Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 80
Busca::..
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Notas
07/05/2020 10h30

Notas 

Belenus tem centro de distribuição de alto desempenho combinando dois sistemas de armazenagem automática da ULMA Handling Systems

Fabricante de fixadores registra crescimento nos negócios e alto desempenho em intralogística com armazenagem automática combinada de paletes e de caixas; tecnologia e inovação determinaram a escolha do projeto

A Belenus do Brasil está prestes a completar 18 anos, mas o legado da família Lucas teve início na década de 1970 quando o patriarca, João Lucas, abriu uma pequena loja, a Sabará Ferramentas e Parafusos, com quatro funcionários, na cidade de São Paulo. Desde então, a Belenus na condição de fabricante – e distribuidora de diversas linhas de máquinas, ferramentas e outros– vem enraizando cada vez mais seu legado nos negócios, sob o comando do filho do patriarca, João Marcos Lucas, que conduz este grupo com mais de 1.200 colaboradores.

Suas principais instalações são a planta industrial e o centro de distribuição (CD) que se situam numa área de 80 mil m² em Vinhedo, cidade há 78 km de São Paulo.

A Belenus entre as três maiores fabricantes de fixadores do Brasil, com capacidade produtiva/mês de 6 mil toneladas. Cerca de 60% disso se destina ao varejo, atendendo também indústrias do setor naval, automotivo, moveleiro, equipamentos pesados e outros. Na região Sul do Brasil a empresa dispõe de um CD em Caxias do Sul, RS, tal como o Norte e Nordeste que contam com o CD Vitória, ES.

A partir de 2002, diante de um amplo crescimento nos negócios e na demanda de pedidos, foi necessário inovar, investindo em tecnologia para agilizar as operações de intralogística, cabendo a ULMA Handling Systems –empresa especializada no desenvolvimento de ampla gama de sistemas automatizados para movimentação e armazenagem– implementar um projeto totalmente inédito neste segmento, visando otimizar os processos, aumentar áreas de estocagem sem expandir a superfície ocupada, promover a agilidade no preparo de pedidos aos clientes e apoiar a expansão dos negócios.

“Transformamos o CD em uma estação de alta performance para atender pedidos de todos os cantos do Brasil. De três para cá estamos exportando para Argentina, Uruguai, Peru, Chile e Bolívia”, conta o presidente. Ainda segundo ele, o crescimento foi mais rápido que o imaginado. Graças ao seu filho, Sérgio Lucas, que é diretor comercial da empresa e um entusiasta atento a tudo o que se refere a inovação, suas instalações logísticas estão na vanguarda do setor. “Somos a única em nosso segmento a ter um armazém totalmente automatizado com apoio da ULMA Handling Systems que nos trouxe uma solução de nível global” relatou.

A solução especificada para a Belenus resultou em 10.000 m² de armazém verticalizado, combinando sistemas de armazenagem automática: o primeiro deles é o Compact System, destinado à armazenagem de caixas de madeira com base de palete do tipo PBR e baixa altura, proporcionando ocupação muito maior do estoque de produtos de dimensões volumosas. Compact System é composto por nove transelevadores em operação e capacidade de armazenagem de quase 15.000 paletes.

A segunda estrutura é um Mini Load para armazenagem de itens de menor volume e venda fracionada que são depositados em caixas plásticas movimentadas por seis transelevadores em seis corredores. O Mini Load tem capacidade para 35 mil caixas e é assistido por transportadores automáticos que movimentam as caixas com apoio de mesas elevadoras pneumáticas, elevadores de cargas e tem um sistema Pick to Light, em determinados pontos da estrutura para a separação de itens fracionados.

“Cada subsistema foi projetado para dar respostas às características de cada perfil de produto e são integrados ao processo de preparação de pedidos, que é assistida por uma rede Picking to Light”, explica Marcelo Bueno, presidente da ULMA Handling Systems no Brasil.

Outro destaque da solução é o sistema integrado de reabastecimento do armazém de paletes para o armazém de caixas. Os movimentos dos robôs transelevadores são otimizados quando um palete é levado até as estações de picking e o operador é orientado pelo software de gestão, através de monitores, sobre a necessidade de fazer reabastecimento daquele Stock Keeping Unit) - SKU (unidades de manutenção de estoque) que está sendo manipulado.

