanecer tão baixas sem inflação.

Métricas rotineiramente revisadas como número de passageiros de companhias aéreas, vendas de automóveis, tonelagem de aço, pedidos de seguro-desemprego, aplicações de hipotecas e uso de eletricidade tem demonstrado melhorias. A construção não residencial e as métricas ativas da plataforma de petróleo indicam que sua recuperação será muito lenta.

Indicador setorial dos gerentes de compras, o Purchasing Managers Index (PMI) sugere que a economia está passando por uma ligeira expansão. O PMI atual está em 54,2, o maior que o PMI de junho, de 52,6. O ponto principal a ser lembrado com essa métrica é que qualquer coisa acima de 50 indica que estamos expandindo.

Se não for cautelosa, pode haver muito pouco para uma empresa encontrar algo de bom durante uma pandemia ou qualquer grande recessão. No entanto, alguns dos pontos positivos são taxas de juros mais baixas, preços de equipamentos menores, maior disponibilidade de alvos de aquisição e grande talento no mercado. Essas são ótimas oportunidades para capitalizar durante essa queda.

Kevin Johnson
Além de novo presidente do Industrial Fasteners Institute (IFI), Johnson é o vice-presidente da manufatura da Birmingham Fastener, Inc. (EUA), indústria e distribuidora de fixadores para sistemas estruturais em aço, fabricantes de construções metálicas e para o setor de transporte.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com