Bueno relata que foi um projeto especial por se tratar de parafusos e similares de fixação, itens pesados, exigindo estruturas metálicas extra resistentes. “Nossos especialistas atuaram desde a concepção da estrutura até sua implantação, instalação do software de gestão de armazém (SGA ULMA) e no treinamento dos colaboradores Belenus, para assim alcançar o objetivo de maximização do estoque e baixo custo, com expedição de pedidos entre 2kg a 10 toneladas diariamente”, concluiu Bueno.

“Sem este sistema seria inviável manter a operação com eficiência. Entre as dificuldades de um armazém não automatizado, estariam o grande espaço ocupado pelo estoque horizontal, manter a acuracidade de um estoque com 60 mil SKUs, além do número expressivo de pessoas envolvidas no processo de preparo de pedidos e toda a gestão do CD. “Ganhamos em tempo para a preparação dos pedidos, agilidade na entrega aos clientes, acuracidade do estoque e redução de mão de obra manual em todo o processo, desde a separação até expedição de pedidos. A automação do CD deu à Belenus fôlego para ampliar negócios e atender o maior número de clientes, seja no Brasil, seja no Mercosul”, finalizou João Marcos Lucas.

 

Portofix consolida sua condição de comércio e indústria de fixadores

Em maio de 2020 a empresa completa a maioridade ao alcançar 21 anos de fundação, mas sua história envolve parafusos e afins desde 1979

Maércio Moreira trabalhava na Brasinca Ferramentas, Carrocerias e Veículos S/A (incorporada à Aethra Group), quando em 1979 foi dado a ele, um office boy de 16 anos, a tarefa de lidar com compras de parafusos e afins, modalidade considerada o “patinho feio do departamento”. Ao final do século XX, ele saiu em busca de um porto seguro.

Em 1999, em pleno Reinado de Momo, Moreira decidiu “pular o carnaval e pular para o outro lado do balcão”, fundando assim uma distribuidora de fixadores batizada como Portofix, homenagem a cidade de Porto Seguro, Bahia, em que passava o Carnaval na ocasião.

Durante quase 10 anos, a empresa se operou e se desenvolveu em São Paulo, SP, até mudar de cidade - hoje em São Bernardo do Campo, SP - e de direcionamento, passando a operar também na fabricação de fixadores por meio da Metallofix Indústria Metalúrgica Ltda., sua unidade industrial.

“Sob essa nova estrutura, a Portofix Indústria e Comércio passou a transferir créditos de ICMS e IPI, o que gerou benefícios aos nossos clientes e permitiu elevarmos nossa competitividade”, relatou o executivo, que dirige ambas empresas ao lado dos filhos Talita (engenheira da qualidade) e Maércio Galdeano Moreira (gerente comercial) e o irmão Marcelo Moreira (diretor da Metallofix). 

ISO 9001:2015, juntas, as empresas totalizam uma equipe de 15 pessoas, 950 m² e mais 12 mil itens em estoque, algo reduzido devido ao sistema logístico programado que leva pedidos da fonte ao cliente final.

Segundo Talita e Maércio Galdeano, a Portofix atende clientes consumidores de peças especiais, tal como fabricantes de máquinas e equipamentos e o setor automotivo, principalmente Tier 2, incluindo, também, máquinas agrícolas, implementos rodoviários, tratores esteiras, construção civil, indústrias de móveis, fábricas de balanças rodoviárias e muitos outros.

“Mais do que uma revenda, mais do que uma fábrica, buscamos fornecer algo mais do que o fixador em si, muitas vezes visto como uma simples commodity. Numa curva ABC o fixador está no final da C, mas sua ausência ou falha pode parar processos produtivos e gerar prejuízos milionários. Portanto, nossa atuação visa dar suporte total ao cliente, no qual o parafuso em si é importante não só por estar lá à disposição, mas principalmente por nunca não estar lá quando necessário. Mais do que um fornecedor, somos parceiros nas operações e no sucesso dos nossos clientes. Numa amostra disso, ano passado fomos premiados novamente em logística pela Parker Hannifin”, concluíram os irmãos Galdeano Moreira.

portofix@portofix.com.br

Stanley: nova Parafusadeira/Furadeira de Impacto 20V Max Íon de lítio

Uma das maiores fabricantes de ferramentas do mundo, a Stanley apresentou em outubro 2019 sua nova Parafusadeira/Furadeira de Impacto 20V Max Íon de Lítio. A ferramenta apresenta novas funcionalidades e muito mais potência para os profissionais que realizam, diariamente, trabalhos em madeiras, metais e alvenarias.

Com 22 posições e alta potência de torque (51,4nm), para fixações precisas em diferentes tipos de materiais, que podem ser resistentes e exigirem furos de grandes diâmetros, a ferramenta possui transmissão de duas velocidades – para melhor controle de velocidade e torque – e mandril metálico ½ (13 mm) sem chave, que bloqueia automaticamente o fuso para mudanças rápidas de bits com apenas uma mão, garantindo maior durabilidade.

Essa novidade conta com bateria Íon Lítio 20V Max 2.0AH, sem efeito de memória e praticamente sem auto-descarga, para máxima produtividade. A bateria é protegida por um sistema eletrônico, a fim de evitar a sobrecarga, superaquecimento ou descarga profunda. A ferramenta apresenta também indicador de nível de bateria, para estimar a utilização e planejar a aplicação. Para trabalhos de baixa visibilidade, o profissional pode também fazer uso da luz de led, projetada estrategicamente abaixo do mandril. Informações: 0800-703-4644 www.stanleyferramentas.com.br

 

Demanda crescente contribui para lançamentos no setor

 Acompanhando a ascenção de estruturas mistas no país, Walsywa lança produto especializado

Com o crédito em alta e a menor taxa de juros da história, a construçao cívil é um setor amplamente benefi ciando pelas ações do atual governo, com expansão de 2% em 2019 e projeção de 3% para 2020, tendo a construção mista (estruturas metálicas + concreto) como sua grande puxadora. Diante desse cenário com novas Parcerias Público-Privadas (PPP), diversos lançamentos imobiliários e a demanda por novos modelos construtivos, e por incessante redução de custos, mais e mais clientes têm sido atraídos para esse setor.

Com faturamento estimado em R$ 2,7 bilhões (fonte: ABCEM-2019), anualmente o setor vem movimentando 419,3 mil toneladas de telhas de aço e Steel Deck, tornando-se uma das principais alternativas ao sistema tradicional.

Já consolidado nos EUA e Europa o modelo de lajes Steel Deck vem se modernizando nacionalmente, com empresas cinquentenárias liderando a inovação e reposição de produtos no mercado, com expectativa dos produtores em alta, tal como ocorre com a Walsywa, empresa fornecedora de sistemas de fixação para a construção Civil.

Em 2019, a empresa lançou o novo Pino Conector Stud Bolt e suas respecivas coroas cerâmicas.

O Stud Bolt Walsywa é um pino de cisalhamento, projetado para integração entre a estrutura metálica e o concreto, cabendo a ele fazer a ligação entre os materiais, absorvendo e transferindo parte dos esforços para a estrutura do empreedimento.

Fabricado sob a norma internacional AWS D1.1, este pino atende às mais rigorosas políticas de qualidade global. Fácil e rápido de aplicar, ele é utilizado majoritariamente em lajes de Steel Deck, pontes e estruturas metálicas em geral.

Acompanhado da coroa cerâmica, que faz a proteção do usuário, o pino pode ser aplicado diretamente no metal por meio de maquina de solda específica.

Entre os consumidores desse produto estão construtoras e empresas epecializadas em sistemas metálicos, que por sua vez, vem ganhando cada vez mais representatividade dentro das obras. vendas@walsywa.com.br 

Taiwan Fastener Show será em outubro

A feira bienal de Taiwan do setor de parafusos e afi ns foi remarcada para os dias 14 a 16 de outubro próximo. A ser realizada em abril, a Taiwan Fastener Show 2020 mudou a data por razões preventivas devido ao Covid-19. Maiores informações podem ser obtidas no Taiwan Trade Center, SP. brazil@taitra.org.tw

 

Wire & Tube Düsseldorf 2020 remarcada para dezembro

A maior de todas as feiras para o setor de arames e tubos, a edição 2020 da Wire & Tube foi remarcada para os dias 7 a 11 de dezembro próximo. Tal decisão é uma precaução devido às questões de saúde global em função da Covid-19.

Info: Emme Brasil

birgitpopovs@emmebrasil.com.br

Risco em fixação da pinça de freio provocou recall do Jeep Renegade

Desde 17/02/2020 a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) deu início a um recall de 1.877 unidades do Jeep Renegate, ano/modelo 2019/2020 e 2020/2020. Segundo a empresa, foi detectada a possibilidade de quebra de um dos pontos de fixação no conjunto das pinças do freio traseiro, lado direito, situação de óbvio risco pois pode comprometer a capacidade de frenagem deste veículo SUV.

Tal reparo demanda no mínimo 1 hora, implicando numa análise e, se necessária, a substituição do conjunto da pinça do freio traseira.

 

Triumph: recall para aplicação de trava química na junta esférica do pedal de câmbio

A Triumph Motorcycles Brazil é uma das 12 subsidiárias da empresa pelo mundo e conta com sede em São Paulo (SP) e fábrica em Manaus.

Desde 5/02/20 a empresa está divulgando a convocação dos proprietários de 201 motocicletas comercializadas no país, modelo Speed Twin (ano-modelo 2019-2019, com número de chassi entre 97ND54HF9KM932929 e 97ND54HF3LM976037), para realizar a aplicação de trava química na região da junta esférica do pedal de câmbio.

Segunda a nota, "a alavanca de conexão do pedal de marcha pode vir a se soltar na região da junta esférica, resultando em um movimento excessivo no final da alavanca de mudança de marchas, que pode restringir a movimentação do pedal de marcha. Nas motocicletas afetadas, as juntas esféricas dianteira e traseira podem vir a se soltar, dificultando a troca de marchas e, eventualmente, se não corrigida, deixar o condutor sem a possibilidade de seleção de marchas, podendo aumentar o risco ao piloto, garupa e terceiros. Tal ação corretiva visa garantir a segurança dos clientes Triumph e o tempo gasto na execução do serviço é de, aproximadamente, 30 minutos". sac.triumph@europ-assistance.com.br

FSA lança Pós Graduação em Engenharia de Elementos de Fixação

Marco Antônio Colósio                Roberto Garcia

Localizada na cidade de Santo André, na Grande São Paulo, SP, a Fundação Santo André (FSA) é uma instituição de ensino superior, fundada em 1962. Em março deste ano ela anunciou que sua diretoria da engenharia aprovou a criação do Curso de Pós Graduação Latus Sensus - Engenharia de Elementos de Fixação.

Inicialmente, este Curso deverá contar com o mínimo de dez alunos e máximo de 25, com início em agosto próximo, cabendo ao primeiro semestre de 2020 as ações devidas de divulgação.

Marco Antônio Colósio é o coordenador responsável pelo Curso junto à FSA e, junto com o dr. Roberto Garcia, ele foi um dos principais palestrantes na recente edição do Senafor (Seminário Internacional de Forjamento), em Porto Alegre, RS. Curiosamente, foi durante este evento que ambos idealizaram este curso. marco.colosio@fsa.br

Fey realiza encontro de tecnologia

Em 11/03/2020 a Metalúrgica Fey Ltda. fabricante de fixadores realizou em sua sede, na cidade de Indaial, SC, realizou um evento denominado Encontro no Centro de Tecnologia Fey. Na oportunidade, gestores de grandes empresas brasileiras como Klabin, Fibrafort, Di Pães, Rohden Vidros, Pfiffner, Buschle & Lepper, Altona e Zen participaram de interações alinhando expectativas de produtividade e gestão através do Instituto de Tecnologia Senai.

Recall Chevrolet Onix Plus demandou troca de porca

Segundo o portal Quatro Rodas (com exclusividade), em meio a relatos de incêndios de unidades do Onix Plus, carro fabricado pela General Motors, a montadora passou a orientar concessionários a promover reparos.

Em 22 de outubro surgiu um boletim informando que em 1.621 unidades deveria ser feita a inspeção e eventual substituição da porca de aterramento do veículo. Havia a possibilidade de ter sido instalada uma porca incorreta na fixação do aterramento do cabo negativo na longarina dianteira esquerda. Se foi assim, o aterramento não foi fixado corretamente.

Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br

Will Lowry no Europa News

 

Will Lowry e Mac Rahman (Fastener + Fixing Magazine, UK), Annalisa De Maddalena (Machine Tool Market, Itália) e Fang Chang (interprete pelo Taitra, Taiwan)

A seção Europa News surgiu depois de um convite do jornalista inglês Phill Matten, editor executivo da Revista Fastener + Fixing Magazine (FFM), em visita ao Brasil em 2011. Desde então, intercambiar notícias foi algo que se estendeu mundo afora entre a Revista do Parafuso e outras publicações com a denominação "Fastener Magazine".

Will é um profissional sempre muito presente em "Fasteners Trade Shows around world", tal como mostra a foto que ilustra esta nota, feita no jantar de boas-vindas da Fastener Show de Taiwan 2018.

Compatriota de Phill e editor da FFM, ele passa a assinar as notícias da seção Europa News a partir de agora. Seja bem-vindo Will!!! will.lowry@fastenerandfixing.com

 

Mudança de comando na Weighpack-Group

Desde dezembro 2019 Andries Kout passou o comando para Simon Rijke

(Foto 1) Edward van der Ploeg, Andries Kout e Simon Rijke (Foto 2) Andries Kout e J. Graef (SouthWind) na Wire Edward van der Ploeg, Andries Kout e Simon Rijke (Düsseldorf 2018)

Em 1974 Andries Kout (Dries) fundou a Weighpack International, sendo ele o inventor e projetor de suas primeiras máquinas, transformando a empresa em um player de envergadura global em sistemas de manuseio e embalagens. Ao longo dessa trajetória de 45 anos Dries dedicou todo seu conhecimento e empenho de maneira árdua, viajando pelo mundo, criando soluções inovadoras para a indústria de fixadores em todo o globo, incluindo o Brasil onde a marca é representada por J. Graef e a equipe SouthWind International.

Pouco antes do Natal 2019 foi concluída a venda da Weighpack para Simon Rijke. Mas antes de se aposentar Dries passará alguns meses dando suporte para a nova diretoria no gerenciamento de alguns projetos especiais. Embora adiada, a Wire Düsseldorf marcará a despedida de Dries e a estreia da nova gestão.

Em nota à imprensa e ao mercado Simon Rijke, fez um resumo de suas atividades profissionais nos últimos 20 anos, passando por postos em indústrias do setor alimentício, petroquímico e farmacêutico. Nessas empresas ele esteve envolvido, principalmente, em logística, produção e embalagem. Sua experiência se concentra no campo da otimização de processos produtivos, embalagem, engenharia, manutenção, compras e comércio.

“O que mais me atraiu na Weighpack foram suas qualidades definidoras, tal como o desenvolvimento, construção, instalação e manutenção de máquinas exclusivas, instaladas e mantidas em clientes em todo o mundo. Continuaremos a fazer tudo isso, mas com determinação renovada, contando com todo suporte de Edward van der Ploeg, nosso diretor comercial e com nossa equipe de trinta especialistas”, concluiu o novo CEO.

Recall Tesla: cerca 15 mil SUVs deverão substituir parafusos de alumínio

Desde 12/02/20 a fabricante americana de carros elétricos Tesla iniciou uma convocação de proprietários do Model X, ano 2016, devido ao surgimento de defeito na direção elétrica, o que gerou um recall envolvendo 14.193 unidades nos EUA e 843 no Canadá. Segundo a agência de transporte norte-americana NHTSA e a Transport Canadá, a direção do SUV pode sofrer interrupção repentina de seu funcionamento, algo de um risco indiscutível.

Por sua vez, o reparo no conjunto de direção envolve a substituição de parafusos de alumínio aplicados na fixação do motor auxiliar da engrenagem da direção. Porém, a substituição completa do conjunto direção não está descartada.

Ambas agências não registram acidentes devido a tal defeito. Em março de 2018 a Tesla realizou um recall semelhante com 123.000 unidades do Model S, construídos em todo o mundo antes de abril de 2016, numa chamada para substituição dos parafusos do motor do assistente de direção. Fonte: www.nytimes.com 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com